Lançada hoje (17/05), Dia Internacional da Luta Contra a LGBTfobia, a Estandarte é uma iniciativa formada por 35 profissionais de comunicação, todos LGBTIA+, que uniram esforços com o propósito de construir um mercado publicitário mais diverso e responsável, por meio de uma maior e melhor representatividade dessa comunidade em agências, campanhas, empresas e projetos. Majoritariamente feminino, o grupo é também racialmente diverso.

O setor de comunicação no país é carente sob o aspecto da diversidade: membros da comunidade LGBTIA+ respondem por apenas 1,3% das situações de protagonismo em inserções publicitárias na TV e em postagens no Facebook, de acordo com a versão mais recente do estudo Todxs, que analisa essas peças — realizado pela ONU Mulheres em parceria com a Heads Propaganda.

Um episódio recente no estado de São Paulo, a discussão na Assembleia do projeto de lei 504/2020, que vedava a alusão à diversidade sexual em publicidade para crianças no estado, mostra que mesmo esse percentual baixo sofre ameaças de diferentes origens.

Composta por profissionais das áreas de Criação, Planejamento, Community Management, Influência, Conteúdo, Ilustração, Direção e Produção AV, a Estandarte tem seu nome inspirado nas estruturas que, por exemplo, identificam um bloco carnavalesco e lideram o cortejo. Isso para lembrar que o propósito é que as bandeiras da representatividade estejam sempre erguidas, exercendo um papel ativo, contando histórias e dando vazão a um potencial criativo.

A Estandarte não nasceu para dar consultoria ao mercado, mas sim para criar nele. “No que diz respeito à identidade da comunidade LGBTIA+ no contexto do mercado publicitário, quando muito arranhamos a superfície. Queremos ter uma voz mais ativa sobre como somos retratados e percebidos durante o ano inteiro”, afirma o publicitário e co-fundador Bruno Kawagoe. “Somos criadores e existimos o ano inteiro, não só em maio ou junho.”

E nesse contexto, a Estandarte chega ao mercado com o lançamento da campanha “VAI TER CADA VEZ MAIS”. Além de desenvolver conteúdo para as redes sociais que reafirmam a importância da representatividade, a iniciativa contempla a abertura de inscrições para um trabalho de mentoria para jovens LGBTIA+ do Brasil todo. As inscrições podem ser feitas através deste link

“A mentoria é o que me encanta e é onde vive meu coração no projeto. Eu preciso ver a diversidade dividindo baias (ou calls) para a comunicação refletir o mundo real”, diz a publicitária May Midori, co-fundadora da Estandarte. “Por isso, a ideia de ajudar as pessoas a cruzarem essas barreiras sociais, ensinando tudo a elas até que consigam andar com as próprias pernas, pra mim, é encantador. Aliás, é transformador.”

Com esse espírito, a Estandarte já está hasteada, desenvolvendo ações próprias e em parceria com agências e empresas, para o Mês do Orgulho LGBTIA+ e o futuro.”

Compartilhe:

Por Casa 1

A Casa 1 é uma organização localizada na região central da cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civil. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando as interseccionalidade do universo plural da diversidade. Contamos com três frentes principais: república de acolhida para jovens LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsos de casa, o Galpão Casa 1 que conta com atividades culturais e educativa e a Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos e terapias complementares, com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *