Quantas personagens gordas tinham os últimos livros/filmes/séries que você consumiu? Provavelmente nenhum, e se teve, era uma personagem estereotipada e secundaria.

Para mudar essas referências, a equipe da Casa 1 montou em colaboração esta lista com conteúdos que consumimos que são produzidos por pessoas gordas ou com experiências gordas como protagonistas. Eles falam sobre julgamento social, pressão estética, relação com a alimentação e sobre como é ter um corpo gordo em uma sociedade gordofóbica.

Gordosfera Podcast

Um podcast com intuito de compartilhar experiências e vivências de pessoas gordas.  Em alguns episódios, convidados falam sobre a normatização da existência de pessoas gordas.

Shrill

Produzido pela HBO MAX, a protagonista Annie (interpretada por Aidy Bryant) é uma mulher gorda, com uma personalidade bem desenvolvida pela produção. Baseada nas memórias da jornalista Lindy West, a série tem seis episódios e é bastante elogiada por dar um tratamento diferente a pessoas gordas na tv, depois de uma longa tradição de rejeição e ridicularização. Destaque para o episódio da “Festa da Piscina para pessoas gordas”.

O Peso e a Mídia – Agnes Arruda

“Ela parecia flutuar”. Em êxtase, Agnes Arruda se depara com a Vênus de Willendorf no Museu de História Natural de Viena, Áustria. Era um encontro de deusas, mas talvez a pesquisadora, em franca catarse de se descobrir, ainda não se desse conta disso. E com razão. Afinal, há a inquietude doída de uma vida toda de não pertencimento. O preconceito ao corpo gordo fere como navalha na carne. Preconceito a uma mulher gorda, então? Por vezes vítima; outras, algoz de si mesma. Impossível dimensionar sem viver. E é justamente essa vivência que Agnes nos revela, com maestria, em “O Peso e a Mídia“.

Santíssima Trindade das Perucas: PlusSize só que Gorda

Neste episódio, as três apresentadoras recebem Bia Gremion e Bielo Pereira para falar sobre gordofobia e especificidades de um corpo gordo LGBTQIA+.

My Mad Fat Diary

No seriado Rae, uma jovem inglesa de 16 anos, sofre de excesso de peso e relata em seu diário sua experiência em lidar com o próprio corpo, seus relacionamentos com amigos e sua mãe. É possível encontrar os episódios facilmente na internet.

Fome: Uma autobiografia do (meu) corpo – Roxane Gay

Nesta autobiografia escrita com sinceridade impressionante, a autora best-seller Roxane Gay fala sobre como, após sofrer um abuso sexual aos doze anos, passou a utilizar seu próprio corpo como um esconderijo contra os seus piores medos. Ao comer compulsivamente para afastar os olhares alheios, por anos Roxane guardou sua história apenas para si. Até conceber este livro. Esta não é uma narrativa bem-sucedida de perda de peso. E este também não é um livro que Roxane gostaria de escrever. Entretanto, é uma história que precisa ser contada, e ela o faz com seu estilo contundente e impetuoso, ainda que dotado de um humor mordaz, características que a tornaram uma das vozes mais marcantes de sua geração. “Fome” é um relato ousado, doloroso e arrebatador.

This is Us

Disponível no Prime Video, a história da família Pearson começa em 1979, no dia que os trigêmeos Jack, Kate e Randall chegam em casa da maternidade. Revelações sobre os pais Jack e Rebecca surgem nos momentos de amor, mas também de dor, e moldam para sempre a vida de todos.

 

Tamanho 42 não é gorda – Meg Cabot

Da autora da série O diário da Princesa, Meg Cabot, fenômeno mundial da literatura juvenil, este livro é a primeira aventura de Heather Wells e vai agradar em cheio às fãs do gênero chick lit. Heather Wells é uma cantora pop que chegou a um ponto nada desejado da carreira artística: o fundo do poço. Nenhuma gravadora se interessa por suas músicas, ganhou peso e só entra em roupas tamanho 42, o pai está atrás das grades e a mãe fugiu para Buenos Aires com suas economias ― e seu agente! Mas quando Heather arruma um trabalho de inspetora em uma faculdade, tudo muda… ou, pelo menos, é o que parece. Um crime inesperado a leva a uma vida de aventuras e altas doses de adrenalina. Mas a vida de detetive é potencialmente perigosa e alguns riscos podem ser fatais.

Vai Que Cola

Apesar das piadas não serem das melhores, Marcus Majella e Cacau Protásio brilham muito em seus respectivos personagens. O seriado mostra o cotidiano em uma pensão no subúrbio carioca. Disponível no GloboPlay.

Dumplin

Determinada a desafiar os padrões impostos pela sociedade, a adolescente Willowdean Dickson (Danielle Macdonald) se inscreve no concurso de beleza organizado por sua mãe, uma ex-miss. Disponível na Netflix.

Drop Dead Diva

Apesar das “piadas” gordofóbicas no início, a produção mudou o direcionamento e a trama ganhou um tom mais legal e empoderador. A bela e superficial modelo Deb morre em um acidente de carro e sua alma reencarna no corpo de Jane (Brooke Elliott), uma advogada acima do peso, que é brilhante e bem amada, o oposto de Deb. É possível encontrar os episódios na internet.

A Gorda, Isabela Figueiredo

Sucesso em Portugal, o romance “A Gorda” é uma poderosa sátira a respeito de auto-imagem e preconceito de um dos nomes mais destacados da literatura portuguesa contemporânea. Maria Luísa, a protagonista deste romance tão engraçado quanto cruel, é uma moça inteligente, boa aluna, voluntariosa e dona de uma forte personalidade. Porém, ela é gorda. E inapelavelmente gorda. Essa característica física a incomoda de tal maneira que parece colocar todo o resto em xeque: sua relação com o mundo, sua vida sentimental (a relação complicada com David, seu primeiro amor), sua postura diante dos fatos. Adolescente, sofre e aguenta em resignado silêncio as piadas e os insultos de companheiros de escola. Divertido, cruel e desabusado, A gorda confirma Isabela Figueiredo como um dos grandes nomes da ficção portuguesa atual.

Preciosa

Grávida de seu próprio pai pela segunda vez, Claireece “Preciosa” Jones (Gabourey Sidibe) de 16 anos, não sabe ler nem escrever e sofre abuso constante nas mãos de sua mãe. Instintivamente, Preciosa vê uma chance de mudar de vida quando ela tem a oportunidade de ser transferida para uma escola alternativa. Sob a orientação firme e paciente de sua nova professora, Sra. Rain, Preciosa começa a viagem da opressão para autodeterminação. Disponível na Amazon Prime.

Ofélia, A Travesti Gorda – Helena Vieira

O que querem os padrões senão o silêncio de quem deles fogem? Ofélia é uma travesti que adora Coca-Cola e cigarros. Vive em harmonia com sua transgeneiridade, mas se digladia com o próprio peso. Não apenas por desejo próprio, mas, sobretudo, pela expectativa alheia. Ofélia é gorda. E luta pelo direito de ser complexa, por se inquietar com muitas e diferentes questões que não somente a de gênero. Estrelada por Magô Tonhon e dirigida por Helena Vieira, a peça circula entre semanas de diversidade em diversos espaços culturais.

Divinas

Disponível na Netflix, Divines é um premiado drama franco-catariano de 2016, que retrata a vida dos imigrantes nas periferias de Paris. Em um gueto, uma comunidade verdadeiramente carente, o tráfico local se confunde com a religião. Dounia, uma jovem que mora na comunidade, decide tentar vencer na vida, seguindo os padrões do lugar onde mora: ou seja, ela pretende se tornar uma traficante tão reconhecida e poderosa quanto Rebecca. Para isso, ela terá a ajuda de Maimouna, sua melhor amiga. No entanto, a verdade é que Dounia não sabe onde está se metendo.

Gordxs

Gordxs é um documentário sobre as vivências relacionadas aos corpos e às sexualidades de quatro jovens que vivem em Pernambuco. Da escola aos desafios atuais de ser LGBTQIA+ em um corpo acima do peso ideal, os depoimentos de cada um traçam um panorama de como a comunidade pode melhorar o tratamento para com seus próprios companheiros de luta.

O documentário tenta combater a visão determinista de que corpos gordos são doentes amplamente corroborada por programas televisivos que mostram perda de peso como única forma de alcançar a beleza. Ao mesmo tempo, discute como esses padrões se refletem nos relacionamentos de pessoas gordas LGBTQIA+. O filme foi apresentado como Trabalho de Conclusão do Curso de Rádio, TV e Internet pelo diretor Ivson Santo à Universidade Federal de Pernambuco com orientação da Professora Mannuela Costa.

IMENSA

IMENSA é um podcast que fala da vivência de pessoas gordas na sociedade, sempre com os devidos recortes sociais.

Você encontrará debates, gordoativismo, discussões, humor, histórias de vida e informação!

Se você não é uma pessoa gorda, não tem problema: venha aprender um pouco sobre a luta contra a gordofobia e a pressão estética para que possamos construir coletivamente uma sociedade mais inclusiva.

Assistiu, ouviu ou leu alguma coisa interessante nesse tópico que não entrou na lista? Manda pra gente nos comentários!

Por Casa 1

A Casa 1 é uma organização localizada na região central da cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civil. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando as interseccionalidade do universo plural da diversidade. Contamos com três frentes principais: república de acolhida para jovens LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsos de casa, o Galpão Casa 1 que conta com atividades culturais e educativa e a Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos e terapias complementares, com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *