BLOG

Erika Hilton oficializa candidatura de Deputada Federal

A vereadora de São Paulo Erika Hilton (PSOL) irá disputar uma vaga na Câmara dos Deputados nas eleições deste ano. A decisão, que já vinha sendo pensada há algum tempo, foi sacramentada em conversa com lideranças do PSOL na sexta-feira (11).

No pleito de 2020, Hilton foi a sexta mais votada para a Câmara Municipal de São Paulo, com 50.508 votos. A vitória deu a ela o título de primeira mulher transgênero a ocupar uma cadeira na Casa.

“Minha pretensão de ir a Brasília é pela necessidade de refundação do Brasil”, afirma ela à reportagem, depois de dizer que o país atravessou uma “destruição sem precedentes” sob o governo Jair Bolsonaro.

A parlamentar afirma querer levar à capital federal uma agenda voltada para eixos temáticos como direitos humanos e cultura — pautas que já aborda em seu mandato como vereadora, mas que diz querer trabalhar em uma escala ainda maior.

“Brasília vai ser a possibilidade de dar continuidade ao que começamos na Câmara”, diz. “Quero federalizar o debate sobre o programa Transcidadania [voltado à inclusão de pessoas trans e travestis].”

Alvo frequente de ameaças contra sua vida, Hilton diz se angustiar com a receptividade que poderia ter caso se eleja deputada federal, mas que isso não a desmotiva.

Recentemente, a vereadora do PSOL registrou boletim de ocorrência e ofereceu representação criminal após uma mulher chamá-la de nomes pejorativos e transfóbicos e prometer degolá-la, além de atear fogo em sua residência e em seu corpo.

“Isso me dá combustível”, afirma sobre os ataques. “Ameaças fazem parte de uma tentativa de silenciar meu mandato e meu corpo. Fico preocupada, receosa, entristecida e amedrontada porque a gente vê uma escalada”, continua.

“Ao me colocar nessa eleição [de 2022], que será violentíssima e cruel, eu fico receosa, mas de forma alguma acovardada ou desestimulada. Essas ameaças são reflexo do quanto minha voz tem incomodado e do quanto tenho feito parte de um processo revolucionário e transformador”, diz ainda.

Nas próximas semanas, Erika Hilton deve se dedicar a encontros com lideranças LGBTQIA+ para formular propostas de políticas para o segmento. Alguns pontos devem ser apresentados ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“Temos visto um silêncio estarrecedor pelos presidenciáveis com a agenda de direitos da população LGBTQIA+. Faremos uma organização [de pontos prioritários] e levaremos para que o presidenciável Lula possa se comprometer”, afirma Erika Hilton.

No último Datafolha, divulgado em dezembro, o petista marcou 48% ante 22% de Jair Bolsonaro (PL). Em pesquisas mais recentes, no entanto, Bolsonaro aparece com leve crescimento.

Hilton afirma que não pretende assumir uma “posição petista nem lulista” caso seja eleita deputada em um eventual governo Lula. “Mas estarei ao lado dele para fazer o melhor pelo Brasil”, finaliza.

SÃO PAULO, SP

Foto de capa: Redes Sociais/ Rafael Canoba

A Folhapress é a agência de notícias do Grupo Folha e comercializa e distribui diariamente fotos, textos, colunas, ilustrações e infográficos a partir do conteúdo editorial do jornal Folha de S.Paulo, do jornal Agora e de parceiros em todos os Estados do país. O serviço da Folha Press foi contratado pela Casa 1 em março de 2021 para estimular o acesso à informação de qualidade, com responsabilidade ética e jornalística e é publicado junto de conteúdos produzidos pela equipe de comunicação e outra agências de notícia independentes, igualmente qualificadas.

Notícias Relacionadas

Instituições fazem mapeamento de candidaturas LGBTQIAPN+ para as el...

Com o tema “Aquilombar é Cura”, a Parada Preta 2024 aco...

Especialistas discutem os principais desafios de empregabilidade LG...

Pesquisa apresenta as maiores dificuldades das instituições LGBTQIA...

CUT lança cartilha de formação sindical como foco em pessoas trans

No fim das contas, ser orgulhosamente LGBTQIAPN+ era só moda mesmo

Senado aprova texto que cria recurso de proteção para LGBTQIA+ enca...

Como surgem e se espalham os projetos de lei contra LGBTQIA+ no Brasil

Ministério destina R$ 8,5 milhões em ações para população LGBTQIA+

‘A bandeira é nossa’: Parada do Orgulho LGBT+ leva verde e amarelo ...

Com programação especial, Casa Natura Musical celebra o Mês do Orgu...

Encontro de Lutas: confluências entre o Dia Internacional de combat...