Lorem quis bibendum auci Lorem gravida nibh vel velit auctor aliquet. Aenean sollicitudin, lorem quis bibendum auci elit consequat ipsutis sem nibh id elit. Duis sed odio sit amet nibh vulputate cursu. Ut enim ad minim veniam.

Follow me on instagram

© 2016 Your Business Name!

17 grandes espetáculos teatrais para assistir do seu sofá

17 grandes espetáculos teatrais para assistir do seu sofá

O teatro é de fato uma das paixões que movem a Casa 1. Além de contarmos com aulas de teatro infantil e para adultos, sempre abrimos o espaço para que vários grupos se apresentem aqui no nosso Galpão ou ainda em espaços maiores, como foi o caso das peças “O Evangelho Segundo Rainha, Jesus do Céu” protagonizado pela atriz Renata Carvalho e “Segunda Queda” escrita e dirigida por Ave Terrena, que aconteceram no nosso vizinho Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona, nas Semanas de Visibilidade Trans de 2019 e 2020, respectivamente.
Com isso, sabemos de perto como os grupos e companhias de teatro e os e as profissionais das mais variadas áreas do fazer teatral estão sentindo os efeitos do isolamento social de forma particular. Afinal, só se faz teatro com a presença física entre artista e público, mas tentando driblar a situação dificil, vários espetáculos e iniciativas de grupos e profissionais de teatro que estão disponibilizando seus materiais online e separamos aqui para alguns para vocês.

Bom espetáculo!

Teatro Oficina Uzyna Uzona (SP)

O Oficina é nosso vizinho aqui no Bixiga e uma companhia de quase 70 integrantes. Em seu canal do youtube, estão transmitindo e disponibilizando várias peças já montadas pelo grupo, como a icônica montagem de “Os Sertões” a partir do livro de Euclides da Cunha e dividida em 5 peças (para o youtube estão as gravações de 2008 distribuídas em 9 partes, começando por “A Terra”)

Cena de “Os Sertões” do Teatro Oficina. Ao centro, o diretor José Celso Martinez Corrêa como Antônio Conselheiro. Foto: Lenise Pinheiro

É possível assistir ainda a montagem de “Os Bandidos” – dividida em 3 partes para o Youtube –  a partir do texto do Friedrich Shiller que foi montada em 2008.

Elenco de “Os Bandidos”, montagem a partir do texto de Friedrich Schiller. Foto: divulgação

O espetáculo mais recente na playlist do grupo é “Cacilda 1”, a primeira da pentalogia inspirada na atriz Cacilda Becker, que conta com Bete Coelho e Leona Cavalli revezando o papel da protagonista. Estão previstas ainda outras peças como “Cacilda 1”  e “Vento Forte para um Papagaio Subir”.

Também no canal da companhia é possível assistir “As Bacantes”, montagem fundamental do repertório da companhia, a partir do texto de Eurípedes. O Teatro Oficina também está com uma arrecadação financeira para custear os e as profissionais que estão sem trabalhar, aqui nesse link.

A atriz Bete Coelho no papel de Cacilda Becker em “Cacilda 1”, do Teatro Oficina. Foto: divulgação.

Mundana Companhia (SP)

A Mundana Companhia também disponibiliza a filmagem do espetáculo “Das Cinzas” . Com texto do dramaturgo Samuel Beckett, o espetáculo, originalmente montado em 2006, foi um dos primeiros da companhia. A filmagem em questão é de uma apresentação feita uma década depois na Biblioteca Mário de Andrade. Também no Facebook da companhia, há vídeos de outras apresentações como a da performance “Máquinas do mundo_corpo” que nasceu do espetáculo “Máquinas do Mundo” e que foi apresentado no Teatro Oficina (2017), no Sesc Pinheiros (2018) e na Igreja Matriz de Paraty durante a Flip de 2019.  A performance disponível online utiliza trecho do livro “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis e foi apresentada na Galeria Nara Roesler em 2017.

Cena de “Máquinas do mundo_corpo” apresentada na Galeria Nara Roesler em 2017

Grupo Galpão (MG)

Um dos grupos de teatro mais importantes do Brasil, o Grupo Galpão nasceu em 1982 emBelo Horizonte e também está disponibilizando algumas peças em suas redes. A emblemática montagem de “Romeu e Julieta”, clássico de Shakespeare, ganha tons circenses e é apresentada na rua. A filmagem é de 2012, gravada na Praça do Papa, em Belo Horizonte, durante o Festival Internacional de Teatro de Palco e Rua de BH.

Cena de “Romeu e Julieta” do Grupo Galpão. Foto: Miguel Aun

Outro espetáculo disponível é o  “Nós”, que trata de um mergulho na história do Grupo enquanto o elenco prepara uma sopa no palco. A direção é de Marcio Abreu.

Cena de “Nós”. O elenco prepara uma sopa no palco durante a peça. Foto: Guto Muniz

 

Grupo Magiluth (PE)

Os pernambucanos do Grupo Magiluth, fundado em 2004, também estão disponibilizando alguns espetáculos nas redes. Já estava online “O Ano em que Sonhamos Perigosamente”, a oitava montagem do grupo, que utiliza o próprio “fazer teatral” para questionar o momento político atual, cruzando com uma série de movimentos de resistência ao redor do mundo como Occupy Wall Street, Primavera árabe e as manifestações de 2013 pelo Brasil. A direção é de Pedro Wagner.

Cena de “O Ano em Que Sonhamos Perigosamente”. Foto: divulgação

Mais recentemente o grupo postou “Viúva, porém honesta”, adaptação de 2012 do famoso texto do dramaturgo brasileiro Nelson Rodrigues, com direção de Pedro Vilela.

O elenco do Grupo Magiluth em cena de “Viúva, Porém Honesta”. Foto: divulgação

Espetáculo “Alair” (SP)

O dramaturgo Gustavo Pinheiro disponibilizou online o espetáculo “Alair”, texto escrito em 2017 sobre o fotógrafo fluminense Alair de Oliveira Gomes, engenheiro, filósofo e crítico de arte conhecido como pioneiro da arte homoerótica no Brasil. Na peça, o público acompanha o fim da vida do fotógrafo, que aproveitava a vista do seu apartamento para registrar em sua câmera garotos fortes e bonitos que se exercitavam na Praia de Ipanema, no Rio de Janeiro.O espetáculo serviu como comemoração dos 45 anos de carreira do ator Edwin Luisi, que deu vida a Alair no drama dirigido por César Augusto, e que jogou luz sobre a morte do artista, estrangulado em seu apartamento em 1992, aos 71 anos.

O ator Edwin Luisi interpreta o fotógrafo Alair de Oliveira Gomes, no espetáculo “Alair”. Foto: Elisa Mendes

Felipe Hirsch e os Ultralíricos (SP)

O aclamado diretor Felipe Hirsch vem de uma série de montagens de forte apelo estético (a maioria com cenografias dirigidas pela cineasta e diretora de arte Daniela Thomas) e com textos montados através de procedimentos de colagens de autores de literatura e/ou textos de autores latino-americanos. No vimeo do grupo, é possível assistir ao primeiro ato de “A Tragédia Latino-Americana”, peça de 2016 construída a partir de fragmentos de obras de diversos autores de literatura latino-americana, em conjunto ao cenário sociopolítico do continente e que tem um baita elenco formado por Caco Ciocler, Camila Márdila, Danilo Grangheia, Georgette Fadel, Javier Drolas, Julia Lemmertz, Magali Biff, Manuela Martelli, Nataly Rocha e Pedro Wagner.

Cena de “A Tragédia Latino-Americana”, com cenário impactante assinado por Daniela Thomas. Foto: Caio Nigro

Também está disponível na íntegra “Puzzle (d)“, a quarta parte montada em 2014 da tetralogia “Puzzle”, que foi desenvolvido a partir de 15 textos assinados por nomes como Amilcar Bettega Barbosa, André Sant’Anna, Bernardo Carvalho, Jorge Mautner, Juliana Frank, Juliano Garcia Pessanha, Paulo Leminski, Rodrigo Lacerda e Veronica Stigger. O título da série serve para definir a estrutura da montagem, originalmente dividida em três partes, mas depois acrescida de mais uma parte, (d).

“Puzzle (d)” é a quarta parte da tetralogia Puzzle, com direção de Felipe Hisrch. Foto: Adalto Perin

Espetáculo “Inútil Canto e Inútil Pranto pelos Anjos Caídos” (texto de Plínio Marcos” (SP)

Coro, cenas, depoimentos e solos de dança compõem o ato-espetáculo-musical produzido em 2017 a partir de três textos de Plínio Marcos: Inútil Canto e Inútil Pranto pelos Anjos Caídos (1977), que narra uma rebelião ocorrida em Osasco nos anos 1970, e Barrela (1958) e A Macha Roxa (1988), que tratam de situações dos cárceres masculino e feminino, respectivamente. A direção é de Rogério Tarifa. Você pode assistir aqui.

Cena do espetáculo “Inútil Pranto Inútil Canto Pelos Anjos Caídos”. Local: EAD-USP. Foto por Sérgio Silva, 2017.

Espetáculo “A Peste”, direção de Vera Holtz e Guilherme Leme Garcia (SP)

Adaptação do romance “A Peste”, um dos textos mais emblemáticos do autor Albert Camus publicado em 1940, ganhou  Direção de Vera Holtz e Guilherme Leme Garcia. A montagem é um monólogo com o ator Pedro Osorio e aconteceu em 2018.

O ator Pedro Osório em cena no monólogo “A Peste”. Foto: Renato Mangolin

Espetáculo “KRUM”, Companhia Brasileira de Teatro (RJ)

A premiada montagem de 2015 “KRUM” possui direção de Marcio Abreu e um elenco com grandes nomes como Renata Sorrah, Grace Passô, Rodrigo Bolzan. A peça tem texto do dramaturgo israelense Hanoch Levin escrita em 1975 e fala do retorno ao lar do personagem-título (interpretado por Danilo Grangheia), depois de perambular pela Europa em busca de experiências.

Elenco de “KRUM”, montagem da Companhia Brasileira de Teatro. Foto: Nana Moraes

Espetáculo “Por Elise”, direção Grace Passô (MG)

“Por Elise” tem como sinopse “uma Dona de Casa que narra histórias de seus vizinhos; um Cão que late palavras; um Lixeiro em busca de seu pai que há anos não vê; uma Mulher perdida; um Funcionário que trabalha como recolhedor de cães doentes, protegido em um uniforme que faz com que ele não sinta nem quando o espancam, nem quando o amam.”. Esta montagem de 2005 é a que deu origem ao Grupo Espanca! e tem a direção e dramaturgia da mineira Grace Passô, que também está no elenco.

Cena de “Por Elise”, montada em 2005 pelo Grupo Espanca!. Foto: Guto Muniz

jjoão atua na comunicação, projetos, estratégias e cotidiano da Casa 1 desde agosto de 2018.
No Comments

Leave a Reply