Na próxima segunda-feira (17), marcando o encerramento da exposição “Orgulho e Resistência: LGBTs na Didatura”, o Memorial da Resistência de São Paulo irá realizar em parceria com a Casa 1 a “Coleta Pública de Testemunhos Orgulho e Resistências: a existência como resistência”.

O evento virtual contará com a presença de Symmy Larrat, presidenta da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos (ABGLT) e de Leo Moreira Sá, ator, artivista, dramaturgo, roteirista, jornalista.

A transmissão será feita ao vivo a partir das 17h pelo Facebook do Memorial, onde o público poderá participar enviando perguntas e comentários.

Sobre a Coleta de Testemunhos

O programa Coleta Regular de Testemunhos produz entrevistas gravadas em vídeo com narrativas e memórias de ex-presos e perseguidos políticos, familiares de mortos e desaparecidos e militantes de movimentos sociais no contexto da ditadura civil-militar no estado de São Paulo. Veja o conteúdo disponível no repositório digital.

A partir da metodologia da História Oral, o programa realiza entrevistas individuais, gravadas em estúdio, e entrevistas coletivas abertas à participação do público. Com o objetivo ampliar o conhecimento sobre a história do Departamento Estadual de Ordem Política e Social de São Paulo (Deops-SP), o acervo de registros audiovisuais do Memorial da Resistência está em constante expansão.

O programa Coleta Regular de Testemunhos visa:

  • A ampliação do conhecimento público sobre o Deops-SP e a resistência política;
  • A produção e difusão de materiais audiovisuais com vistas à democratização do conhecimento;
  • A promoção de debates públicos e reflexões temáticas sobre a memória dos períodos ditatoriais e democráticos;
  • O oferecimento de subsídios para as exposições temporárias e para a atualização dos conteúdos da exposição de longa duração.

Para acessar o acervo do programa clique aqui.

Compartilhe:

Por Casa 1

A Casa 1 é uma organização localizada na região central da cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civil. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando as interseccionalidade do universo plural da diversidade. Contamos com três frentes principais: república de acolhida para jovens LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsos de casa, o Galpão Casa 1 que conta com atividades culturais e educativa e a Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos e terapias complementares, com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *