BLOG

Sesc Bom Retiro enaltece importância das mulheres na música com o projeto Músicas na Música

O projeto valoriza as mulheres, com ênfase nos instrumentos e nas composições, além de mostrar a diversificação de suas obras e ampliar a pluralidade de suas expressões 

O projeto pretende refletir sobre as discrepâncias em relação à participação feminina no mercado musical brasileiro, como no aspecto do protagonismo autoral, pois elas representam apenas 7% da arrecadação em direitos autorais, segundo os dados do ECAD. Outro ponto é a profissionalização enquanto instrumentista, que revela percursos históricos marcados por desigualdades e machismos, entre falta de incentivo e dificuldades na priorização da dedicação à carreira.    

A programação evidencia essa realidade e procura valorizar as mulheres, com ênfase nos instrumentos e nas composições, além de mostrar a diversificação de suas obras e amplificando a pluralidade de suas expressões, em abril, shows diversos em todos os finais de semana, fazem parte da programação: além dos shows, a aula-show Cavaco e Bandolim, com a cantora Nilze Carvalho, que compartilha sua trajetória entre o choro e o samba, apresentando repertório nos dois instrumentos. Dia 28/4, sexta, das 18h30 às 20h. 

Confira a programação de Abril abaixo: 

A cantora Ayô Tupinambá apresenta o show Canto pra sobreviver, uma celebração da vida de pessoas trans. Através das transavivências, a artista Ayô Tupinambá revisita, em formato de show, sua própria história, seu corpo, suas emoções e afetividades, tendo como referência as fases de sua vida e o início de sua transição na perspectiva de uma travesti, preta gorda e periférica.  

Ayô Tupinambá é travesti, preta, gorda e periférica. Formada em Canto Popular e estudante de Regência Musical pela Etec de Artes. Dentro de sua pluralidade artística, está presente nas artes do canto, teatro e literatura. Participou dos grupos Tirésias e Encontro de Saberes na UFRN-Universidade Federal do Rio Grande do Norte, pesquisando sobre gênero e sexualidades. A artista ainda atua enquanto diretora e roteirista do espetáculo “Travestis na MPB” fruto de suas pesquisas acadêmicas e lançou quatro músicas: “Canto pra Sobreviver”, “Ancestravas” ,”Inteire” e”Cabrera”, disponível em todas as plataformas digitais e tem apresentado seu show em diversos
festivais e espaços culturais como CCSP, Vila Itororó, CCD e o Auditório do Parque Ibirapuera, além de ministrar palestras, cursos e rodas de conversas em eventos corporativos. O repertório desse show são músicas autorais, músicas de composições de alguns compositores amigos e alguns clássicos da mpb.  Dia 15/4, sábado, das 17h às 18h30. Grátis. Livre. Sem necessidade de retirada de ingressos. 

Até 1 de maio, o Sesc Bom Retiro vai receber diversos shows:  

Em Vertentes Violeiras, com Marina Ebbecke, Vitória da Viola e Mel Moraes, é um encontro de violeiras com apresentação de diferentes timbres da tradicional viola caipira com arranjos em solos, duos e trios, que vão do pop à música regional. Nessa estreia do projeto o trio toca repertório autoral e releituras de canções consagradas do instrumento.  Dia 21/4, sexta, das 16h às 17h15 

A cantora Bruna Alimonda apresenta o show Estado Febril, primeiro álbum solo da cantora e compositora, o disco tem como característica principal o discurso sobre o amor em sua pluralidade. Como mulher lésbica nordestina, recorre ao amor como refúgio e faz dele tema de suas canções. Com nove músicas autorais, a sonoridade vai do brega de recife aos ritmos latino-americanos que se misturam com a MPB, ritmo berço da arista.  Dia 22/4, sábado, das 17h às 18h30 

Show da Praça é com a cantora Aíla com o show da turnê Sentimental, apresenta repertório da música pop da Amazônia pulsa bem dentro da alma em “Sentimental”, terceiro álbum da cantora e compositora paraense Aíla. O show conta com a participação de Fafá de Belém. Nascida na Terra Firme, periferia de Belém, a artista traz os sons das bordas do Brasil para o palco, em um show que é uma avalanche visual e rítmica – com brega, calypso, brega funk, pisêro, carimbó. Nesta apresentação, Aíla sobe ao palco ao lado de Arthur Kunz (bateria e samples), Franci Oliver (percussão e vocais), Allen Alencar (guitarra e vocais) e João Paulo Deogracias (baixo e vocais). A direção musical e artística é assinada pela própria Aíla, e a direção visual e cenografia pela artista visual Roberta Carvalho. Dia 26/4, quarta, das 21h às 22h30 Local. Praça de convivência. 18 anos. Ingresso – R$50 (Inteira) / R$25 (Meia) e R$15 (Credencial Plena). 

A cantora Lívia Mattos apresenta o show Apnéia, com uma sonoridade que reflete excessos, faltas de ar, suspensões e suspiros. Dentro do desconforto desses tempos, a busca é inventar novas formas de pensar e existir, pondo em  movimento  tudo que aperta e sufoca. Esse intento é refletido na sua música, nos dispositivos criativos que geram composições, arranjos e instrumentações originais – com solidez, força e leveza – que apresentam a sanfona em uma proposta instigante e autoral. Dia 28/4, sexta, das 20h às 21h30. Local: Teatro. Ingresso – R$40 (Inteira), R$20 (Meia) e R$12 (Credencial Plena). 10 anos. 

A cantora Martina Marana apresenta o show do álbum Eu Toco Mal. Com composições em que ironiza o machismo no meio musical, além de canções inéditas e músicas de compositoras que a influenciaram, como Joyce Moreno e Leci Brandão. Dia 29/4, sábado, das 17h às 18h30 

A cantora Nilze Carvalho, apresenta o show Uma vida de samba, comrepertório de canções autorais produzidas em seus mais de 40 anos de carreira. Sambista consagrada, a cantora já fez parcerias com nomes como: Dona Ivone Lara, Mart’nália, Olívia Hime, Zélia Duncan, Fátima Guedes, Roberta Sá, Ana Costa e Teresa Cristina.  Dias 29 e 30/4, sábado, às 20h e domingo, às 18h. Ingresso – R$40 (Inteira) / R$20 (Meia) / R$12 (Credencial Plena). A partir de 10 anos. 

O show Samba das Mil e Umas é uma homenagem aos trabalhadores e trabalhadoras com umna roda de samba. Com Luana Bayô, Victória dos Santos, Aináh Margot, Eliane Alves, Kelly Adolpho, Helô Ferreira, Simone Gonçalves, Tati Salomão e Tahyná OliveiraSamba das Mil e Umas celebra a data com uma seleção de músicas com a voz e apresentação da cantora Luana Bayô. No repertório um primoroso conjunto de canções clássicas do samba que homenageiam as grandes compositoras, intérpretes e instrumentistas do gênero, como Dona Ivone Lara, Alcione e Beth Carvalho. E o público poderá se juntar à roda das bambas do samba, sentado ou em pé, cantando, dançando e participando com seus pedidos de sambas favoritos. Dia 1/5, segunda, às 16h. 

Foto de capa: divulgação

   

A Casa 1 é uma organização localizada na região central da cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civil. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando as interseccionalidade do universo plural da diversidade. Contamos com três frentes principais: república de acolhida para jovens LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsos de casa, o Galpão Casa 1 que conta com atividades culturais e educativa e a Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos e terapias complementares, com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

Notícias Relacionadas

L’homme Statue lança videoclipe para a dançante e emocional &...

Encontro de Lutas: confluências entre o Dia Internacional de combat...

VoteLGBT participa do WebSummit Rio

23ª Feira Cultural da Diversidade LGBT+ transforma o Memorial da Am...

Espetáculo LGBT+ estreia gratuitamente em bibliotecas de SP

Sem apoio institucional, professores de SP combatem LGBTfobia com c...

Movimento Indígena LGBTQIAPN+ lança manifesto durante Acampamento T...

Marina Lima celebra sua carreira em show único na Casa Natura Music...

Premiado filme espanhol, “20.000 espécies de abelha” se...

10 formas de saber mais sobre Libras e a comunidade surda

“Amor e outras Revoluções”, peça inspirada em obra de b...

28ª Parada do Orgulho LGBT+ de São Paulo, que acontece dia 2 de jun...