Lorem quis bibendum auci Lorem gravida nibh vel velit auctor aliquet. Aenean sollicitudin, lorem quis bibendum auci elit consequat ipsutis sem nibh id elit. Duis sed odio sit amet nibh vulputate cursu. Ut enim ad minim veniam.

Follow me on instagram

© 2016 Your Business Name!

10 pessoas LGBT brasileiras para se informar sobre direitos e políticas em tempos de pandemia

10 pessoas LGBT brasileiras para se informar sobre direitos e políticas em tempos de pandemia

Durante a pandemia está todo mundo preocupado com o que está para vir e cheio de incertezas. Por isso listamos 10 pessoas LGBT que estão usando suas redes para informar, falar sobre direitos, políticas, sempre levando em consideração questões inerentes à nossa comunidade. Siga e se informe!

1 – Symmy Larrat

Vale a pena seguir a Symmy, que foi presidenta da Associação Brasileira dos LGBT e coordenadora dos LGBT no Gov. Federal e do Transcidadania com o Haddad.  Identifica-se como travesti e ativista em prol das travestis e das mulheres trans e formou-se em Comunicação Social na Universidade Federal do Pará. As redes sociais dela são pautadas em militância e luta dos direitos para os LGBT, sobretudo os/as da sigla T mas não só isso, também posta fotos de comida, posts educativos e faz lives. Vale a pena segui-la! Eis as redes sociais dela: Instagram, Facebook e Twitter.

2 – Erika Hilton

Erika Hilton é uma ativista dos direitos humanos e co-deputada estadual no estado de São Paulo (PSOL), onde faz parte do mandato coletivo da Mandata Ativista. Nascida em Itu, cursou em Gerontologia na Universidade Federal de São Carlos, o espaço onde começou a fazer a militância. Se define como uma pessoa transvestigênere e faz a oposição ao governo Bolsonaro. Ela posta muitas dicas/recomendações bacanas que podem fazer a diferença no dia-a-dia dos seguidores dela, mostra o que está fazendo como deputada e ativista e, é claro, posta selfies fofas. As redes sociais dela onde você pode fazer parte do circulo dela: Instagram, Facebook e Twitter.

3 – Erica Malunguinho

Do Pernambuco para o mundo, a Erica da Silva, mais conhecida como Erica Malunguinho, é uma educadora, artista plástica e política brasileira, filiada ao PSOL. Em 2018, decidiu eleger-se como deputada estadual por São Paulo, sendo a primeira mulher transexual da Assembleia Legislativa de São Paulo e uma de suas principais motivações para concorrer foi o assassinato de Marielle Franco. Erica se especializou como mestra em Estética e História da Arte pela Universidade de São Paulo e criadora da Aparelha Luzia, um espaço para criar produções artísticas e intelectuais em São Paulo. Posta muitos tweets sobre o racismo e é uma boa referência para aprender sobre a negritude e valorizar as pessoas negras, também posta criticando os governos atuais e como eles estão lidando com o COVID-19 e não só isso, dá dicas e recomendações sobre os direitos que a população possui e não sabe. Recomendo! As redes sociais dela: Instagram, Facebook e Twitter.

4 – Ingrid Guzeloto

É a mulher mais jovem a ocupar o cargo de presidente do Partido dos Trabalhadores distrital, ocupando o de Santana. Estudou Relações Internacionais na PUC-SP e fez estágio na Secretária Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo e atualmente é diretora da UNE – União Nacional dos Estudantes. Nasceu e mora em São Paulo, na Zona Norte. As redes sociais dela são cheias de fotos lindas dela e de lugares que ela frequenta com amigos. Bom para quem gosta muito de seguir pessoas que postam fotos cotidianas. Vale super a pena segui-la nas redes sociais! Ela ama muito destacar o quão importante é a política e as lutas dela. E ama muito o Lula! Veja: Instagram, Facebook e Twitter.

5 – David Miranda

O David é uma das pessoas LGBT que você deveria seguir e eis os motivos: Ele é bem conhecido pelas lutas que faz em prol dos LGBT, negros, pessoas sem moradia e também contra o clã Bolsonaro (e dos seus aliados), principalmente na época da Vaza-Jato, onde ele expôs as arbitrariedades do governo atual na época das eleições e depois de Jair Bolsonaro ser eleito.  Formou-se em Jornalismo na EPSM, é deputado federal e, diferentemente do presidente, tem vários projetos onde propõe melhorias para os grupos minorizados que ele luta e defende. O perfil dele nas redes sociais é muito bacana, já que ele mostra o que faz, compartilha vídeos didáticos e importantes sobre militância, sobre o que está acontecendo atualmente e denuncia as ações da oposição dele publicamente. Se quiser ficar por dentro da política e de memes/videos engraçados e, é claro, fotos dos filhos dele que são umas gracinhas, ele é a pessoa mais indicada para você seguir! As redes sociais dele: Instagram, Facebook e Twitter.

6 – Jonathan Vincett

Biomédico residente de São Paulo, o Jonathan Vicentt se formou em Ciências Biomédicas na Universidade Anhembi Morumbi e fez a pós-graduação em Ciências Políticas com ênfase em Medicina Preventiva e Saúde Pública. Assumidamente LGBT, milita em prol das minorias e busca trazer informações sobre diversas áreas, principalmente as que ele atua e vivência como LGBT e biomédico. E é um influenciador digital também no Instagram, onde tem um conteúdo super bacana e com fotos bonitas, bem produzidas e com stories legais onde mostra o que está fazendo na vida pessoal e os mimos que recebe! É ótimo para quem gosta de acompanhar influenciares LGBT. Dá uma olhada, vai! Eis as redes sociais: Instagram e Twitter.

7 – Laerte Coutinho

Laerte Coutinho, como todos conhecem, é uma cartunista e chargista brasileira, considerada uma das artistas mais importantes da área no país. Concluiu o curso livre de Desenho da Fundação Armando Álvares Penteado e chegou a cursar Jornalismo mas não se formou na área e já trabalhou como roteirista na Globo, ganhou o primeiro prêmio no 1.º Salão Internacional de Humor de Piracicaba, com a charge “O Rei Estava Vestido”, foi a protagonista do filme Laerte-se, um documentário sobre a trajetória dela como pessoa e como artista. Ela também se posiciona sobre política e direitos nas redes sociais e pessoalmente apesar de ter um conteúdo mais tranquilo, com selfies legais , artes bonitas e políticas o que faz com que valha a pena segui-la. As redes sociais: Twitter e Instagram.

8 – Rico Vasconcellos

O Rico é conhecido por falar bastante sobre as IST/HIV-AIDS e as prevenções que a população deve tomar. Identifica-se como gay assumido, luta para que as pautas de infecções transmissíveis sexualmente sejam mais faladas na sociedade pois existe muita desinformação e você vê muito disso nas redes sociais dele. É professor na Faculdade de Medicina – USP, trabalha com pesquisas clínicas com Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PrEP) e é doutorando na área. Interessante, né? Além disso tem um blog próprio no UOL (aqui) onde destaca as pesquisas e os estudos que ele realiza além das dicas de recomendação que ele dá. Se bem que as redes sociais dele não se resumem a isso da vida profissional, você pode ver as fotos dele nas palestras, com amigos e viagens, o que torna as coisas mais bacanas de se ver também! Eis o Instagram, Facebook e o Twitter dele para acompanhar e seguir. 

9 – Thiago Amparo

O Thiago Amparo é advogado, negro, assumidamente gay e super engajado nas causas negras e LGBT e as defende veemente. Formado em Direito na PUC-SP e tem mestrado em direitos humanos pela Central European University (Hungria) e doutorado pela mesma universidade. E é coordenador de Diversidade na Fundação Getúlio Vargas e colunista na Folha de São Paulo. Seguir ele nas redes sociais pode servir tanto como fonte de informação, graças a profissão de advogado do mesmo e sua capacidade de ilustrar bem com palavras as notícias do dia a dia, como uma inspiração para jovens negros e abertamente homossexuais de que eles podem ser bem mais do que a sociedade espera deles. Traz conteúdos importantes como direitos humanos, que é um assunto pouco difundido hoje em dia e sobre ter consciência como pessoa negra e empoderada. Você pode seguir as redes sociais dele, o Instagram e Twitter e acompanhar as colunas na Folha de São Paulo!

10 – Jaqueline Gomes de Jesus

Professora, pesquisadora e ativista trans, a Jaqueline Gomes de Jesus é formada em Psicologia no IFRJ (Instituto Federal de Rio de Janeiro) e com doutorado em Psicologia Social, do Trabalho pela UnB (Universidade de Brasília) e pós-doutorado pela Escola Superior de Ciências Sociais, da Fundação Getúlio Vargas. Pesquisa nas áreas de saúde do trabalhador, gestão da diversidade, trabalho, identidade social e movimentos sociais, com ênfase em gênero e feminismo, orientação afetivo-sexual e etnia. Vale a pena acompanhar as redes sociais dela porque são focadas em pautas de gênero e de luta para que os LGBT, principalmente as pessoas trans, tenham a ajuda necessária e sejam respeitados. E também faz várias lives onde traz o debate sobre casos de violência doméstica, feminicídio, racismo e política (principalmente criticas contra o governo Bolsonaro). É super bacana ter ela nas suas redes sociais! Eis o Instagram cheio de lives e IGTV para você assistir e o Facebook onde pode adicionar ou seguir a Jaqueline.

Conhece mais gente? Indique-nos! 🙂 Espero que tenham gostado das sugestões.

Jorge é o Social Media da Casa 1, um centro de acolhida e cultura LGBT, onde faz a produção de conteúdos e cuida das redes sociais da mesma. Formado em Jornalismo na Universidade Anhembi Morumbi, atuou como estagiário de Análise de BI trabalhando para diversas marcas e é LGBT e surdo.
No Comments

Leave a Reply