Trabalho composto por 10.400 pregos de aço reflete sobre a construção de imagens e os processos de representação da ditadura civil-militar

O Memorial da Resistência apresenta a obra “Retrato Oficial” (2017), do artista Rafael Pagatini. A exposição inaugura o projeto Ocupações Memorial, que articula diálogos transdisciplinares sobre a memória dos períodos autoritários no país e suas reverberações no presente.

O trabalho realiza um recorte sobre as fotografias oficiais dos cinco militares a assumirem o poder durante o período da ditadura civil-militar brasileira (Castelo Branco, Costa e Silva, Médici, Geisel e Figueiredo), apresentando o detalhe de suas bocas impressas sobre pregos de aço cravados na parede do espaço expositivo. Manipuladas, as imagens fazem referência às políticas de violência e silenciamento do período e buscam desconstruir a suposta oficialidade do regime militar e seus mecanismos de representação.

Apresentar meu trabalho no Memorial é poder contribuir para a construção de um espaço de esperança. Esperança na construção de um país mais justo e para que a sociedade entenda que os discursos sobre a memória sempre estão em disputa. Nesse sentido, entendo que é preciso desconfiar das imagens de forma a entender que a construção do olhar é permeada por jogos de poder”, diz Rafael Pagatini.

No site do Memorial é possível conferir dossiê com referências sobre os assuntos tratados pelo artista.

Horário de visitação

Aberto de quarta a segunda, das 10h às 18h.

A entrada é gratuita e deve ser previamente agendada pelo site: clique aqui.

Compartilhe:

Por Casa 1

A Casa 1 é uma organização localizada na região central da cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civil. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando as interseccionalidade do universo plural da diversidade. Contamos com três frentes principais: república de acolhida para jovens LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsos de casa, o Galpão Casa 1 que conta com atividades culturais e educativa e a Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos e terapias complementares, com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *