BLOG

Coletivos LGBTQIA+ organizam primeira parada de Suzano

A Primeira Parada LGBT do Município de Suzano será realizada no dia 24/07/22 e terá como tema: Resistência e Existência: “Existimos e queremos cultura, saúde, trabalho e educação.”

A primeira Parada LGBT de Suzano foi idealizada pela Rede Periférica Família Stronger, Coletivo Periférico A Casa da João e Frente LGBTI+ de Suzano, com apoio de uma comissão organizadora, composta por, Núcleo Transmasculinidades, Associação Brasileira Divercidades Periféricas, Teatro Contadores de Mentira, Fórum LGBT de Mogi das Cruzes.

O tema da parada foi escolhido pela comunidade Lgbtqiap+ da cidade de Suzano em reunião aberta, justamente para cobrar do poder público que se tenha políticas públicas para essa população, já que Suzano pode ser considerada uma das cidades mais atrasadas do Alto Tietê em relação a políticas de diversidade sexual e de gênero.

Ter uma Parada LGBT no município de Suzano é algo histórico e revolucionário, pois dará visibilidade para artistas lgbtqiap+, negros e periféricos de nossa cidade, será um importante ato de luta e demonstração da organização do movimento lgbtqiap+ que existe na cidade e exige que políticas públicas na área da saúde, trabalho, educação e cultura sejam garantidas a essa população. 

Também será uma luta pela descentralização de políticas públicas e da própria Parada LGBT de São Paulo, trazendo a magia desse grande legado de festa e luta, para o município de Suzano.

Teremos cerca de 30 artistas se apresentando na primeira Parada LGBT de Suzano, artistas da cidade, da região do Alto Tietê e de São Paulo, entre eles, Drags, DJs, dançarines e artistas da música.

A concentração acontecerá ás 12h na rua Abdo Rachid, ao lado do Burger King, ás 16h será o início da caminhada, depois a Parada seguirá até ao Parque Max Feffer onde ocorrerá os shows de encerramento até as 21h.

A Casa 1 é uma organização localizada na região central da cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civil. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando as interseccionalidade do universo plural da diversidade. Contamos com três frentes principais: república de acolhida para jovens LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsos de casa, o Galpão Casa 1 que conta com atividades culturais e educativa e a Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos e terapias complementares, com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

Notícias Relacionadas

Projeto “Lentes Coloridas” pesquisa perfil de profissionais LGBTQIA...

Casa 1 e Coletivo AMEM realizam Feira de Empregabilidade LGBTQIAPN+...

HQ Ciranda da Solidão é republicada e ganha edição especial

Conheça 10 pré-candidaturas LGBTQIA+ a prefeituras nas eleições de ...

Direitos LGBTQIAPN+ sob ataque no Congresso Nacional 

Instituições fazem mapeamento de candidaturas LGBTQIAPN+ para as el...

Com o tema “Aquilombar é Cura”, a Parada Preta 2024 aco...

Especialistas discutem os principais desafios de empregabilidade LG...

Pesquisa apresenta as maiores dificuldades das instituições LGBTQIA...

CUT lança cartilha de formação sindical como foco em pessoas trans

No fim das contas, ser orgulhosamente LGBTQIAPN+ era só moda mesmo

Senado aprova texto que cria recurso de proteção para LGBTQIA+ enca...