Mais 19 quadrinistas e ilustradores LGBT que você precisa conhecer

Por Angelo Castro, assistente de programação da Casa 1. Colaborou Mario Cesar, organizador da POC CON. 

Já destacamos uma lista de 19 quadrinistas, ilustradores e ilustradoras LGBT (que você pode conferir aqui) e falamos um pouco da importância da representatividade e de ecoarmos as vozes e vivências de pessoas LGBT, não somente falando de questões referentes às suas identidades e orientações afetivas sexuais, mas também de seu pontos de vista, desejos e experiências.

Por isso, novamente com a ajuda de Mario Cesar, co-criador da POC CON trazemos mais 19 artistas para você conhecer, apoiar e compartilhar.

POC CON

https://www.instagram.com/p/BzB-U2zgOpz/

Tá, mas o que é POC CON?

No mundo da cultura nerd/geek, é comum desde os anos 70 a realização de convenção de quadrinhos, um espaço livre para se falar desse universo, conhecer as novidades e tendências da área, ou só se divertir com as fantasias dos fãs que escolhem essa arte para demonstrar o afeto que tem pelas suas histórias favoritas.

Mesmo que no Brasil já tenha uma dessas convenções que já atingiu promoções enormes, a ComiCon XP, a falta de um espaço para se falar especificamente de representatividade dos artistas LGBT fez com que Mario César e Rafael Bastos Reis organizassem a POC CON, um encontro onde quadrinistas e ilustradores e ilustradoras pudessem expor e vender seus trabalhos, auxiliando na produção independente desses artistas, além de criar um ambiente babadeiro, onde todos e todas pudessem celebrar a diversidade sexual e de gênero e reafirmar a luta por direitos.

Sua primeira edição que aconteceu em junho de 2019, no sábado pré parada do Orgulho LGBT estava maravilhosa! Reunindo mais de 70 artistas expositores e atraindo mais de 3.000 pessoas.

Confira mais uma parte dessa lista que Mario César preparou. Fique atento porque a princípio todos esses artistas vão estar na segunda edição do evento, que por enquanto, está prevista para o dia 14 de novembro, um final de semana antes da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. Marque na agenda para não perder!

Clique aqui para mais informações sobre a POC CON.

 1. Rafael Bastos Reis

https://www.instagram.com/p/B5LEWZ0HP5u/

Rafael Bastos Reis é co-criador e organizador da “POC CON Feira LGBTQ+ de Quadrinhos e Artes Gráficas”. Designer formado pela Universidade do Estado da Bahia. Grande parte de sua produção hoje é dedicada a discutir sexualidade de maneira mais divertida e prática. Dentre os projetos nessa linha, o “Pornolhices”, publicado em 2018 por meio de financiamento coletivo, é uma série de quadrinhos que mostram as desventuras sexuais de Carlos e também ensinam sobre sexualidade.

Clique aqui para conhecer o trabalho de Rafael Bastos Reis.

2. Alice Pereira

https://www.instagram.com/p/BgJWboOhVrN/

Alice Pereira publicou seu primeiro livro “A História do Petróleo em Quadrinhos ” em 2016. Em 2017 começou a contar a história de sua transição de gênero em tiras semanais nas redes sociais que foram se desenvolvendo para em 2019, se tornar o livro “Pequenas Felicidades Trans”. Também participou da coletânea “Mulheres em Quadrinhos”, lançada pela editora Skript em 2019. Atualmente cursa design de animação no Rio de Janeiro.

Clique aqui para conhecer o trabalho de Alice Pereira.

3. Amanda Miranda

https://www.instagram.com/p/B-umVbzAf-L/

Amanda Miranda é ilustradora, quadrinista e designer. Seu trabalho autoral aborda temas como violência, feminilidade, sexualidade, neuro atipia e caos. Explora o gênero de horror corpóreo e psicológico com cores destacadas e quentes. Como freelancer já trabalhou para clientes como “Liniker e Os Caramelows”, “The Intercept Brasil” e “Francisco, El Hombre”. É autora dos quadrinhos “Juízo” (2019, Coletânea “Tabu”, editora Mino) e “Sangue Seco Tem Cheiro de Ferro” (2019, Coleção “Des.gráfica”), selecionado pelo edital do Museu da Imagem e do Som de São Paulo. Ganhou o prêmio “Dente de Ouro” de Melhor História em Quadrinhos com “Hibernáculo” (2018, independente).

Clique aqui para conhecer o trabalho de Amanda Miranda.

4. Aureliano

https://www.instagram.com/p/B6sjWqkH87Q/

Aureliano começou a fazer quadrinhos em 2015 e logo ganhou notoriedade nas mídias sociais com sua página de HQs autobiográficas, a “Oi, Aure”. Entre os anos de 2015 e 2019 desenvolveu reflexões ilustradas sobre corpo, cotidiano e saúde mental, com um personagem peladinho, que acabou por se despedir de seu público no fim de 2019. Nesse meio tempo, o personagem esteve presente em diversas publicações independentes e pouco convencionais. Em 2016, Aureliano iniciou a coleção de zines que começa com “Sobrepeso”, passando por “Elevador”, “Conexão” e “Até Mais Ver”. No ano de 2017, a editora Lote 42 reuniu boa parte de sua jornada ilustrada em “Mercúrio Cromo”. Em 2018 o artista desenvolveu uma história em quadrinhos inteira em acrílico, o “Glitch”, e um baralho de tarô inteiro ilustrado com quadrinhos seus. Em 2019, o quadrinista fala sobre sua infância, com o livro ilustrado “O Menino Que Desaprendeu a Chorar”. Agora em 2020 começa a contar virtualmente a história de uma estrela que quer convencer os confins do universo, em “Supernova”.

Clique aqui para conhecer o trabalho de Aureliano.

5. CahLac

https://www.instagram.com/p/BtqY_fFFBhD/

Camila Abdanur é ilustradora e designer gráfica mineira. A temática queer está muito presente em seu trabalho, complementada por seu estilo fofo e colorido. Em 2019 desenvolveu “Um Página Só “e “Fada Sapática” e seu último projeto, “Treze” que se viabilizou graças a um financiamento coletivo. Quando não está rabiscando em qualquer superfície disponível, você pode encontra-la tagarelando no Twitter ou tentando receber afeto do seu gato preto mimado.

Clique aqui para conhecer o trabalho de CahLac.

6. Chairim Arrais

https://www.instagram.com/p/BzNrY8YJ_73/

Chairim é paulista, formada em Design Gráfico pela UNIP de Campinas, trabalhou em agências de publicidades por vários anos, atualmente trabalha como ilustradora, colorista e com tatuagem.  Criadora das webcomics “Purple Apple” e “As Aventuras da Bruxinha Mô”, Chairim sempre foi apaixonada por quadrinhos e animações, desenhando e ilustrando sempre, em vários estilos, do infantil ao adulto. Entre suas publicações impressas pode-se destacar: “A Última Lenda” (2008), “As Aventuras da Bruxinha Mô” (2013), “Livro de Conselhos do Gato Darazar (2015)”, “Red+18” (2018), “E8” (2019) e “#EuSóQueroDesabafar” (2019).

Clique aqui para conhecer o trabalho de Chairim Arrais .

7. Dani Franck

https://www.instagram.com/p/B40DATODZAV/

Dani Franck é quadrinista de São Paulo e formada em Animação. Desde 2017 vem concluindo sua missão de contar o máximo possível de histórias fofas, publicando quadrinhos com historias leves e positivas sobre mulheres que gostam de mulheres. Alguns exemplos são “Deu Ruim Na Cozinha”, a historia “Crushes” incluída na coletânea “Melaço”, sua webcomic semanal “A Vida de Nina” e a historia “Primeiro Date” incluída na coletânea “Historias Quentinhas Sobre Existir”.

Clique aqui para conhecer o trabalho de Dani Franck .

8. de Merda

https://www.instagram.com/p/B7Ww-MJJrZq/

João Victor, João, Jão, Jão de Merda ou só de Merda, é formado em Design Gráfico, Artes Visuais e Comunicação Visual. Trabalha como designer e social mídia, além de ilustrador e quadrinista. Atualmente tem voltado seu trabalho para charges e tirinhas políticas e antirracistas, utilizando de humor para retratar certos assuntos que acontecem no país e no mundo, além de ilustrações performáticas na série “Chifre”(2018 e atualmente) e o zine “SELF”(2018), que fala sobre saúde mental e os males da mente. Ainda mantém seus fanzines de humor e sátira, dentre eles estão, “Eu não me Orgulho desse Zine” (2015), “Cuadrinhos Decadentes” (2016), e outros, além de participações no “Rolezine”(2014), “A Zica #5”(2018), “Café-com-Leite Zine #1” (2018) e o Livro Levantes da Resistência (2019). Como zineiro, ilustrador, fotógrafo e artista Jão de Merda já participou de diversos eventos expondo suas séries fotográficas, participou de publicações de coletânea e de publicadores independentes e seleção e premiação dentre outros trabalhos e projetos.

Clique aqui para conhecer o trabalho de De Merda.

9. Dika Araújo

https://www.instagram.com/p/BwzaZV-hmSo/

Dika Araújo faz trabalhos de ilustração, quadrinhos e character design desde 2012. Ilustrou para FTD, RedBalloon, Think Olga, Estadão, Hyundai e Itaú. Trabalhou como desenhista/arte-finalista em “Quimera” (Pagu Comics), participou das coletâneas independentes “Amor em Quadrinhos” e “Melaço”, e coloriu “Cangaço Overdrive” (Editora Draco). Trabalhou também nas séries “Oswaldo” (Cartoon Network/TV Cultura) e “Clube da Anittinha” (Gloob/Gloobinho)

Clique aqui para conhecer o trabalho de Dika Araújo.

10. Eu sou infinito (Sandro Manesco Jr.)

https://www.instagram.com/p/B5F82RxDGYR/

Sandro Manesco Jr. começou seu trabalho como autor de web-quadrinhos e ilustrador em 2017 pelo pseudônimo “Eu sou infinito”. Aborda mais profundamente a temática da comunidade “bear”. Seus quadrinhos abordam sempre de forma descancarada e pouco idealizada os problemas sociais contemporâneos, fazendo críticas a formas de preconceito sexual e de gênero vividos pela comunidade LGBT+ no Brasil e motivado por isso, cria suas artes para expor o infinito que há dentro de cada um de nós.

Clique aqui para conhecer o trabalho de Eu Sou Infinito .

11. Guilherme Smee

https://www.instagram.com/p/BptD7Pgjvt7/

Guilherme “Smee” Sfredo Miorando é Mestre em Memória Social e Bens Culturais, pela Universidade LaSalle e é pesquisador dos assuntos quadrinhos e sexualidades. É especialista em Imagem Publicitária e bacharel em Publicidade e Propaganda, ambos títulos pela PUCRS. Ministra aula de quadrinhos e trabalha com design editorial e roteiros. É professor conteúdista na Especialização EaD em Histórias em Quadrinhos das Faculdades EST. É pesquisador associado do Cult de Cultura e da ASPAS (Associação de Pesquisadores em Arte Sequencial). Foi criador e faz parte do conselho editorial da Não Editora. Co-roteirizou o premiado curta-metragem “Todos os Balões vão Para o Céu”. Seu livro de contos “Vemos as Coisas como Somos” foi selecionado e publicado pelo Instituto Estadual do Livro do Rio Grande do Sul em 2012. A partir de 2014, publicou ao menos um quadrinho independente por ano. Em 2019 lançou o quadrinho “Bem na Fita” com roteiros seus e desenhos de um dúzia de artistas, também lançou “Só os Inteligentes Podem Ver”, quadrinho-autobiografia, resultado de sua dissertação de mestrado. Também escreve os roteiros para os super-heróis portoalegrenses “Super Tinga & Abelha-Girl”. Mantém o blog sobre quadrinhos Splash Pages (splashpages.wordpress.com) há mais de 10 anos.

Clique aqui para conhecer o trabalho de .

12. Ing Lee

https://www.instagram.com/p/B_Q-885HMHq/

Ing Lee é artista plástica, quadrinista e pesquisadora, graduada em Artes Visuais pela UFMG. É filha de pai norte-coreano e mãe brasileira, e possui deficiência auditiva moderada bilateral. Atuante em artes visuais desde 2015, entrou no cenário de publicações independentes em 2016 e faz quadrinhos desde 2018. É cofundadora do “Selo Pólvora” e “O Quiabo”, selos editoriais de publicações independentes. Teve sua HQ “Karaokê Box” recentemente publicada pela revista Piauí de dezembro de 2019. Sua pesquisa artística explora o pensamento da colagem e seu hibridismo em diversas linguagens, atravessando o desenho, assemblages, publicações independentes e porcelanas; mesclando tudo isso à sua pesquisa envolvendo identidade, geopolítica leste-asiática e memória.

Clique aqui para conhecer o trabalho de Ing Lee.

13. Johncito

https://www.instagram.com/p/BxFFoupl-Jc/

Nascido em  São Paulo, Johncito é formado em Marketing e atualmente trabalho como designer gráfico, além de ser autor, ilustrador e quadrinista. Você pode encontra-lo no twitter comentando sobre coisas aleatórias ou ver alguns desenhos que compartilho no seu perfil do Instagram, “Meus Olhos São Castanhos”.

Clique aqui para conhecer o trabalho de Johncito.

14. Lukas Werneck

https://www.instagram.com/p/B4WYjzJlbrN/

Lucas Werneck é quadrinista, ilustrador e professor de desenho. Estreou no mercado internacional em 2016, e já tem trabalhos publicados em importantes editoras como Marvel e Dc Comics, Entre seus trabalhos já desenhou títulos como “Harley Quinn”, “Sons of Anarchy”, “Power Rangers”, “X-men”, “Capitão América”, entre outros.

Clique aqui para conhecer o trabalho de Lukas Werneck.

15. Lovelove6

https://www.instagram.com/p/B8P4NMABw2I/

Lovelove6 é autora de histórias em quadrinhos e publicadora independente desde 2013, abordando temas relacionados ao movimento feminista, gênero e sexualidade. Autora de “Garota Siririca” (finalista em Melhor Publicação Erótica no Troféu HQMix 2016), “Gastrite Nervosa” (premiada no concurso Des.Gráfica, em 2017), “Lombra” (publicada pela Ugra Press em 2019), e agora lança a HQ “Sheiloca”. Seus quadrinhos e zines já integraram exposições no MASP, MIS e Biblioteca Mario de Andrade. Também produz, desde 2015, a “Dente Feira de Publicações” (DF) e o “Prêmio Dente de Ouro”, que premia desde 2016 zines e quadrinhos.

Clique aqui para conhecer o trabalho de Lovelove6.

16. Sasyk

https://www.instagram.com/p/BkqQ3_TBbgs/

Sasyk é designer gráfica por formação e trabalha no ramo editorial há mais de cinco anos e experimentando na área de quadrinhos há cerca de dois. Em 2018, lançou o primeiro livro de seu quadrinho “Pillow Talks” — onde traz personagens LGBT+ e aborda a humanidade de maneira simbólica, tendo alcançados leitores dentro e fora do Brasil. Atualmente, está planejando o terceiro livro de “Pillow Talks” e sempre pensando em novas histórias nas quais possa explorar os simbolismos de que tanto gosta.

Clique aqui para conhecer o trabalho de Sasyk.

17. Verônica Berta

https://www.instagram.com/p/CAIz5S6n8ee/

Autora do livro “Ânsia Eterna” finalista dos Prêmios Jabuti e Ângelo Agostini, Verônica Berta é ilustradora e professora de desenho na Quanta Academia de Artes.

Clique aqui para conhecer o trabalho de Veronica.

18. Vitorelo

https://www.instagram.com/p/B7Beu1kHS4b/

Vitorelo é artista, designer e pesquisadora. Seu trabalho autoral aborda temas como gênero e resistência, fazendo uso de experimentações gráficas e narrativas. Finalista do Prêmio Dente de Ouro e indicada ao Prêmio Grampo pelo quadrinho “TILT”, que mistura colagens, desenhos e pinturas para retratar a experiência da enxaqueca crônica, da ansiedade e depressão. Autora de “Tomboy,” publicado no Brasil em 2017 e em Portugal pela “Sapata Press” em 2019. As ilustrações de “Tomboy” foram contempladas pelo edital da III Mostra Diversa do Museu da Diversidade Sexual, e estão agora em exposição itinerante pelo estado de São Paulo.

Clique aqui para conhecer o trabalho de Vitorelo.

19. Yuri Andrey

https://www.instagram.com/p/B2QAaiMp22W/

Yuri Andrey é escritor, pesquisador e roteirista. Formado em jornalismo, lançou “Fujie e Mikito”, épica história real de uma família de imigrantes japoneses. O projeto começou em 2008 e foi desenhado por Marcelo Costa, sendo lançado durante a CCXP de 2019. Pesquisou e escreveu o livro “Lendas”, sobre 50 personagens do folclore brasileiro, publicado em 2018 e ilustrado pelos artistas da Chiaroscuro Studios. Participou da antologia de contos de terror “Atmosfera Fantasma – Livro das Criaturas e Psicopatas com o conto Busca Macabra”. Na Revista “Menisqüência”, publicação produzida pelo “Instituto Sala 5”, projeto social na região da Brasilândia, periferia de São Paulo. Em 2020 pretende lançar um fanzine com fatos reais sobre os diversos tipos de violência que ameaçam as pessoas LGBTQI+.

Clique aqui para conhecer o trabalho de Yuri Andrey.

Como sempre muita gente incrível acaba ficando de fora das listas, então ajuda a gente indicando a galera para novos posts e não deixe de seguir procurando, conhecendo e apoiando artistas LGBT independentes próximos a você.

19 quadrinistas e ilustradores LGBT que vão te fazer mergulhar na cultura pop com muito orgulho

Por Angelo Castro, assistente de programação da Casa 1. Colaborou Mario Cesar, organizador da POC CON. 

Uma pesquisa realizada pela Netflix com jovens de 16 a 25 anos aponta que 69% dos jovens brasileiros procuram por representatividade nas séries que assistem.  Como o próprio nome já sugere esses jovens querem ver representados seus dilemas, vivências e desafios, seja para procurar soluções, entender como outras pessoas lidam com isso, ou até mesmo para encontrar companhia para passar por algum momento difícil, mesmo que seja por alguém do outro lado da tela.

As influências e potência da representatividade na mídia vão muito além de uma simples identificação e tem um papel importe para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária quando ecoam as vozes de grupos históricamente minorizados, como é o caso da população LGBT.

Vemos que narrativas de diferentes realidades vão ganhando força no cinema, séries, arte, teatro e televisão, nesse contexto, o mundo dos quadrinhos, que vem crescendo em popularidade e aceitação nos últimos anos, não podiam ficar de fora. São diversos artistas, quadrinistas, e ilustradores e ilustradoras LGBT que vem mostrando um trabalho incrível quando o assunto é a produção de história em quadrinhos.

Por isso pedimos a ajuda de Mario César, um dos idealizadores da POC CON para mostrar um pouco desse universo pra gente.

POC CON

https://www.instagram.com/p/BzGSD7jAJZm/

Tá, mas o que é POC CON?

No mundo da cultura nerd/geek, é comum desde os anos 70 a realização de convenção de quadrinhos (Comic Conventions, daí o sufixo -CON) , um espaço livre para se falar desse universo, conhecer as novidades e tendências da área, ou só se divertir com as fantasias dos fãs que escolhem essa arte para demonstrar o afeto que tem pelas suas histórias favoritas.

Mesmo que no Brasil já tenha uma dessas convenções que já atingiu promoções enormes, a ComiCon XP, a falta de um espaço para se falar especificamente de representatividade dos artistas LGBT fez com que Mario César e Rafael Bastos Reis organizassem a POC CON, um encontro de quadrinistas e ilustradores e ilustradoras pudessem expor e vender seus trabalhos, auxiliando na produção independente desses artistas, além de criar um ambiente babadeiro, onde todos e todas pudessem celebrar a diversidade sexual e de gênero e reafirmar a luta por direitos.

Sua primeira edição que aconteceu em junho de 2019, no sábado pré parada do Orgulho LGBT estava maravilhosa! Reunindo mais de 70 artistas expositores e atraindo mais de 3.000 pessoas.

Confira agora a primeira parte dessa lista que o Mario César preparou. Fique atento porque a princípio todos esses artistas vão estar na segunda edição do evento, que por enquanto, está prevista para acontecer dia 14 de novembro, um final de semana antes da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. Marque na agenda para não perder!

Clique aqui para mais informações sobre a POC CON.

1. Mário César

https://www.instagram.com/p/B0qpPKun4MA/

Finalista do Prêmio Jabuti e três vezes vencedor do Troféu HQ Mix, Mário César é autor e editor de histórias em quadrinhos além de ser co-criador e organizador da POC CON Feira LGBTQ+ de Quadrinhos e Artes Gráficas.
Seu trabalho mais recente, “Bendita Cura”, aborda questões como a famigerada “cura gay” e homofobia e venceu o Troféu HQ Mix de Melhor Web Quadrinhos. “Bendita Cura” pode ser lido gratuitamente clicando aqui.

Conheça aqui o trabalho de Mario César.

2. Adri A.

https://www.instagram.com/p/B4nQZmIjjtc/

Adri A. é ilustrador e quadrinista. Aborda em suas produções questões ligadas a diversidade e ao universo LGBTQ+. Desde 2012 publica seus trabalhos nas redes sociais e em fanzines editados por ele mesmo. É criador e autor do “CARA-UNICÓRNIO”, série em quadrinhos que satiriza super-heróis e promove representatividade LGBTQ+. Em 2019 a primeira coletânea da série, “CARA-UNICÓRNIO – VOL. 1”, concorreu ao Troféu HQ Mix na categoria humor. Também já teve ilustrações e quadrinhos publicados em diversas publicações de outras editoras e coletivos.

Conheça aqui o trabalho de Adria A.

3. Aline Zouvi

https://www.instagram.com/p/B914ni1n2KC/

Aline Zouvi fez mestrado sobre as obras da quadrinista estadunidense Alison Bechdel. Desde 2017, dá oficinas de quadrinhos, faz cartuns para o jornal  “Folha de São Paulo”, tem participado de diversos eventos e feiras e publicado quadrinhos e zines, dentre os quais destacam-se “Síncope” (vencedor do Prêmio Dente de Ouro 2018 e finalista do HQMix na categoria HQ Independente) e “Óleo sobre Tela” (UgraPress, 2018). No momento, está trabalhando em sua primeira graphic novel.

Conheça aqui o Trabalho de Aline Zouvi.

4. André Inácio

https://www.instagram.com/p/B1KHm8Ij3KR/

Ilustrador e quadrinista frente ao Studio MPUP, André busca celebrar a diversidades em suas obras através de temas fantásticos. Além de suas ilustrações atualmente desenvolve o seu quadrinho “Acquine” que você pode acompanhar clicando aqui.

Conheça aqui o trabalho de André Inácio.

5. Breeze Spacegirl (Flávia Borges)

https://www.instagram.com/p/BueuW0vlyON/

Flávia Borges, que também assina como Breeze Spacegirl, é ilustradora e quadrinista de São Paulo (SP). Trabalha com publicidade, editorial e ilustração infantil, e seus principais temas são empoderamento feminino, negro e LGBTQI+.

Conheça aqui o trabalho de Flávia Borges.

6. Caio Yo

https://www.instagram.com/p/B6bqSO_D-uJ/

Caio Yo, é de São Paulo e trabalha como ilustrador desde 2009. Já ilustrou para o ramo publicitário e editorial, atualmente trabalha como artista e diretor em estúdios de games e projetos indie; além de dar aulas de ilustração e gameart. Como autor, publica seus trabalhos em quadrinhos desde 2014. Entre eles estão “Fúria e Onsen” (independentes) e “O Segredo de Baba Ganush” (contemplado com o PROAC 2017 e publicado pela editora Zarabatana), Em 2020 participa de duas coletâneas com temática gay, da ed. Skript, além de um novo quadrinho indie sci-fi sobre o relacionamento romântico de dois rapazes.

Conheça aqui o trabalho de Caio Yo.

7. Cora Ottoni

https://www.instagram.com/p/B_TGBY0jHIB/

Quadrinista autora das tirinhas autobiográficas de humor “Corenstein”, com dois livros publicados e indicadas a melhor publicação de tiras (2018) e melhor web tira (2019) pelo prêmio HQ Mix; “Os Zeladores do Tempo”, uma ficção científica infantojuvenil (2016); “Kit (de Resistência) LGBTQ+”, lançado na CCXP 2018 com todo lucro revertido a Casinha (instituição de apoio a comunidade do Rio de Janeiro e parceira aqui da Casa 1); e “Como Sobreviver a Um Relacionamento a Distância”, uma zine de humor publicada em 2019. Além disso a ilustradora e diretora de arte no Copa Studio, já tendo trabalhado em projetos como Irmão do Jorel, Giga Blaster e Tromba Trem.

Conheça aqui o trabalho de Cora Ottoni.

8. Eryk Souza

https://www.instagram.com/p/Bzn6He_gZAL/

Eryk Souza produziu o quadrinho “Uma e o Pombo” pela editora Sê-lo, “KÁROS” junto da RISCO HQ, além de editoriais para as revistas “Mundo Estranho” e “Conhecer”, dentre outras. No momento esta produzindo um quadrinho no projeto “Narrativas Periféricas” da editora Mino, Perifacon e Chiaroscuro Studios. Trabalha com ilustração digital e pintura em bases diversas. Boa parte dos seus trabalhos mescla o onírico e o sci-fi.

Conheça aqui o Trabalho de Eryk Souza.

9. Diana Salu

https://www.instagram.com/p/B74P1uVlnUX/

Diana, artista, designer, publicadora, produtora, travesti e sapatão. Graduada em Artes Plásticas pela Universidade de Brasília, foi co-fundadora da MÊS, editora independente de Brasília com foco em quadrinhos, artes visuais e literatura. Publicou os trabalhos em histórias em quadrinhos de sua autoria: “Maré – ou pequenos barcos não devem se afastar demais da margem” (2017, MÊS Editora); “Barragem” (2018, Edição da Autora); “Cartas para Ninguém” (2019, Padê Editorial) dentro muitos outros projetos e publicações. Participou com a história “Lama” da antologia “Segunda-feira eu paro” (2019) e estará presente na coletânea “Quadrinhos Queer”. Seu livro “Cartas Para Ninguém”, traz recortes sobre suas vivências com a transgeneridade e a lesbiandade em uma linguagem híbrida entre poesia, histórias em quadrinhos e desenhos.

Conheça aqui o trabalho de Diana Salu.

10. Ellie Irineu

https://www.instagram.com/p/Bng7ctrAs_L/

Ellie Irineu é quadrinista, editora e ilustradora nascida no Mato Grosso do Sul. É organizadora da série “Histórias Quentinhas”, iniciada em 2019, e seu trabalho tem como foco a representação não-estereotipada de vivências LGBT.

Conheça aqui o trabalho de Ellie Irineu.

11. Germana Viana

https://www.instagram.com/p/B_Yrx7ZnPue/

Germana Viana é quadrinista nascida em Recife/PE mas vive em São Paulo tempo o suficiente para ter misturado os dois sotaques. É autora de “Lizzie Bordello” e as “Piratas do Espaço” 1 e 2, “As Empoderadas” (vencedor do troféu HQMix na categoria WebQuadrinhos), “O Verão do Papa-Angu” e é coordenadora, editora e uma das autoras de “Gibi de Menininha – Historietas de Terror e Putaria” (Vencedor do troféu Angelo Agostini na categoria de Melhor Lançamento de 2018 e do HQMix na categoria Melhor Revista Mix de 2018), dentro outros projetos. Germana participou ainda de diversas coletâneas, como: “SPAM”, “Amor em Quadrinhos”, “Café Espacial”, “Orixás: Renascimento” e “Marcatti 40”.

Conheça aqui o trabalho de Germana Viana.

12. Helô D’Angelo

https://www.instagram.com/p/B-pcLQoHyLe/

Helô D’Angelo é ilustradora e quadrinista, autora de “Dora e a gata” (2019) que provavelmente você já esbarrou por aí no Instagram e Facebook.  É formada em artes pela vida e em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo. Seu trabalho tem incluído grandes coberturas em quadrinhos, como por exemplo o recente registro do #EleNão, movimento de mulheres contra a candidatura de Jair Bolsonaro à presidência do Brasil – uma reportagem publicada em 2018. Helô também tem trabalhado em tiras e charges políticas, frequentemente voltadas aos direitos das mulheres, dos negros e dos LGBT, dentre outros assuntos. Já publicou seus desenhos e quadrinhos em veículos como os sites “Huffington Post”, “Agência Pública”, “Catraca Livre”, “Fórum”, “Az Mina”, as revistas “Superinteressante” e “CULT” e o jornal “O Estado de São Paulo”. Atualmente, trabalha como freelancer na área.

Conheça aqui o trabalho de Helô D’Angelo.

13. Isadora Zeferino

https://www.instagram.com/p/B1ZF3oDlObK/

Isadora Zeferino é ilustradora freelancer do Rio de Janeiro. Conhecida por postar seus desenhos e trabalhos em suas mídias sociais, como fanarts e conteúdos ligados a figuras da cultura pop. Já trabalhou em diversas áreas como animação, mercado editorial, didático, livros infantis, publicidade e mais recentemente quadrinhos. “Acredito que uma das grandes diversões de ser um profissional da indústria criativa é poder se reinventar o tempo todo, mas também gosto de manter certas coisas no meu trabalho, como composições bem fechadas, elementos florais e trabalhar com temas de saúde mental e auto-aceitação”. Já desenvolveu trabalhos com “Faber-Castell”, “Globosat”, “Editora Abril”, “Cia das Letras”, “Melissa” e etc. e mais recentemente foi incluída no livro “The Illustrator: 100 best from around the world” da Taschen.

Conheça aqui o trabalho de Isadora Zeferino.

14. Laura Athayde

https://www.instagram.com/p/B_F_pUeHQYS/

Laura Athayde é designer, quadrinista e ilustradora manauara residente em Belo Horizonte. Seu livro “Histórias Tristes e Piadas Ruins” venceu o prêmio HQ Mix na categoria Edição de Autor. Sua série “Aconteceu Comigo” foi contemplada pelo edital Rumos do Itaú Cultural e será publicado em breve.

Conheça aqui o trabalho de Laura Athayde.

15. Luiza Lemos

https://www.instagram.com/p/BlTHKBSASli/

Luiza Lemos é formada em História. Quadrinista e cartunista que atualmente trabalha com o projeto “Transistorizada” (confira aqui), onde publica semanalmente pela internet tiras que falam sobre questões LGBT com foco maior no seguimento T e política. Também produziu tiras para o jornal Brasil de Fato, atuou como professora do curso de Histórias em Quadrinhos da Casa da Cultura de Paraty (2019) e é membro fundadora do Coletivo “Korja dos Quadrinhos”, e também atua como mediadora no projeto “História na Rua/ Debates Públicos” (você pode saber mais por aqui).

Conheça aqui o trabalho de Luiza Lemos.

16. Lunecornio

https://www.instagram.com/p/B-NtKIAHmj5/

Se você acompanha a gente da Casa 1 de perto já deve conhecer o trabalho incrível do  Lune que está sempre por aqui. Lune é ilustrador e designer, além de uma pessoa trans e bissexual. Cria pinturas digitais e aquarelas sempre buscando a diversidade com muita sensibilidade.

Conheça aqui o trabalho de Lunecornio.

17. Talles Rodrigues

https://www.instagram.com/p/B63UyX4FUDR/

Talles Rodrigues é quadrinista e ilustrador, nascido em Fortaleza e residente de São Paulo. É formado em Jornalismo e desde então vem fazendo quadrinhos e ilustrações. Suas principais obras são o quadrinho-reportagem “Cortabundas” (2013), a série em quadrinhos “Mayara & Annabelle” (2014-2020) e “Anamnese” (2019).

Conheça aqui o trabalho de Talles Rodrigues.

18. Vítor Martins

https://www.instagram.com/p/B6End2rABOR/

Vítor é escritor e ilustrador. Seu trabalho e produção sempre conversa com o cotidiano LGBT, com o intuito de passar uma mensagem de amor e aceitação através de suas histórias, personagens e ilustrações.

Conheça aqui o trabalho de Vítor Martins.

19. Yuri Amaral

https://www.instagram.com/p/B17Hni2Hbgl/

Yuri Amaral é artesão gráfico, pessoa não-binária, vegana, drag queen, quadrinista e escritora, se formou em Publicidade e Propaganda e é Mestre em Estudos Interdisciplinares Latino-Americanos. Desde 2014 publica “O Menino que Não Sabia Voar”, e nos últimos 2 anos publicou três livros via financiamento coletivo, todos do “Universo do Menino”.

Conheça aqui o trabalho de Yuri Amaral.

Fique de olho que daqui a pouco lançamos outro post com um monte de artistas incríveis e não deixe de seguir procurando, conhecendo e apoiando artistas LGBT independentes próximos a você.

Eis aqui um pequeno manual para você começar a ouvir Podcasts

Por Angelo Castro, Assistente de Programação na Casa 1.

Muitos dizem que o futuro da televisão são os serviços de streaming (sob demanda) como Netflix, Globo Play, Amazon Prime Video onde você pode ter acesso ao conteúdo que deseja, na hora em que preferir e reassistir quantas vezes quiser. Nessa mesma tendência, o Podcast surge como uma espécie de sucessor natural do rádio, que teve um aumento  de 67% de consumo no ano 2019 segundo dados das plataformas que distribuem o conteúdo.

Os Podcasts são arquivos de áudio para ouvir quando e onde quiser. Hoje já conta com uma gama gigantescas de temáticas, formatos e durações e atinge um número cada vez maior de pessoas.

Mas se você ainda está um pouco perdido nessa tendência,explicamos aqui onde você pode acessar e dar dicas de alguns podcasts divididos por temática para te ajudar a encontrar algum que combine com seu gosto.

Plataformas

 

Antes de qualquer coisa é precisa saber ONDE ouvir os Poscasts, os chamados agregadores. Hoje já existem diversas plataformas que possibilitam ouvir, continuar de onde parou, marcar seus favoritos e ser avisado de quando saiu algum novo programa do seu Podcast favorito. Destacamos algumas aqui:

1 – Spotify

O já consagrado app de música também possibilita seguir e ouvir os programas por meio dele. Está disponível para Android, iPhones (IOS), assim como para seu computador seja Windows ou Mac. Ele pode ser utilizado de forma gratuita com algumas limitações e anúncios, mas também com a opção de assinar alguns dos planos pagos mensais (individual, universitário, família, entre outros) para utiliza-lo com todos os recursos que dispõe, inclusive poder baixar o conteúdo para ouvir offline.

Conheça aqui o Spotify

2 – Deezer

Um concorrente ferrenho do Spotify, o Deezer também segue crescendo nessa competição, e no geral oferece as mesmas funcionalidades, e a escolha entre um e outro (embora existam discussões intermináveis da internet de quem é o melhor) acaba sendo uma questão de gosto. Também disponível em versão paga e gratuita com diferentes limitações e pode ser acessado nas principais plataformas (Android e IOS, Windows e Mac).

Conheça aqui o Deezer

3- Google Podcast

Disponível para usuários de Android, o aplicativo da Google é gratuito e bem completo para as necessidades dos ouvintes como: se inscrever e saber das novidades dos programas favoritos, baixar para ouvir off-line dentre outras funcionalidades.

Baixe aqui o Google Podcast

4- Apple Podcast

Assim como tem uma plataforma exclusiva para aparelhos Android, a Apple tem seu agregador para seus aparelhos e usuários de IOS. O Apple Podcast é gratuito e conta com todas as funcionalidades básicas de um bom agregador.

Baixe aqui o Apple Podcast

5- Castbox

Pra quem ainda não está satisfeito, temos uma quinta opção. O Castbox, além das funções gerais conta com uma ferramenta de busca que juntamente com um sistema de inteligência artificial, consegue localizar palavras-chave no meio dos Podcasts e pode facilitar na hora de localizar o que quer ouvir. A plataforma chinesa é gratuita, mas tem a opção de uma conta Premium que acrescenta algumas facilidades, como a eliminaçãoão de anúncios visuais.

Conheça aqui o Castbox

Uma dica bacana é uma ferramenta presente em todos os agregadores e que pode ser muito útil é o controlador de velocidade de reprodução, onde você consegue deixar o áudio mais lento, quando achar que o locutor está falando rápido demais, ou até 3 vezes mais rápido caso queria otimizar seu tempo.

Os Grandes Destaques

Agora que você conhece as plataformas, mas ainda não sabem por onde começar, listamos os programas já consagrados e com milhares de seguidores e ouvintes para você começar a desbravar os Podcasts:

  • Mamilos

Comandado por Cris Bartis e Ju Wallauer o Mamilos, como o título já escancara, fala de qualquer polêmica de peito aberto. É lançado semanalmente e traz sempre um convidado ou convidada para tratar do tema proposto, que vai de política a lazer, tudo com muita leveza, cuidado e simplicidade.

Ouça aqui o Mamilos

  • NerdCast

Dos primórdios da Internet, o consagrado NerdCast conta hoje com mais de 700 episódios e quase 15 anos de existência. Encabeçado por Alexandre “Jovem Nerd” Ottoni e Deive “Azaghal” Pazos , traz sempre convidados para falar sobre cultura nerd, ciência, jogos, tecnologia, literatura e até política com visões distintas sobre os assuntos, tudo com muito bom humor.

Ouça aqui ao NerdCast

  • Um Milkshake Chamado Wanda

Assim como os outros dois anteriores, figura como um dos programas mais ouvidos de 2019 nas plataformas, falando sobre fofocas, notícias, reality shows e cultura pop, com uma dose característica de bom-humor contando com a participação de Phelipe Cruz (“Papel POP”), Samir Duarte e Marina Santa Helena.

Ouça aqui Um Milkshake Chamado Wanda

Mas se você já conhece e acompanha estes mais famosos, ou está procurando outros assuntos trazemos também mais indicações, separadas por gêneros pra endossar essa pequena introdução ao mundo dos Podcasts. São três indicações por temática, deixando conscientemente muita coisa boa de fora, tendo em vista o grande volume de conteúdo já produzido no país (sorte a nossa).

Cultura e Ciência 

Também tem muita gente discutindo sobre ciência e cultura nos programas, trazendo muita discussão interessante e de olho nas notícias mais recentes.

  • Xadrez Verbal

Toda semana Felipe Figueiredo e Matias Pinto dão uma aula de Geopolítica, trazendo as notícias internacionais mais relevantes sobre o assunto. Sempre aberto a debates e a convidados que contribuam com o tema.

Ouça aqui Xadrez Verbal

  • Naruhodo!

Naruhodo! conta com a presença da dupla Ken Fujioka (leigo e curioso) e o Altay de Souza (Cientista PhD) para trazer de forma  observadora e dinâmica curiosidades sobre, ciência, experimentos, senso comum e desafios.

Ouça aqui Naruhodo!

  • Braincast

O Objetivo desse podcast é tratar sobre as intersecção entre criatividade, tecnologia, cultura, inovação, notícias, atualidades e negócios com um time bem diverso para discutir sobre esses assuntos e como eles se entrelaçam.

Ouça aqui Braincast

LGBT

Hoje já existem Podcast para a todos os gostos e jeitos, e tem muita gente dentro da sigla LGBT que está produzindo seus conteúdos sobre sexualidade, gênero ou atualidades e são ouvidos por milhares de espectadores.

  • POC de Cultura

Como o nome já sugere esse podcast é uma junção de 4 Pocs (Caio Baptista, Filipe Bortolotto, José Melo e Hilário Júnior) falando sobre atualidades, cultura, amores e vivências.

Ouça aqui POC de Cultura

  • Santíssima Trindade das Perucas

Apresentado por 3 Drags belíssimas, Bianca DellaFancy, Duda Dello Russo e LaMona Divine, falando sobre montação, cultura POP, novidades, notícias, e vivência LGBT.

Ouça aqui Santíssima Trindade das Perucas

  • Degenerados

Um programa semanal sobre gênero e transexuaildade, que questiona e debate os pontos de vistas de seus próprios ouvintes. Os responsáveis por esse diálogo são Jonas Maria e Vitor Lourenço.

Ouça aqui Degenerados

  • BONUS – Escuta Trans

Sempre que possível vamos dar destaque ao trabalho de pessoas LGBT, por isso essa indicação extra! No Escuta Trans, Rodolfo Rodrigues, Valentim Félix e Vicente Tchalian falam sobre os mais variados assuntos, debatendo e trazendo pontos de vistas que englobam a vivência trans. Como eles mesmos dizem: onde trans fala e cis escuta.

Ouça aqui Escuta Trans

Negritude

Sendo um formato bem democrático não faltam opções para quem quer ouvir produções de pessoas negras discutindo sobre racismo, negritude, questões raciais ou então cultura pop com uma visão mais politizada.

  • História Preta

Thiago André apresenta esse programa que tem por objetivo trazer para superfície a memória histórica da população negra no Brasil e no mundo, ecoando questões e narrativas muitas vezes invizibilizadas.

Ouça aqui História Preta

  • Pretas na Rede

Como elas mesmo dizem, chegaram para melanizar sua rede. O programa feito por duas mulheres negras que falam sobre vivências, atualidades e temas muito relevantes com bastante leveza.

Ouça aqui Pretas na Rede

  • O Lado Negro da Força

Não podia faltar a discussão de algo tão falado atualmente como cultura pop, mas claro com um olhar bem cuidado para questões raciais. O Lado Negro da Força traz debates muito interessantes e necessários sobre filmes, cinema, séries, animes e quadrinhos.

Ouça aqui O Lado negro da Força

Mulheres e Feminismo

O protagonismo de mulheres também não fica para trás em nenhum aspecto quando falamos de podcasts sensacionais, trazendo também questões indispensáveis para entendermos e debatermos assuntos da atualidade.

  • Conexão Feminista

Colocando em pauta assuntos urgentes e indispensáveis como misoginia, prostituição e violência obstretícia, a jornalista Renata Senlle e a escritora Heloisa Righetto comandam o programa de um jeito único.

Ouça aqui Conexão Feminista

  • Baseado em Fatos Surreais

Apostando em um formato diferenciado, esse programa conta em primeira pessoa história de mulheres, com o intuito colocar as pessoas no centro da experiência e desse modo sensibilizar e promover empatia sobre essas histórias tão reais e delicadas. Ele é realizado por Marcela Ponce de Leon e Sheylli Caleffi.

Ouça aqui Baseado em Fatos Surreais

  • As Mathildas

Tendo como pilar central das discussões o pensamento feminino, Iole Melo e Grecia Baffa conversam sobre o mundo do entretenimento áudio visual, cinema, séries e TV.

Ouça aqui As Mathildas

Notícias

Como bom sucessor do rádio, não podia faltar o acervo de notícias. Vários dos grandes jornais já desenvolvem programas frequentes em formato de Podcast:

  • Café da Manhã

Um dos programas da “Folha de São Paulo”, o Café da Manhã destaca diariamente as notícias mais relevantes do momento logo pela manhã, conduzido pelos jornalistas Rodrigo Vizeu e Magê Flores.

Ouça aqui Café da Manhã

  • O Assunto

Produzido pelo “Grupo Globo”, O Assunto, traz Renata Lo Prete em conversa com jornalistas e analistas para se aprofundar em algum tema relevante do momento.

Ouça aqui O Assunto

  • Jornal da CBN

A “CBN” entrou de cabeça no formato de Podcast, deixando vários de seus programas para ser consumidos quando o ouvinte quiser. Destaca-se o Jornal da CBN comandado por Mílton Jung e o time de comentaristas já conhecidos da emissora.

Ouça aqui Jornal da CBN

Crimes e Suspense

Um dos temas que mais se popularizaram e viralizaram foram Podcasts sobre crimes, investigação e suspense. Muitas vezes são histórias feitas em formato de narrativas, trazendo detalhes das investigações e especulações das histórias. Esse formato conquistou muitos ouvintes e premiações.

  • O Caso Evandro – Projeto Humanos

O Podcast Projeto Humanos, trouxe em sua 4ª temporada, 25 episódios a narrativa do caso real do desaparecimento de Evandro Ramos Caetano de 6 anos em Guaratuba (PR) em 1992, suspeito de ligação com rituais satânicos. Ivan Mizanzuk conta com uma riqueza de detalhes o caso, fruto de uma grande pesquisa de mais de 2 anos, de um jeito que é difícil parar de ouvir.

Ouça aqui O Caso Evandro.

  • República do Medo

Em programas semanais, são trazidas discussões sobre filmes, séries e HQs de terror e suspense, lendas urbanas e até casos reais. Sendo assim uma boa opção pra quem já gosta do assunto ou quer conhecer mais sobre esse universo.

Ouça aqui República do Medo.

  • Assassinos em Série

Produzido por Max e Ron Cutler, também semanalmente nos traz episódios que com casos de notórios assassinos em série, fazendo uma análise psicológica dos seus perfis, de seus métodos e muita pesquisa envolvida sobre esses casos.

Ouça aqui Assassinos em Série.

Institucionais

Não são só jornais e grupos de amigos que se juntam para fazer Podcast, esse é um terreno cada vez mais explorado por instituições, sejam elas de cultura, universidades e até museus, trazendo programas riquíssimos que dialogam com a área de atuação dessas organizações.

  • Jornal da USP

A “Universidade de São Paulo” traz uma gama bem abrangente de temas abordados nos seus programas como ciência, música, esporte e saúde, convidando sempre estudiosos da universidade para colaborar com a discussão.

Ouça aqui os Podcast da USP

  • Águas de Kalunga – MAR

O “Museus de Arte do Rio” (MAR) lançou 10 episódios inspirados no conteúdo da exposição “o Rio dos Navegantes”. Águas de Kalunga traz Elisa Lucinda, narrando histórias de artistas convidados, enaltecendo a trajetória de personagens negros e a vinda de imigrantes para o Brasil. Essa iniciativa tem sido cada vez mais usada por museus ou espaços de exposição para complementar a vivência de exposições e instalações.

Ouça aqui Águas de Kalunga

  • Itaú Cultural

O Itaú Cultural tem vários programas separados por temáticas: “Toca Brasil”, trazendo artistas e personalidades do mundo da música; “Escritores – Leitores”, convidando escritores e escritoras, falando sobre processos criativos e questionando como lidam com esse universo também como leitores. Mas o destaque vai mesmo para a série chamada “Mekukradjá” que foca nas vivências de vários povos indígenas, trazendo convidados e convidadas relatando preocupações sociais, políticas e a cultura de suas tribos e povos.

Ouça aqui os Podcasts do Itaú Cultural

Casa 1

Não tem outro jeito de acabar esse texto sem falar dos Podcasts feitos por nós aqui da Casa 1. Desde o começo da Casa, sempre aconteceram falas, palestras, aulas e rodas de conversa sobre os mais diversos assuntos e temáticas, com convidados que tem muito a dizer sobre o assunto. Recentemente conseguimos os equipamentos necessários para transformar essas programações em Podcast e divulgar para quem não conseguiu estar presencialmente. Até o momento contamos com dois programas com vários episódios cada, que ainda estão sendo produzidos, então ainda vem mais por aí!

  • Precisamos Falar sobre sexo

É uma série de mesas, sempre trazendo um especialista e um influenciador convidado para tratar de temos sobre sexualidade, saúde sexual e prevenção sem tabus. Os temas variam de chuca e redução de danos a sex partys e sexo anal.

Ouça aqui as mesas do Precisamos falar sobre sexo.

  • Insituto Temporário de Pesquisa Sobre Censura

Em 2019 a Casa 1 foi convidada e desenvolver uma intervenção para compor  a programação da “Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo” intitulado “Verão sem censura”, com isso surgiu o “Instituto Temporário de Pesquisa Sobre Censura”, que contou além de um ateliê livre, com uma série de aulas abertas com convidados muito especiais para falar sobre censura e seus desdobramentos na TV, arte, história, corpos negros, dentre outras temáticas.

Ouça aqui as aulas abertas do Instituto.

Ainda serão inseridos mais programas, assim como outras programações da Casa 1. Por enquanto nossos podcasts estão disponíveis apenas para Spotify.

Obviamente foram deixados de fora muitos Podcasts incríveis, assim como diversos assuntos que também contam com listas gigantescas de programas sendo produzidos em diversas áreas como: saúde e bem estar, esporte, meditação, comédia e até fortes recomendações para quem quer incrementar os estudos de novas línguas.