No dia 25/4, a Comunidade Aracaçá na Terra Indígena Yanomami em Roraima, denunciou o sequestro, estupro e assassinato de uma criança de 12 anos e sequestro de uma criança de três anos por garimpeiros que estão ilegalmente no território

O crime repercutiu nas redes sociais, jogando luz às violências sofridas por essa comunidade que tem sua existência ameaçada por conta do garimpo clandestino há muito tempo.

Na noite do dia 29/4, Júnior Hekurari Yanomami, presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami e Ye’kwana (Condisi-YY), foi até a aldeia e encontrou o terreno em chamas e vazio. 24 pessoas residiam na área.

Não se sabe ainda se os indígenas deixaram o espaço ameaçados ou se foi por conta própria. Culturalmente, algumas comunidades queimam o corpo do ente morto e partem para um novo espaço. Também não se sabe como começou o fogo, se foi por parte dos indígenas, dos garimpeiros ilegais ou um acidente por conta do ritual. 

Em sua visita, Júnior encontrou dois indígenas da comunidade que não quiseram se manifestar. Eles disseram que receberam 5 gramas de ouro para não comentar o caso.

A Polícia Federal e o Ministério Público Federal relataram que não há indício de estupro ou desaparecimento das crianças. Os órgãos irão seguir com a investigação para melhor esclarecimento dos fatos

Após visitar a comunidade e constatar que um ritual de despedida foi realizado, um corpo foi queimado e a comunidade se retirou do local, a FUNAI divulgou uma nota dizendo que “Autoridades federais não encontraram indícios de crimes contra mulheres e crianças na Terra Indígena Yanomami”.

Em abril, a Hutukara Associação Yanomami lançou o relatório “Yanomami Sob Ataque: Garimpo Ilegal na Terra Indígena Yanomami e propostas para combatê-lo”. Acesse o documento.

11 organizações indígenas para conhecer e apoiar

Associação das Mulheres Yanomami – KumirayomaAMY Kumirayoma
Associação de Pais e Mestres ComunitáriosAPMC
Associação do Povo Ye’Kuana do BrasilAPYB
Associação TexoliTANER
Associação Yanomami do Rio Cauaburis e AfluentesAYRCA
Associação Yanomami do Rio Marauiá e do Rio PretoKURIKAMA
Círculo de Pais e Mestres Escola Estadual (Indígena) Apolinário GimenesCIPAMESAG
Federação das Organizações Indígenas do Rio NegroFOIRN
Hutukara Associação YanomamiHAY
Hwenama Associação dos Povos Yanomami de RoraimaHAPYR
Organização dos Povos Indígenas de RoraimaOPIR

Foto de capa: Divulgação/ A Última Floresta

Por Thais Eloy

Taubateana e Jornalista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *