Lorem quis bibendum auci Lorem gravida nibh vel velit auctor aliquet. Aenean sollicitudin, lorem quis bibendum auci elit consequat ipsutis sem nibh id elit. Duis sed odio sit amet nibh vulputate cursu. Ut enim ad minim veniam.

Follow me on instagram

© 2016 Your Business Name!

Diversidade

[Entrevista] Olivia Torres “A primeira, e provavelmente mais arrebatadora [compreensão sobre ser lésbica], foi na sala de cinema”

Conversamos sobre o que acontece quando não nos vemos na cultura. O sentimento da não existência, da culpa e anormalidade. Falar sobre como dar visibilidade é trazer outras narrativas para o campo de visão, deixar à mostra e tirar do oculto outras formas de existir. Post feito pela voluntária Thais Eloy Olivia Torres tem 26 anos, nasceu em São José do Rio Preto, mas foi criada no Rio de Janeiro. É atriz, cantora e artista visual. E também escritora. “Eu tô começando a fazer um movimento pra esse lado aí, vou assumir”. Em seu instagram, ela ajuda a mapear referências lésbicas no audiovisual...

13 artistas asiáticos LGBT para acompanhar nas redes

Post feito em colaboração com Rodrygo Tanaka Que tal abrir espaço no seu caderninho de inspirações e referências e inserir 13 mega talentos?! Reunimos aqui artistas asiáticos amarelos e marrons LGBT que moram no Brasil e trabalham com design, ilustração, pintura, fotografia, artes cênicas, para que você siga nas redes, amplie seu repertório e ao mesmo tempo apoie os respectivos trabalhos. A lista, que como toda lista sempre vai ser incompleta, foi montada pelo Rodrygo Tanaka, integrante do "Asiáticos pela Diversidade", grupo que começou em 2015 como uma página nas redes sociais para debater sobre pautas e questões LGBT da Ásia e...

8 mulheres LGBT com deficiência para você acompanhar no Instagram

A justificativa para a falta de diversidade nas nossas vidas é sempre a mesma: " mas é eu não conheço". Essa frase tão curta e tão emblemática é usada para naturalizar as estratificações da nossa sociedade e justificar a perpetuação dos preconceitos que produzimos e reproduzimos. Em tempos de redes sociais essa justificativa perde ainda mais o sentido: se nossos ciclos sociais não conta com pessoas plurais, o ambiente online é completamente aberto para convivermos com a diversidade, por isso listei 9 pessoas para você acompanhar e seguir, no caso mulheres extraordinárias, que brilham peitando o capacitismo e estão aqui para provar que mesmo...

17 indígenas LGBT para seguir no instagram e ter muito orgulho

Post em colaboração com Carolina Castanho, educadora da Casa 1 Neste domingo, 28, é celebrado o dia do orgulho LGBT. Ao longo dos anos, o movimento vem se defrontando, ainda que a passos lentos, com as urgências das muitas intersecções que cruzam as orientações afetivo-sexuais e identidades e expressões de gênero, como raça, classe, etnias, capacitismos, etc. Neste sentido, é possível observar ao longo da história um espaço restrito para as pessoas indígenas (tanto as que vivem em aldeias quanto as que moram em centros urbanos) dentro do movimento LGBT, visto que, dentre outros motivos, o estereótipo "índio" mal foi superado. A luta LGBT precisa se voltar para...

Tudo Que Vai Rolar na 18ª Caminhada das Mulheres Les e Bi de SP

Desde 2003 que a Caminhada de Mulheres Lésbicas e Bissexuais de São Paulo acontece, em suas últimas edições, sempre no sábado que antecede a Parada do Orgulho LGBT. A Caminhada surge como uma forma potente de ecoar as demandas específicas das mulheres dentro do movimento sejam elas bissexuais, lésbicas, trans, travestis, negras, PCD e todas as singularidades que atravessam essas vivências. Em contraponto com a Parada LGBT, a Caminha de Mulheres Lésbicas e Bissexuais é realizada de forma autônoma, sem uma associação nomeada para a gestão, sem articulações e relações institucionais e sem apoio de empresas, pois entendem a importância dessa autonomia para o...

15 coisas que as pessoas surdas querem que você saiba

Recentemente vocês tem visto que tem rolado matérias aqui no blog da Casa 1 envolvendo as pessoas surdas e isso se deve principalmente ao fato de que eu, Jorge, ser surdo e durante as reuniões da equipe de comunicação que integro achamos necessário ter mais pautas relacionadas à surdez e a comunidade surda em geral, visibilizando o tema. Cabe ainda aqui dizer que acredito que esses conteúdos são essenciais como uma oportunidade de auto-análise das pessoas ouvintes para que percebam visões erróneas sobre nós, surdos. E para começar, listo 15 coisas que os surdos querem que você, leitor, saiba! Bora dar uma lida? <3 1 -...

Organizações de apoio à profissionais do sexo pelo Brasil para ajudar durante a quarentena

A Rede Global de Projetos de Trabalho Sexual (NSWP na sigla em inglês) e o UNAIDS publicaram no dia 8 de abril uma declaração conjunta (que pode ser lida na integra aqui)  pedindo que os "países garantam o respeito, a proteção e o cumprimento dos direitos humanos das profissionais do sexo". O apelo se dá pela falta quase total de legislações e direitos das e dos profissionais da área que perderam totalmente suas possibilidades de trabalho por conta da pandemia do coronavirus. A carta foi também publicada pela ONU Brasil que complementou com relatos da situação das e dos profissionais pelo mundo...

11 influenciadores para seguir no Instagram e aprender sobre a cultura surda

Inclusão é SEMPRE uma pauta necessária, seja presencial ou virtualmente, por isso eu como uma pessoa surda pensei em trazer pautas com esse enfoque aqui no blog da Casa 1. Para começar apresento algumas pessoas surdas que todos devem acompanhar. São artistas, jogadores, performers, youtubers, drag queens, que contam suas trajetórias e lutas para conquista dos mesmos direitos das pessoas ouvintes. 1 - Leonardo Castilho É o mais conhecido pelos ouvintes (o oposto de surdos, logo pessoas que ouvem), o Leo, 32, é um educador, performer, artista, produtor e poeta.  Trabalha no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP) onde educa pessoas surdas (e ouvintes...