Biblioteca

O acervo da Biblioteca Comunitária Caio Fernando Abreu, a biblioteca da Casa 1, foi iniciado com doações do projeto Esqueça um livro e hoje tem um acervo de mais de 4 mil livros dos mais variados temas. Contempla publicações nos temas: literatura estrangeira, nacional, infanto-juvenil e infantil, literatura em inglês e espanhol, literatura LGBT, gênero e sexualidade, cozinha e gastronomia, artes visuais, teatro e dança.

Além do empréstimo de títulos, a Biblioteca conta com uma série de programações e atividades.

Os empréstimos são gratuitos e livres para toda a população.

Caio Fernando Abreu nasceu em Santiago, interior do Rio Grande do Sul em  1948. Seu primeiro texto veio aos 6 anos, e jovem, aos 16 anos,  teve sua primeira publicação, o conto “O príncipe sapo”,  pela revista Cláudia. 

Formado em Letras e Artes Cênicas na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), colaborou em revistas como Veja e Manchete, Nova, e jornais como Correio do Povo, Zero Hora, Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo.  

Em 1968, perseguido pelo Departamento de Ordem Política e Social (DOPS) se refugiou no sítio da amiga Hilda Hilst em Campinas, migrando posteriormente para Europa. Ao retornar para o Brasil morou em Porto Alegre, Rio de Janeiro e Recife, retornando para França em 1994 e voltando para o país nativo ao descobrir-se portador do vírus HIV. 

Caio faleceu em 25 de fevereiro de 1996, Hospital Mãe de Deus em Porto Alegre, deixando 6 livros de contos, duas novelas, dois romances publicados, além de três peças teatrais e uma dezena de antologias e coletâneas. 

Foi escolhido para dar nome à biblioteca comunitária da Casa 1 por seu importante papel na literatura e ainda por muitas das suas tramas trazerem temáticas homoafetivas, algo corajoso em tempos de ditadura militar.