Sim, falamos que não iríamos mais cobrir os desdobramentos do BBB, mas, devido as falas e comportamentos explicitamente homofóbicos do participante Rodolffo, cantor sertanejo da dupla Israel e Rodolffo, decidimos nos posicionar contra a permanência do participante no reality.

Para isso, pedimos a opinião de uma pessoa que já é “comentarista oficial para assuntos de BBB“, Eduardo Oliveira Junior. Idealizador dos podcasts “Santíssima Trindade das Perucas”, “Disk Bicha” e o “Big Bicha Brasil”, ele falou para a Casa 1 porquê Rodolffo tem que ser o eliminado da noite.

” Nesse paredão de Rodolffo, Juliette e Sarah, acho que a pessoa mais adequada pra sair é o Rodolffo.

Diversas vezes ele teve falas homofóbicas dentro do programa e, principalmente, em cima do Gilberto, que é uma bicha que tá realmente vivendo como afeminada, como ela é, dentro desse programa a “bicha bichérrima” como ele mesmo se descreve. E é muito complicado quando você consegue essa liberdade, mesmo que seja isolado com pessoas que você nunca viu na vida, e aí vem uma pessoa e tenta te podar, seja por falas, ou se levantar na hora que você chega perto ou tentar te cortar de algum jeito. O Rodolffo se irrita muito com esse jeito escandaloso do Gilberto, ele acha que o Gilberto faz isso para se aparecer, mas o Gilberto realmente é isso e tá podendo ser isso só agora, e ele tá muito feliz com esse jeito dele. Ele tá sendo realmente ele, na forma mais pura, e eu inclusive tô amando assistir isso. 

A homofobia do Rodolffo já chegou a atingir pessoas que não são gays. O Fiuk acabou levando um comentário atravessado dele por querer usar vestido. Vestido não é uma roupa de homem nem de mulher, é só um pedaço de tecido em retângulo que foi juntado nas laterais. E o Rodolffo acabou fazendo um comentário tipo ‘como que leva esse menino de vestido para as boates de Goiânia?’ e aí obviamente vai chegar o comentário de uma pessoa ‘ah, mas o Rodolffo vem de uma outra família, uma outra formação, ele veio de Goiânia”. É meio doido porque as pessoas acham que LGBTs foram paridos pela Silvetty Montilla no meio da parada LGBT e não é assim [ri]. 

O Rodolffo é uma pessoa com muito dinheiro, não sei se milionário, mas sabemos como o dinheiro circula muito bem no meio do sertanejo. Sertanejos lotam muitos shows e aí entramos para um outro lado, que é o Rodolffo ser desse núcleo sertanejo que estava fortemente apoiando Bolsonaro desde a sua eleição e tem vídeo disso, falando que o voto dele era no Bolsonaro e se encontrando [promovendo aglomerações] nessa pandemia, né? Ele entra nessa onda com a galera negacionista, que é a favor de shows. Eu sou cem por cento a favor da cultura e da arte, mas entendo que não é o momento para fazer show. Não tem como fazer show. Se tivesse algum jeito, alguma forma que não fosse cafona e não comprometesse a saúde das pessoas a gente estaria fazendo, mas não tem como. Ele foi rastejando para conseguir de algumas formas montar shows e tem varias notícias dele falando que [o que estava fazendo] era um show com redução de 40% de pessoas, show com distanciamento, o famoso ‘seguindo todos os protocolos’, aí você vai ver a foto do show não tem um protocolo sendo seguido. É um amontoado de pessoas, uma aglomeração no local. Tem fotos disso em todo lugar e essa galera do sertanejo nunca é cobrada, nem pedido o posicionamento porque o núcleo deles não liga para isso. A gente tem que ficar muito atento.

A Sarah é uma pessoa que debochou da pandemia e que aglomerou também mas o Rodolffo não é cobrado sobre isso. E ele fez e aconteceu muitas e muitas vezes. Tem foto disso, tem vídeo, tem notícia em portal, no R7, na Contigo, várias e várias [matérias] sobre as festas que ele fez. Ele já falou até dentro da casa que ele tava com sintomas quando ele organizou uma festinha.

Eu sinto que se você é homem, branco, hétero, cis gênero tudo vai ser passado de canto. Ninguém vai ligar se você é homofóbico, se você aglomerou, se você é negacionista. Ninguém vai ligar para nada. As pessoas estão pouco se fodendo. Você tem meio que uma carta para poder passar por cima disso tudo e é por isso que eu sou realmente fora Rodolffo nesse paredão.

De resto tenha coisa mais importante pra fazer da minha vida, né?[ri]”

Leia a entrevista que o Eduardo, criador da drag Duda Dello Russo, deu para a Casa 1 aqui.

Foto de capa: Reprodução

Compartilhe:

Por Casa 1

A Casa 1 é uma organização localizada na região central da cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civil. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando as interseccionalidade do universo plural da diversidade. Contamos com três frentes principais: república de acolhida para jovens LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsos de casa, o Galpão Casa 1 que conta com atividades culturais e educativa e a Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos e terapias complementares, com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *