Entre os dias 9 e 10 de março, o Instituto Odeon, em parceria com o SESC e apoio da OEI, realiza o evento gratuito “Museu da Diversidade Sexual: a escuta e a construção de novos caminhos“.

O evento acontece de forma híbrida: presencial, no Centro de Pesquisa e Formação do SESC, e online, através da plataforma do Zoom. Para participar é necessário fazer inscrição através do site do SESC. As vagas são limitadas.

INSCRIÇÕES PARA PARTICIPAR DE FORMA PRESENCIAL: clique aqui.
INSCRIÇÕES PARA PARTICIPAR DE FORMA ONLINE: clique aqui.

Serão cinco mesas de debate, que se dividem entre os seguintes principais eixos temáticos: Museologia e Memória, Cidadania e Educação, Territorialidades LGBT+, Artes Dissidentes e Empreendedorismo. Elas serão compostas por mais de 30 convidades pesquisadores, educadores, artistas, empreendedores, entre outros.

Entre os destaques de participação, nomes como Liliane Cuesta, Maria Cristina de Oliveira Bruno, além de representantes de grupos como #Vote LGBT, Departamento de Patrimônio Histórico da Prefeitura de São Paulo, Casa 1, Revolta da Lâmpada, Transarau,Casa do Povo. O evento se encerra com uma performance do grupo Batalha Dominação.

PODCAST

Em programação paralela ao Seminário, o Museu da Diversidade Sexual lança um Podcast no dia 7 de março, nas principais plataformas de áudio. Os episódios seguirão diferentes vertentes dos eixos temáticos propostos pelo Museu, cada um com um convidade especialista na área. Em breve mais informações.

PROGRAMAÇÃO


09 DE MARÇO
13h30 – CONFERÊNCIA DE ABERTURA – “Diversidade sexual e de gênero nos
museus”
Convidades:
Liliane Cuesta Davignon
Mediação: Maria Cristina de Oliveira Bruno

15h – MESA 1 – “Memória e patrimônio LGBTQIA+ e interseccionalidades”
Convidades:
Leonardo Arouca
Kido Panotim (Coletivo Queertura)
Helcio Beuclair (Coletivo Arouchianxs)
Yuri Fraccaroli (Acervo Bajubá)
Luca Fuser (Departamento de Patrimônio Histórico / Secretaria Municipal de Cultura)
Mediação: Mauricio André da Silva (Museu de Arqueologia e Etnologia da USP)

17h30 – MESA 2 – “Desafios e estratégias na captação para equipamentos e coletivos LGBTQIA+”
Convidades:
Ricardo Gomes (Câmara de Comércio LGBT)
Diogo Rodrigues (Mais Diversidade)
Mônica Novaes Esmanhotto (Casa do Povo)
Luis Baron (Associação Eternamente SOU)
Gustavo Torres
Mediação: Carolina Wakiyama Bittar (MDS)

10 DE MARÇO
13h MESA 3 – “O desafio do ensino sobre diversidade e o papel do MDS como instância de acolhimento”
Convidades:
Adelaide Estorvo
Silvane Silva
Ju Bardi
Ellen Nicolau
Luz Sampaio
Mediação: Laís Borges (MDS)

15h – MESA 4 – “O diálogo transversal e a construção de novas territorialidades a
partir de uma abordagem interseccional”
Convidades:
Carla Baker (LGBTQIA+ Regional)
Gui Mohallem (#Vote LGBT)
Sheila Costa (Sapatão BR )
Elvis Justino (Família Stronger)
Luiza Brunah (Grupo Mexa)
Mediação: Bruno Oliveira (Casa 1)

17h30 – MESA 5 – “Artes dissidentes e práticas artístico-culturais LGBTQIA+ na construção de reconhecimento, territorialidades e memória”
Convidades:
Patrícia Borges (TRANSarau)
Bruno Fuziwara (Coletivo Acuenda)
Flip Couto
Letícia Coura
Ericah Azeviche (Revolta da Lâmpada)
Mediação: Rodrigo Alcântara (MDS)

19h30 – ENCERRAMENTO
Performance do Coletivo Batalha Dominação

SERVIÇO

Seminário
“Museu da Diversidade Sexual: a escuta e a construção de novos caminhos”
9 de março, das 13h30 às 19h
10 de março, das 13h às 21h
Inscrições gratuitas.

Foto de capa: Divulgação

Por Casa 1

A Casa 1 é uma organização localizada na região central da cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civil. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando as interseccionalidade do universo plural da diversidade. Contamos com três frentes principais: república de acolhida para jovens LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsos de casa, o Galpão Casa 1 que conta com atividades culturais e educativa e a Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos e terapias complementares, com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *