Todas as atividades são gratuitas e seguem veiculadas pelos canais digitais do programa

Curtas e documentários com diversas temáticas, entre elas, a tradição quilombola, a reinvenção de imaginários sociais sobre corpos trans e travestis, e os impactos da pandemia de Covid-19 na população em vulnerabilidade social, serão exibidos pelas Fábricas de Cultura – unidades da zona norte e sul de São Paulo, inclusive Diadema, programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerenciado pela Poiesis.

As transmissões ocorrerão via canal de YouTube do programa que é voltado à fruição e formação cultural e artística da população das periferias da capital e região metropolitana de São Paulo. No dia 10 de agosto, terça-feira, a partir das 18h, o curta-metragem Janelas pelo mundo – AM to PM, com Bia Oliveira como diretora e roteirista, foca em quatro mulheres brasileiras que vivem em diferentes países, que encontram na arte uma forma de encarar o isolamento social, além de contar com citações de textos da escritora Clarice Lispector, que em 2020 teve seu centenário de nascimento celebrado.

Captado por telefone celular e com auxílio de plataformas digitais de chamadas, o curta foi produzido pela One Word Media, produtora situada em Los Angeles, e estrelado pelas atrizes Ana Barreiros, no Brasil, Nathalia Santoro, nos Estados Unidos, Vicktoria Túrmina, no México, e Anne Louise Okretic, na França.

Para destacar a cultura periférica, a música independente, a poesia, o reggae e a fotografia, o coletivo Conexão PhotoSound criou curtas que também serão exibidos pelas Fábricas de Cultura. O curta Conexão PhotoSound convida Rasfilmes & Mell Gonçaves, que será veiculado no dia 11 de agosto, quarta-feira,  às 18h, levanta reflexões a respeito da ligação entre a música e a fotografia, por meio de registros e a importância da conservação de documentos audiovisuais que retratam a potência da cultura reggae.

No dia 19, quinta-feira, às 19h, é a vez da exibição do curta Conexão PhotoSound edição artefatos e afeto convida Nomah Diê e David Hubbard. Essa produção,em parceria com Estéticas das Periferias – um evento anual que incentiva a arte e a cultura nas bordas da cidade de São Paulo – traz a cultura periférica, a música independente, a fotografia e a poesia para todxs, com a presença de Nomah Diê e sua potente poesia e David Hubbard e seu poderoso reggae caribenho.

Dicampana Foto Coletivo também apresenta dois curtas que produziu sobre as adaptações impostas para se viver frente aos contextos como o desemprego e a pandemia, com destaque para os impactos na população em vulnerabilidade social. No dia 12 de agosto, quinta-feira, às 16h, ocorre a exibição de É pandemia, para onde vou? que retrata a crise de Covid-19, o aumento do número de famílias sem-teto e acompanha a luta de mais de 800 famílias na Ocupação Jardim Julieta, onde se deparam com uma rotina de medo e incertezas no Parque Novo Mundo, localizado na zona norte de São Paulo.

E no dia 13/08, sexta, às 16h, o coletivo traz o curta Por conta própria retratando a contradição da cidade de São Paulo, considerada entre as potências da América Latina e, ao mesmo tempo, não comporta o volume de trabalhadores que precisam buscar formas de sobrevivência no mercado informal, entre eles, os vendedores ambulantes.

Já o curta-metragem Tenebrosas?, com direção de Jhonatan Bào, compartilha a autoinvestigação de quatro pessoas trans e será exibido em 12 de agosto, quinta-feira, às 18h. A partir de um recorte poético, a proposta é reformular imaginários sociais que geralmente são direcionados aos corpos trans e travestis.

No dia seguinte, 13/08, também às 18h, o curta Da alegria, do mar e de outras coisas, baseado em fatos reais, conta a história de Nem Glamour, travesti que faz shows na noite e que ao testemunhar um crime que tirou a vida de Joy, travesti e sua melhor amiga, foi obrigada a fugir do Brasil. A direção é de Ceci Alves.

Com direção e produção da equipe da Fazenda Roseira, o mini-documentário Fazenda Roseira e Jongo Dito Ribeiro em Campinas aborda o Jongo, dança de roda africana praticada especificamente na cidade de Campinas, como se deu o desenvolvimento da comunidade Jongo Dito Ribeiro e as ações realizadas na Casa de Cultura Fazenda Roseira para valorizar essa expressão afro-brasileira. A exibição está agendada para 18 de agosto, quarta-feira, às 19h.


Denise Szabo, documentarista, gestora cultural e concentrada na produção de filmes que abordam a memória, as questões ambientais, a valorização da ciência e do conhecimento, divide com o público das Fábricas dois filmes que dirigiu. No dia 18/08, às 20h, chega com o filme Águas Passadas, contando a história do ABC paulista por meio da redescoberta dos rios da região. A observação dessas cidades industriais também identifica que são grandes mananciais, com rios que ainda resistem em alguns locais. Neste trabalho contou com a produção de Lucas Migliorini, ator, coreógrafo, diretor cênico e estudante de audiovisual.

No dia 20/08, às 19h, Szabo vem com o documentário Cartas para Cecília, produção audiovisual que dirigiu e voltada à mulher nordestina, migrante e da terceira idade. Cecília, personagem central, conta parte da própria trajetória com as cartas que ela e o marido Constantino trocaram entre 1949 e 1951, quando namoraram a distância. Ela em Itabaiana, agreste sergipano, e ele em São Caetano do Sul, no ABC paulista.

No dia 27 de agosto, sexta, às 17h, será exibido o episódio 1 da websérie Mestre Lumumba – terra, cultura e liberdade, conteúdo audiovisual produzido durante a pandemia de Covid-19 por Pablo Vinícius Paternostro e em São Luiz do Paraitinga (SP). Neste episódio, a narrativa é focada na memória e na tradição quilombola pelos saberes de Babá Lumumba, griot da Comunidade Cultural Lê Asè Omò Ayé.

—-

Para ficar por dentro de toda a agenda de agosto, acesse o site das Fábricas de Cultura ou o hotsite +Cultura.

SERVIÇO:

EXIBIÇÃO DO CURTA: JANELAS PELO MUNDO – AM TO PM | DIREÇÃO: BIA OLIVEIRA
10/08 – terça-feira – 18h às 19h
Faixa etária: maiores de 12 anos
Plataforma: YouTube

EXIBIÇÃO DO CURTA: CONEXÃO PHOTOSOUND CONVIDA RASFILMES & MELL GONÇALVES
Cinema
11/08 – quarta-feira – 18h às 19h
Faixa etária: Livre
Plataforma: YouTube


EXIBIÇÃO DO CURTA: CONEXÃO PHOTOSOUND EDIÇÃO ARTEFATOS E AFETO CONVIDA NOMAH DIÊ E DAVID HUBBARDCinema
19/08 – quinta-feira – 19h às 20h
Faixa Etária: Livre

Plataforma: YouTube

CURTAS DO DICAMPANA FOTO COLETIVO:

É PANDEMIA, PARA ONDE EU VOU?

POR CONTA PRÓPRIA
12/08 – quinta-feira – 16h às 17h30 – É pandemia, para onde eu vou?

13/08 – sexta-feira – 16h às 17h30 – Por conta própria
Faixa etária: Livre
Plataforma: YouTube

EXIBIÇÃO DO CURTA: TENEBROSAS? | DIREÇÃO: JHONATAN BÀO
12/08 – quinta-feira – 18h às 19h
Faixa etária: Livre
Plataforma: YouTube

EXIBIÇÃO DO CURTA: DA ALEGRIA, DO MAR E DE OUTRAS COISAS | DIREÇÃO CECI ALVES
13/08 – sexta-feira – 18h às 19h
Faixa etária: a partir de 16 anos
Plataforma: YouTube


EXIBIÇÃO DO CURTA: FAZENDA ROSEIRA E JONGO DITO RIBEIRO EM CAMPINAS | DIREÇÃO E PRODUÇÃO: FAZENDA ROSEIRA
18/08 – quarta-feira – 19h às 20h
Faixa etária: livre
Plataforma: YouTube

EXIBIÇÃO DO FILME: ÁGUAS PASSADAS | DIREÇÃO: DENISE SZABO
18/08 – quarta-feira – 20h às 21h
Faixa Etária: Livre
Plataforma: YouTube

EXIBIÇÃO DO CURTA: CARTAS PARA CECÍLIA | DIREÇÃO: DENISE SZABO
20/08 – sexta-feira – 19h às 20h
Faixa etária: Livre
Plataforma: YouTube

EXIBIÇÃO DO EP 1 DA WEBSÉRIE: MESTRE LUMUMBA- TERRA, CULTURA E LIBERDADE | PRODUÇÃO: PABLO VINÍCIUS PATERNOSTRO
27/08 – sexta feira – 17h
Faixa etária: Livre
Plataforma: YouTube

——–

Fábrica de Cultura Brasilândia
Avenida General Penha Brasil, 2508  | Telefone: (11) 3859-2300

Fábrica de Cultura Capão Redondo

Rua Bacia de São Francisco, s/n | Telefone: (11) 5822-5240

Fábrica de Cultura Diadema
Rua Vereador Gustavo Sonnewend Netto, 135 – Centro – Diadema/SP | Telefone: (11) 4061-3180

Fábrica de Cultura Jaçanã
Entrada 1: Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138 | Entrada 2: Rua Albuquerque de Almeida, 360 | Telefone: (11) 2249-8010

Fábrica de Cultura Jardim São Luís
Rua Antônio Ramos Rosa, 651 | Telefone: (11) 5510-5530

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha
Rua Franklin do Amaral, 1575 | Telefone: (11) 2233-9270

Acessibilidade: as Fábricas de Cultura Vila Nova Cachoeirinha, Brasilândia, Jaçanã, Capão Redondo, Jardim São Luís e Diadema oferecem rampa de acesso para pessoas com mobilidade reduzida, elevador, sanitários acessíveis, piso táctil, equipamentos que permitem a leitura para pessoas com deficiência visual e motora, impressoras braile, leitor de audiobooks e acervo com mais de 110 exemplares em braille (livros e áudio-books).

E-mail: contato@fabricasdecultura.org.br

SOBRE AS FÁBRICAS DE CULTURA

As Fábricas de Cultura são espaços de acesso gratuito que disponibilizam diversas atividades artísticas. Criadas com o objetivo de ampliar o conhecimento cultural por meio da interação com a comunidade, as Fábricas oferecem uma programação cultural diversificada. Nas unidades você encontrará cursos, atividades, bibliotecas e estúdios de gravação. Em 2020 e 2021, o Programa Fábricas de Cultura – instituições da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, gerenciadas pela Poiesis – conta com o patrocínio do Instituto Center Norte por meio da Lei Rouanet. O apoio contribui para a realização de atividades de formação e difusão cultural.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Foto de capa: frame do documentário Da alegria, do mar e de outras coisas, de Ceci Alves.

Compartilhe:

Por Casa 1

A Casa 1 é uma organização localizada na região central da cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civil. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando as interseccionalidade do universo plural da diversidade. Contamos com três frentes principais: república de acolhida para jovens LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsos de casa, o Galpão Casa 1 que conta com atividades culturais e educativa e a Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos e terapias complementares, com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *