BLOG

Grande Vencedor do Festival do Rio, Paloma tem sessões na Mostra de São Paulo

Kika Sena é a primeira trans vencedora do Troféu Redentor de Melhor Atriz, pelo longa que chega aos cinemas em 10 de novembro 

PALOMA, de Marcelo Gomes, foi consagrado como o Melhor Longa da mostra competitiva da Première Brasil do Festival do Rio de 2022. O filme também levou os troféus de Melhor Atriz, para Kika Sena, que interpreta a personagem-título, e o Prêmio Félix, concedido a obras com temática LGBTQIA+. 

Agora, o longa será exibido na 46a Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, que começa na próxima quarta (19). Mais informações sobre as sessões, no final do release. E PALOMA estreia em circuito nacional no dia 10 de novembro. 

Arte-educadora, diretora teatral, poeta e performer brasileira, Kika Sena se torna a primeira atriz transexual a receber o prêmio no Festival do Rio, e ela afirma que o Troféu Redentor é “uma oportunidade para os corpes trans estarem em todos os lugares e não só onde a sociedade acha que podemos estar” 

Produzido pela pernambucana Carnaval Filmes, em coprodução com a portuguesa Ukbar Filmes, o longa será lançado em cinemas pela Pandora Filmes, e já foi exibido em festivais internacionais, em cidades como Londres e Huelva, o filme fez sua première mundial no Festival de Munique em julho passado. 

Roteirizado por Gomes, Armando Praça e Gustavo Campos, PALOMAparte de uma história real, que o diretor leu num jornal, e tem como protagonista Kika Sena, arte-educadora, diretora teatral, atriz, poeta e performer, interpretando Paloma, uma mulher trans que trabalha como agricultora no sertão de Pernambuco. 

Seu maior sonho é se casar na igreja católica, com seu namorado Zé (Ridson Reis). Eles já vivem juntos, e criam uma filha de 7 anos chamada Jenifer (Anita de Souza Macedo). O padre, porém, recusa o pedido, mas nem por isso Paloma desistirá de realizar seu sonho. 

Porém, precisará enfrentar o preconceito e o conservadorismo para realizar esse seu desejo. O roteiro partiu de uma notícia que o diretor leu num jornal sobre uma mulher trans que sonhava em casar numa igreja católica com véu e grinalda. 

Em sua equipe artística, PALOMAconta Pierre de Kerchove (“Eu quero voltar sozinho, “Joaquim”), na direção de fotografia; Rita M. Pestana (“Fortaleza Hotel”) assina a montagem; e a direção de arte é de Marcos Pedroso (“Cinema, Aspirinas e Urubus, “Madame Satã”). O casting foi feito por Maria Clara Escobar. E preparação de elenco por Silvia Lourenço. A produção do filme é de João Vieira Jr. e Nara Aragão. 

SESSÕES DE PALOMA NA 46ª MOSTRA: 

CINE MARQUISE Sala 1 – 25/10/22 – 21:15 

CINE MARQUISE Sala 2 – 27/10/22 – 17:00 

Sinopse 

Paloma é uma mulher trans que está decidida a realizar seu maior sonho: um casamento tradicional, na igreja, com o seu namorado Zé. Ela trabalha duro como agricultora numa plantação de mamão, e está economizando para pagar a festa. A recusa do padre em aceitar seu pedido obrigará Paloma a enfrentar a sociedade rural. Ela sofre violência, traição, preconceito e injustiça, mas nada abala sua fé. 

Ficha Técnica 

Direção:Marcelo Gomes 

Roteiro:Marcelo Gomes, Armando Praça e Gustavo Campos 

Produzido por: João Vieira Jr. e Nara Aragão 

Coprodutores: Pandora da Cunha Teles, Pablo Iraola e Ernesto Soto Canny 

Produtores Associados: Paula Cosenza, Caio Gullane e Fabiano Gullane 

Elenco:Kika Sena, Ridson Reis, Zé Maria, Suzy Lopes, Ana Marinho, Samya de Lavor, Wescla Vasconcellos, Patrícia Dawson, Nash Laila, Márcio Flecher, Buda Lira, Anita de Souza Macedo 

Direção de Fotografia: Pierre de Kerchove 

Montagem: Rita M. Pestana 

Direção de Arte: Marcos Pedroso 

Coprodução:Carnaval Filmes, Gullane, Misti Filmes, Ukbar Filmes, REC Produtores. 

Distribuição no Brasil: Pandora Filmes. 

Agente de Venda Internacional:Memento International 

Locações: filmado na cidade do Crato (sertão do Cariri, Ceará) e na Ilha de Itamaracá (Pernambuco). 

Gênero: drama 

Sobre Kika Sena 

Kika Sena é atriz, arte-educadora, diretora teatral, poeta e performer brasileira. Graduada em Licenciatura em Artes Cênicas pela Universidade de Brasília (UnB) e mestranda em Teoria em Prática das Artes Cênicas pela Universidade Federal do Acre, Kika Sena é pesquisadora nas áreas de gênero, sexualidade, raça e classe. A partir de 2015, vem desenvolvendo pesquisas relacionadas à área de voz e palavra em performance com cunho político referente ao corpo da mulher trans e travesti na cena teatral e social brasileira. Em 2017 lançou o livro Periférica, pela Padê Editorial, antecedido por Marítima, 2016, publicação independente. Sua publicação mais recente, também de forma independente, é a zine Subterrânea, de 2019. Também em 2019 dirigiu o espetáculo teatral Transmitologia (DF). Já em 2020, em parceria com AsAguadeiras, dirigiu o espetáculo teatral “DesQuite”(AC). Seu trabalho teatral mais recente é o espetáculo Ovelha Dolly (AC), dirigido por Sarah Bicha. 

Sobre Marcelo Gomes 

Cineasta nascido em Recife, teve seus primeiros contatos com o cinema como participante de um cineclube. Em 2002, foi corroteirista do longa-metragem Madame Satã, de Karim Aïnouz. Em 2005, lançou seu primeiro longa-metragem, Cinema, aspirinas e urubus, selecionado para a mostra Um Certo Olhar do Festival de Cannes. Em 2012, dirigiu e roteirizou Era uma vez eu, Verônica, filme vencedor de sete prêmios no Festival de Brasília. O homem das multidões (2013), codirigido com Cao Guimarães, foi selecionado para a mostra Panorama do Festival de Berlim. Seu filme de ficção mais recente, Joaquim (2017), foi selecionado para a competição pelo Urso de Ouro na Berlinale. Seu documentário Estou me guardando para quando o carnaval chegar estreou nos cinemas em 2019, e ganhou diversos prêmios, entre eles Melhor Documentário no Festival Melhores do Ano do Sesc, e Melhor Documentário e Melhor Montagem, no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. 

Sobre a Carnaval Filmes 

A Carnaval Filmes é uma empresa produtora de audiovisual sediada no Recife, fundada e dirigida por Nara Aragão e João Vieira Jr. Atuando na produção cinematográfica, de conteúdo televisivo e dialogando com outras áreas de criação artística e da cocriação em música, teatro, fotografia e literatura, através da troca com talentos de outros estados e países. A Carnaval atualmente produz a série de animação “Bia Desenha”, o documentário “Estou Me Guardando Para Quando o Carnaval Chegar” e os longas “Paloma”, “Fim de Festa” “Greta Garbo”, em finalização. 

Sobre a Pandora Filmes 

A Pandora é uma distribuidora de filmes independentes que há 30 anos busca ampliar os horizontes da distribuição de filmes no Brasil revelando nomes outrora desconhecidos no país, como Krzysztof Kieślowski, Theo Angelopoulos e Wong Kar-Wai, e relançando clássicos memoráveis em cópias restauradas, de diretores como Federico Fellini, Ingmar Bergman e Billy Wilder. Sempre acompanhando as novas tendências do cinema mundial, os lançamentos recentes incluem “O Apartamento”, de Asghar Farhadi, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro; e os vencedores da Palma de Ouro de Cannes: “The Square – A Arte da Discórdia”, de Ruben Östlund e “Parasita”, de Bong Joon Ho. 

Paralelamente aos filmes internacionais, a Pandora atua com o cinema brasileiro, lançando obras de diretores renomados e também de novos talentos, como Ruy Guerra, Edgard Navarro, Sérgio Bianchi, Beto Brant, Fernando Meirelles, Gustavo Galvão, Armando Praça, Helena Ignez, Tata Amaral, Anna Muylaert, Petra Costa, Pedro Serrano e Gabriela Amaral Almeida. 

A Casa 1 é uma organização localizada na região central da cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civil. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando as interseccionalidade do universo plural da diversidade. Contamos com três frentes principais: república de acolhida para jovens LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsos de casa, o Galpão Casa 1 que conta com atividades culturais e educativa e a Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos e terapias complementares, com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

Notícias Relacionadas

Coletivo AMEM apresenta “Ball: Isso é Baile”, na Fábric...

BICHADOS, da Cia. Artera de Teatro, faz temporada na Oficina Cultur...

Casa 1 realiza VII Feira de Empregabilidade Trans, Travesti e Não B...

Ball Vera Verão cria Vera Verso em sua sétima edição

Casos de violência contra lésbicas aumentaram 50% em oito anos, mos...

O que diz nova resolução do Governo de SP sobre pessoas LGBT+ no si...

Em 2024, Masp terá programação focada na diversidade LGBTQIA+

Conselho Nacional orienta as preparatórias para a 4ª Conferência Na...

A história pioneira de João W. Nery em seus livros de memórias

Mahmundi faz show de sua nova turnê Amor Fati na Casa Natura Musical

Casa 1 realiza primeira chamada aberta do ano para educadores e ofi...

23ª Feira Cultural da Diversidade LGBT+ está confirmada: inscrições...