BLOG

Pesquisa do IBGE mostra impacto da LGBTfobia na autodeclaração

Pela primeira vez o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) perguntou a pessoas no território brasileiro como eles autodeclaram sua orientação sexual e afetiva.

A pesquisa foi divulgada hoje (25/5) e a entrevista conta com mais de 108 mil domicílios em todas as regiões do país.

Os entrevistados foram questionados sobre sua orientação sexual, com seis opções de resposta: heterossexual, homossexual, bissexual, outra, não sabe e recusou-se a responder. Cerca de 2,3% das pessoas questionadas escolheram não responder.

O IBGE não coletou informações a respeito da identidade de gênero da população e diz que está estudando metodologias para incluir o tema nas próximas pesquisas.

Apesar de ser um passo importante para a criação de políticas públicas específicas, os dados podem não retratar corretamente a população LGB+ do país, especialmente porque as pessoas que se autodeclararam para a pesquisa são pessoas que já são “assumidas”, como ressalta Artur Santoro, curador independente, pesquisador de histórias e culturas afro-brasileiras e diretor de projetos na festa Batekoo.

O jornalista Renan Sukevicius, também trouxe pontos importantes para o debate:

As perguntas sobre orientação afetiva e sexual foram colocadas na PNS (Pesquisa Nacional de Saúde) de 2019 a pedido do Ministério Público Federal. O MPF entrou com uma ação civil pública na Justiça Federal para que os campos sobre identidade de gênero e orientação sexual fossem adicionados no questionário do estudo .

Para o órgão, a limitação na identificação desses grupos impede a formulação de políticas públicas específicas.

A pesquisa completa pode ser consultada aqui.

Foto de capa: Divulgação

A Casa 1 é uma organização localizada na região central da cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civil. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando as interseccionalidade do universo plural da diversidade. Contamos com três frentes principais: república de acolhida para jovens LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsos de casa, o Galpão Casa 1 que conta com atividades culturais e educativa e a Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos e terapias complementares, com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

Notícias Relacionadas

Instituições fazem mapeamento de candidaturas LGBTQIAPN+ para as el...

Com o tema “Aquilombar é Cura”, a Parada Preta 2024 aco...

Especialistas discutem os principais desafios de empregabilidade LG...

Pesquisa apresenta as maiores dificuldades das instituições LGBTQIA...

CUT lança cartilha de formação sindical como foco em pessoas trans

No fim das contas, ser orgulhosamente LGBTQIAPN+ era só moda mesmo

Senado aprova texto que cria recurso de proteção para LGBTQIA+ enca...

Ministério destina R$ 8,5 milhões em ações para população LGBTQIA+

‘A bandeira é nossa’: Parada do Orgulho LGBT+ leva verde e amarelo ...

Com programação especial, Casa Natura Musical celebra o Mês do Orgu...

Encontro de Lutas: confluências entre o Dia Internacional de combat...

VoteLGBT participa do WebSummit Rio