BLOG

Documentário “Vitória Trans” estreia na Galeria Olido

Coletivo Queer, grupo de artistas e ativistas LGBTQIA+, se prepara para lançar seu mais novo projeto: o documentário “Vitória Trans”. O filme, que retrata a realidade de sete pessoas trans que residem na cidade de São Paulo, tem estreia oficial na zona central de São Paulo na Galeria Olido, dia 18 de junho, terça-feira, às 20h.

“Vitória Trans” é uma produção independente que busca dar visibilidade à comunidade trans, muitas vezes marginalizada e invisibilizada na sociedade. O documentário acompanha a trajetória de sete pessoas que, apesar das diversas dificuldades enfrentadas, conquistaram sucesso em suas áreas de atuação e inspiram outras pessoas a serem quem realmente são.

Os protagonistas do documentário:

  • Jupi77er: MC, compositor e empreendedor.
  • Gabriel Romão: TEDxSpeaker.
  • Alexandre Kiyohara: publicitário.
  • Erika Hilton: política, deputada federal eleita e ativista.
  • Ariel Bernardi: baritonista.
  • Carolina Iara: travesti, intersexo, codeputada estadual e ativista.
  • Rô Vicentte: trans não-binária, artista e comunicadora.

Ficha Técnica

Direção: Ana Melquiades, PH Silva, Rô Vicentte e Thais Carvalho

Produção executiva: Rô Vicentte

Diretora de Produção: Thais Carvalho

Co-Produtora: Ana Melquiades
Produção de Set: Ana Melquiades, Thais Carvalho e Rô Vicentte
Cinegrafista: PH Silva

Técnico de som: Luccas ZM

Assistente de produção: Leninha Silva

Still making of: Gael Ferreira

Trilha Sonora / Sound Designer : Luccas ZM
Edição de vídeo: Amanda Carpá

Edição de som: Luccas ZM

Designer: Aurora Jamelo

Entrevistados: Alexandre Kiyohara, Ariel Bernardi, Carolina Iara, Erika Hilton, Gabriel Romão, Jupi77er e Rô Vicentte

Classificação: 14 anos

Estreia

Local: Galeria Olido (Centro)

Data: 18/06 – 20h (terça-feira)

Endereço: Av. São João, 473 – Centro Histórico de São Paulo
 

A Casa 1 é uma organização localizada na região central da cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civil. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando as interseccionalidade do universo plural da diversidade. Contamos com três frentes principais: república de acolhida para jovens LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsos de casa, o Galpão Casa 1 que conta com atividades culturais e educativa e a Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos e terapias complementares, com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

Notícias Relacionadas

Renata Peron lança biografia com dramatização e roda de autógrafos

Mutirão em Minas Gerais oferece retificação de nome para travestis ...

Por que nova portaria do Ministério da Saúde é boa para pessoas trans

MST realiza o 1º Encontro Nacional de Travestis e Transexuais Sem T...

Primeira parlamentar travesti no estado do Rio de Janeiro lança liv...

1ª ‘Marsha’ Trans, em Brasília, teve presença de deputadas federais...

‘Desnecessária’: Alesp encerra CPI da Transição de Gênero sem concl...

Com curadoria de Mel, Casa 1 realiza VII Semana de Visibilidade Tra...

Sesc São Paulo e Revista Cult realizam o Seminário Identidades Tran...

Exigir cirurgia para trans irem a prisões femininas é política tran...

A medicina está preparada para atender pessoas trans? A resposta é não

No RS, pessoas trans e travestis podem retificar o registro civil d...