BLOG

Veja quem são os parlamentares LGBTQIA+ que tomam posse em 1º de fevereiro

Por Lívia Batista e Paulo Malvezzi

Nesta quarta-feira (1º fev.), deputados estaduais e federais e senadores eleitos em outubro de 2022 tomam posse para seus mandatos nas assembleias legislativas e no Congresso Nacional. Desses parlamentares, 18 são LGBTQIA+, como aponta um levantamento da ONG VoteLGBT, que monitora e mapeia candidaturas dessa população em todo o país.

Pela primeira vez na história, o Brasil terá duas deputadas federais trans: Duda Salabert (PDT-MG) e Erika Hilton (PSOL-SP). Juntam-se a elas, na bancada LGBTQIA+, Dandara (PT-MG), que é bissexual, e Daiana Santos (PCdoB-RS), lésbica.

Dos 18 eleitos, a maioria é mulher — apenas dois são homens. E todos são filiados a partidos de centro, centro esquerda e esquerda. Em cada regiões do país, haverá parlamentar LGBTQIA+.

Diadorim preparou um lista com o perfil dos parlamentares LGBTQIA+. Confira:

Bella Gonçalves (PSOL-MG)

Daiana Santos (PCdoB – RS)

Dandara (PT-MG)

Dani Balbi (PCdoB – RJ)

Dani Monteiro (PSOL – RJ)

Duda Salabert (PDT -MG)

Ediane Maria (PSOL – SP)

Erika Hilton (PSOL – SP)

Fábio Felix (PSOL -DF)

Guilherme Cortez (PSOL-SP)

Leci Brandão (PCdoB – SP)

Linda Brasil (PSOL -SE)

Michelle Melo (PDT – AC)

Letícia Chagas (PSOL – SP)

Carolina Iara (PSOL – SP)

Rosa Amorim (PT – PE)

Thainara Faria (PT-SP)

Verônica Lima (PT – RJ)

Encontro

No dia 20 de janeiro, os parlamentares LGBTQIA+ num encontro nacional organizado pela VoteLGBT. Com o lema “Representatividade é poder”, o evento contou ainda com participação de representantes da sociedade civil e do governo federal, entre elas a secretária Nacional dos Direitos da População LGBTQIA+, Symmy Larrat.

“VoteLGBT começou em 2014 com apenas uma candidatura LGBT, a do Jean Wyllys, na época reeleito como deputado federal do Rio de Janeiro. Por isso, ter tido 18 pessoas LGBTs que foram eleitos nesse encontro de hoje tinha de ser celebrado”, explica Bru Pereira de Araújo, diretora vice-presidenta da organização.

O evento também teve como proposta promover um espaço de reconhecimento e articulação entre as parlamentares, refletindo sobre quais passos tomar para uma maior presença LGBT+ na política e nos diversos espaços sociais. “O encontro não se limitou às trans. Mulheres cisgênero também estiveram presentes junto à essa comunidade LGBTQIA+ que achamos tão importante reunir”, pondera Keila Simpson, presidenta da Antra (Associação Nacional de Travestis e Transexuais). Segundo ela, é uma tentativa de encontrar caminhos para continuar buscando uma maior inclusão social, respeitabilidade e possibilidade de fazer novas ações para a população que tanto necessita.

Número recorde

Ao menos 304 candidaturas LGBTI+ disputaram as eleições de 2022, segundo a VoteLGBT. Foram 249 candidaturas individuais e outras 55 coletivas — 26 delas com pessoas LGBTQIA+ como titulares.

As candidaturas para deputado estadual ou distrital foram maioria, 187. São Paulo (58), Minas Gerais (28) e Santa Catarina (23) foram os estados com maior número de candidaturas.

Foto de capa: Divulgação

Acesse o site da Agência Diadorim.

Notícias Relacionadas

Instituições fazem mapeamento de candidaturas LGBTQIAPN+ para as el...

Com o tema “Aquilombar é Cura”, a Parada Preta 2024 aco...

Especialistas discutem os principais desafios de empregabilidade LG...

Pesquisa apresenta as maiores dificuldades das instituições LGBTQIA...

CUT lança cartilha de formação sindical como foco em pessoas trans

No fim das contas, ser orgulhosamente LGBTQIAPN+ era só moda mesmo

Senado aprova texto que cria recurso de proteção para LGBTQIA+ enca...

Como surgem e se espalham os projetos de lei contra LGBTQIA+ no Brasil

Marcha Trans leva discurso político, música e cobrança ao STF às ru...

Ministério destina R$ 8,5 milhões em ações para população LGBTQIA+

‘A bandeira é nossa’: Parada do Orgulho LGBT+ leva verde e amarelo ...

Com programação especial, Casa Natura Musical celebra o Mês do Orgu...