BLOG

Espetáculo LGBT+ estreia gratuitamente em bibliotecas de SP

A cidade de São Paulo será palco de uma série de apresentações teatrais voltadas para a comunidade LGBTQIA+ como parte do Programa Biblioteca Viva. O espetáculo “Rosa Winkel ou uma canção de (des)amor para dois microfones” estreia em bibliotecas públicas entre os dias 8 e 24 de maio de 2024, com entrada gratuita para o público. Esta peça buscar explorar as relações afetivas entre pessoas LGBTQIA+ e incentivar a reflexão sobre amor e identidade, desafiando preconceitos.

“Rosa Winkel” é parte de uma programação especial organizada pela Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo e pela Prefeitura, visando combater a homofobia e promover a inclusão. O enredo do espetáculo gira em torno de um casal em sua janela, que observa e é observado por um “homenzinho de terno azul” parado em um edifício. A ideia é simbolizar um olhar externo sobre a relação do casal.

A peça também aborda temas como a monogamia e a heteronormatividade, questionando se o casamento entre pessoas do mesmo sexo é uma forma de resistência ou de conformidade. A linguagem sonora é um ponto forte do espetáculo, com os microfones servindo como extensões das vozes dos “atores-performers-gays”.

Sinopse

Em um antigo apartamento, um casal observa, da sua janela, um homenzinho de terno azul que permanece imóvel no edifício à frente por anos a fio. Enquanto lidam com os desafios de um relacionamento aparentemente desgastado, começam a questionar a relevância das convenções sociais. À medida que “UM” pondera a ideia de partir, o “OUTRO” implora por tempo e paciência. Enquanto isso, o homenzinho de terno azul desaparece da visão deles. Ele se joga. O que o futuro reserva a partir deste momento crucial?

Inspirações para a obra

O espetáculo “Rosa Winkel” foi criado por Murillo Marques, durante sua participação no 18º Núcleo de Dramaturgia do Sesi, e pode ser vista como uma autoficção que mergulha no fim de um relacionamento amoroso. Ela aborda a importância do direito ao casamento para a comunidade LGBTQIA+, uma conquista legal reconhecida no Brasil desde 2011 pelo Supremo Tribunal Federal e reforçada em 2013 pelo Conselho Nacional de Justiça.

A obra é inspirada pelo livro “Fragmentos de um Discurso Amoroso“, de Roland Barthes, que influencia a abordagem do amor como um tema público.

Programação

Para aqueles interessados em explorar mais sobre esta peça, ela será apresentada em várias bibliotecas pela cidade. No quarta-feira (08), o espetáculo estará presente na Biblioteca Paulo Setúbal, na Vila Formosa, enquanto na sexta-feira (10), ele chega à Biblioteca Infantojuvenil Monteiro Lobato, no Centro.

Já no dia 15 de maio, a apresentação ocorre na Biblioteca Brito Broca, em Pirituba, enquanto no dia 17, estará disponível na Biblioteca Pública Municipal Anne Frank, no Itaim Bibi e no dia 18, na Biblioteca Raul Bopp, no Centro.

A última apresentação da temporada acontecerá na Biblioteca Cassiano Ricardo, no Tatuapé, em 24 de maio.

Os ingressos são gratuitos e mais detalhes estão disponíveis no Instagram oficial do espetáculo.

Foto de capa: divulgação/ Rafael de Sá

A Casa 1 é uma organização localizada na região central da cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civil. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando as interseccionalidade do universo plural da diversidade. Contamos com três frentes principais: república de acolhida para jovens LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsos de casa, o Galpão Casa 1 que conta com atividades culturais e educativa e a Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos e terapias complementares, com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

Notícias Relacionadas

Instituições fazem mapeamento de candidaturas LGBTQIAPN+ para as el...

Com o tema “Aquilombar é Cura”, a Parada Preta 2024 aco...

Especialistas discutem os principais desafios de empregabilidade LG...

Pesquisa apresenta as maiores dificuldades das instituições LGBTQIA...

CUT lança cartilha de formação sindical como foco em pessoas trans

No fim das contas, ser orgulhosamente LGBTQIAPN+ era só moda mesmo

Senado aprova texto que cria recurso de proteção para LGBTQIA+ enca...

Ministério destina R$ 8,5 milhões em ações para população LGBTQIA+

‘A bandeira é nossa’: Parada do Orgulho LGBT+ leva verde e amarelo ...

Com programação especial, Casa Natura Musical celebra o Mês do Orgu...

Com texto e direção de Rodrigo França, espetáculo Angu combate este...

Especulação imobiliária e marchinhas de carnaval temperam a comédia...