BLOG

Coletivo AMEM apresenta “Ball: Isso é Baile”, na Fábrica de Cultura do Capão Redondo com entrada gratuita

Celebrando figuras que impulsionam a dança nas periferias de todo o mundo, evento acontecerá, gratuitamente, em 27 de abril

O Coletivo AMEM, grupo multidisciplinar de artes negras LGBTQIAPN+, está de volta com a aguardada “Ball: Isso é Baile”, evento que promete honrar as raízes das danças, movimentos e grupos que têm moldado o panorama cultural do Capão Redondo e outras periferias. O evento, que faz parte das celebrações do aniversário de 112 anos do Capão Redondo, acontecerá na Fábrica de Cultura local. 

Marcado às vésperas do Dia Internacional da Dança, comemorado dia 27 de abril, o evento anual traz 10 categorias de dança e se destaca por reunir Houses da cena Kiki Ballroom, destacando as identidades trans, negras, latinas e periféricas que deslumbram nas passarelas com suas performances. 

A diversidade será o foco dessa festa, na qual todos os públicos são convidados a participar e vivenciar a autenticidade e energia contagiante da cultura Ballroom. A noite começa com muita discotecagem dos DJ’s Kaim e Aya, aquecendo a pista ao som de hip hop, funk e house music. 

O evento ainda recebe os shows de duas artistas do Capão. Harlley, ex-integrante do Quebrada Queer e que prepara o lançamento de seu primeiro disco solo com a música “Valer A Pena?”, além da princesa do bate-cabelo Natasha Princess, que traz sua performance para a passarela, além de ser tema de uma das categorias. 

A mesa de júri é composta por figuras renomadas na cena Kiki Ballroom, como Brunessa Loppez, moradora do Capão – conhecida na comunidade como ‘Statement Cussy Candace’ -, e Legendary Ágatha La Raia, moradora do Cantinho do Céu, bairro da periferia sul. Todes trazendo seus olhares para avaliar e reconhecer talentos que brilharão nas diversas categorias exclusivamente de dança. No comando do microfone, a Ball traz Legendary Biel Lima, artista integrante do Coletivo AMEM como anfitrião da Ball, ao lado de Legendary Zaila Candace e Star Tasha Dengo que vão trazer seus chants para impulsionar o público e performers, apresentando as categorias de ‘Vogue’, ‘Samba no Pé’, ‘Brega Funk vs Megão’ e outras.

“A AMEM traz a união das artes periféricas e diversidade da comunidade LGBTQIAPN+ preta e latina de forma sintetizada em uma Ball. O que iremos levar vai pra além da experiência de viver a cultura Ballroom na quebrada. A nossa proposta é enaltecer, no Dia Mundial da Dança, nomes importantes na construção da nossa cultura, sabe? Nomes que geralmente são deixados de lado pelo fato de serem de pessoas periféricas, pretas e LGBTQIAPN+, mas que fizeram e fazem toda a diferença. Então, é certo dizer que o que levaremos, é o puro suco da diversidade dentro da quebrada.”, destaca Biel Lima, cofundador do coletivo AMEM.

Na primeira edição, que aconteceu em abril de 2023 na Praça das Artes, a Ball se inspirou em figuras emblemáticas da dança, como os relíquias do passinho no Rio de Janeiro, o bailarino negro gay Ismael Ivo, a primeira bailarina trans do teatro municipal Marcia Dailyn e, também, Cindy Campbell, B-Girl considerada a mãe do hip hop.

Nessa edição especial, a Ball trará categorias que celebram figuras que movem a dança e as artes no Capão Redondo e outras periferias do mundo, como o legado das artes afro brasileiras da Família Trindade, o Dancehall de Mis Ivy, a força e sensualidade da poesia de Tula Pilar, a moda periférica de Loyal, a Dança da Indignação da Cia Sansacroma, o Rap dos lendários Racionais Mcs e outros temas inspirados nas artes produzidas pelas ruas e esquinas do Capão Redondo.

SERVIÇO 

‘2ª Ball Isso é Baile’

Data: 27 de abril de 2024

Local: Fábrica de Cultura Capão Redondo (Rua Algard, 82 – Conj. Hab. Jardim São Bento)

Horário: 16h às 21h

Entrada gratuita

Foto de capa: Cintia Rizoli

A Casa 1 é uma organização localizada na região central da cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civil. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando as interseccionalidade do universo plural da diversidade. Contamos com três frentes principais: república de acolhida para jovens LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsos de casa, o Galpão Casa 1 que conta com atividades culturais e educativa e a Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos e terapias complementares, com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

Notícias Relacionadas

Encontro de Lutas: confluências entre o Dia Internacional de combat...

VoteLGBT participa do WebSummit Rio

23ª Feira Cultural da Diversidade LGBT+ transforma o Memorial da Am...

Espetáculo LGBT+ estreia gratuitamente em bibliotecas de SP

Sem apoio institucional, professores de SP combatem LGBTfobia com c...

Movimento Indígena LGBTQIAPN+ lança manifesto durante Acampamento T...

Marina Lima celebra sua carreira em show único na Casa Natura Music...

Premiado filme espanhol, “20.000 espécies de abelha” se...

10 formas de saber mais sobre Libras e a comunidade surda

“Amor e outras Revoluções”, peça inspirada em obra de b...

28ª Parada do Orgulho LGBT+ de São Paulo, que acontece dia 2 de jun...

Conheça o Clube do Livro “Pomar”, o clube de leitura da...