Premiada produção de Hong Kong é um retrato singelo da relação íntima entre dois homens em seus anos de crepúsculo

SUK SUK – UM AMOR EM SEGREDO apresenta a história entre dois homens maduros que juntos dividem momentos de sutileza e resistência enquanto lutam pelo direito de se amarem livremente. Com estreia mundial no Festival de Berlim, onde foi exibido na Mostra Panorama, o filme chega ao Brasil com seu lançamento marcado para acontecer no dia 9 de setembro nas salas de cinema, pela Vitrine Filmes. 

Com uma narrativa sensível sobre os relacionamentos homoafetivos, a história conta sobre o encontro de dois homens maduros que, apesar da pressão social e pessoal, deixam de lado a própria identidade sexual em prol da harmonia familiar. No entanto, durante um breve encontro o desejo mútuo se desperta, algo que havia sido suprimido por anos vem à tona quando conversam e relembram suas histórias pessoais, idealizando a possibilidade de um futuro juntos.

“Hoje, em Hong Kong, a comunidade LGBT é geralmente mais aberta e a sociedade aceita mais os direitos dos homossexuais. No entanto, os homens gays mais velhos não puderam desfrutar dessas mudanças devido à sua adesão a valores culturais tradicionais estritos e laços familiares próximos. Do ponto de vista da geração mais jovem e ocidentalizada, esses homens parecem reprimidos, tristes e sem coragem de serem eles mesmos.”, conta o diretor do longa, Ray Yeung. 

Devido às suas circunstâncias individuais, Pak e Hoi têm decisões difíceis de tomar; Pak parece ingênuo e hesitante no início, mas lentamente destrói sua hesitação; já Hoi parece autoconfiante por fora, mas ainda tradicional e conservador quando se trata de sua religião. Suas aparentes diferenças superficiais em experiências e atitudes escondem uma semelhança surpreendente em valores e pontos de vista. A questão é se eles podem abraçar seu verdadeiro eu e se apaixonar ou se voltam para a segurança, conforto e aceitação social de suas famílias?

SUK SUK – UM AMOR EM SEGREDO é essencialmente uma história de amor sobre dois homens que se apaixonam pela primeira vez aos 70 anos. No entanto, o filme retrata os dilemas que esses personagens enfrentam e as lutas que enfrentam sem julgar suas escolhas. A história mostra o carinho e o amor que recebem de suas famílias e por que é difícil para eles ser quem realmente desejam ser.

O filme examina também a ideia de “o que é uma casa?” O conceito de casa se aplica apenas às famílias? Também pode se aplicar a um lugar onde a pessoa se sente mais “em casa” e confortável? SUK SUK – UM AMOR EM SEGREDO pretende refletir a condição e explorar as dificuldades desses homens gays; e abrir um diálogo sobre suas circunstâncias e necessidades.

Sinopse:

Agora em seus anos de crepúsculo, dois homens devem escolher entre seus desejos um pelo outro ou as famílias que orgulhosamente criaram.

Ficha Técnica:

SUK SUK – UM AMOR EM SEGREDO

Direção e Roteiro: Ray Yeung 

Elenco: Tai Bo, Ben Yuen Ching, Patra Au Ga Man, Lo Chun Yip, Kong To e Lam Yiu Sing. 

Ano: 2019

País: Hong Kong

Gênero: Romance

Duração: 92 minutos

Classificação: 14 anos

Sobre a Vitrine Filmes

A Vitrine Filmes, em dez anos de atuação, já distribuiu mais de 160 filmes e alcançou mais de quatro milhões de espectadores. Entre seus maiores sucessos estão ‘O Som ao Redor’, ‘Aquarius’ e ‘Bacurau’ de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. Outros destaques são ‘A Vida Invisível’, de Karim Aïnouz, representante brasileiro do Oscar 2020, ‘Hoje Eu Quero Voltar Sozinho’, de Daniel Ribeiro, e ‘O Filme da Minha Vida’, de Selton Mello. Entre os documentários, a distribuidora lançou ‘Divinas Divas’, dirigido por Leandra Leal e ‘O Processo’, de Maria Augusta Ramos, que entrou para a lista dos 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional.

Além do cinema nacional, a Vitrine Filmes vem expandindo o seu catálogo internacional ao longo dos anos, tendo sido responsável pelo lançamento dos sucessos “O Farol”, de Robert Eggers, indicado ao Oscar de Melhor Fotografia; “Você Não Estava Aqui”, dirigido por Ken Loach, e premiado com o Oscar de Melhor Filme Internacional 2021: ‘DRUK – Mais uma rodada’, de Thomas Vinterberg.

Em 2021, a Vitrine Filmes apresenta mais novidades, começando a atuar diretamente na produção audiovisual e também na capacitação de profissionais, com o programa de formação Vitrine Lab. Entre as estreias deste ano estão a Sessão Vitrine edição especial de 10 anos com lançamento coletivo de quatro longas, entre eles “A Torre”, de Sérgio Borges, “Entre Nós, um Segredo”, de Beatriz Seigner e Toumani Kouyaté, “Chão”, de Camila Freitas e “Desvio”, de Arthur Lins; o documentário sobre o impeachment da Dilma, “Alvorada”, de Anna Muylaert e Lô Politi; “First Cow”, da diretora Kelly Reichardt; “O Livro dos Prazeres”, de Marcela Lordy e muitos outros título. 

Foto de capa: Divulgação

Compartilhe:

Por Casa 1

A Casa 1 é uma organização localizada na região central da cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civil. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando as interseccionalidade do universo plural da diversidade. Contamos com três frentes principais: república de acolhida para jovens LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsos de casa, o Galpão Casa 1 que conta com atividades culturais e educativa e a Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos e terapias complementares, com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *