BLOG

17 grandes espetáculos teatrais para assistir do seu sofá

O teatro é de fato uma das paixões que movem a Casa 1. Além de contarmos com aulas de teatro infantil e para adultos, sempre abrimos o espaço para que vários grupos se apresentem aqui no nosso Galpão ou ainda em espaços maiores, como foi o caso das peças “O Evangelho Segundo Rainha, Jesus do Céu” protagonizado pela atriz Renata Carvalho e “Segunda Queda” escrita e dirigida por Ave Terrena, que aconteceram no nosso vizinho Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona, nas Semanas de Visibilidade Trans de 2019 e 2020, respectivamente.
Com isso, sabemos de perto como os grupos e companhias de teatro e os e as profissionais das mais variadas áreas do fazer teatral estão sentindo os efeitos do isolamento social de forma particular. Afinal, só se faz teatro com a presença física entre artista e público, mas tentando driblar a situação dificil, vários espetáculos e iniciativas de grupos e profissionais de teatro que estão disponibilizando seus materiais online e separamos aqui para alguns para vocês.

Bom espetáculo!

Teatro Oficina Uzyna Uzona (SP)

O Oficina é nosso vizinho aqui no Bixiga e uma companhia de quase 70 integrantes. Em seu canal do youtube, estão transmitindo e disponibilizando várias peças já montadas pelo grupo, como a icônica montagem de “Os Sertões” a partir do livro de Euclides da Cunha e dividida em 5 peças (para o youtube estão as gravações de 2008 distribuídas em 9 partes, começando por “A Terra”)

Cena de “Os Sertões” do Teatro Oficina. Ao centro, o diretor José Celso Martinez Corrêa como Antônio Conselheiro. Foto: Lenise Pinheiro

É possível assistir ainda a montagem de “Os Bandidos” – dividida em 3 partes para o Youtube –  a partir do texto do Friedrich Shiller que foi montada em 2008.

Elenco de “Os Bandidos”, montagem a partir do texto de Friedrich Schiller. Foto: divulgação

O espetáculo mais recente na playlist do grupo é “Cacilda 1”, a primeira da pentalogia inspirada na atriz Cacilda Becker, que conta com Bete Coelho e Leona Cavalli revezando o papel da protagonista. Estão previstas ainda outras peças como “Cacilda 1”  e “Vento Forte para um Papagaio Subir”.

Também no canal da companhia é possível assistir “As Bacantes”, montagem fundamental do repertório da companhia, a partir do texto de Eurípedes. O Teatro Oficina também está com uma arrecadação financeira para custear os e as profissionais que estão sem trabalhar, aqui nesse link.

A atriz Bete Coelho no papel de Cacilda Becker em “Cacilda 1”, do Teatro Oficina. Foto: divulgação.

Mundana Companhia (SP)

A Mundana Companhia também disponibiliza a filmagem do espetáculo “Das Cinzas” . Com texto do dramaturgo Samuel Beckett, o espetáculo, originalmente montado em 2006, foi um dos primeiros da companhia. A filmagem em questão é de uma apresentação feita uma década depois na Biblioteca Mário de Andrade. Também no Facebook da companhia, há vídeos de outras apresentações como a da performance “Máquinas do mundo_corpo” que nasceu do espetáculo “Máquinas do Mundo” e que foi apresentado no Teatro Oficina (2017), no Sesc Pinheiros (2018) e na Igreja Matriz de Paraty durante a Flip de 2019.  A performance disponível online utiliza trecho do livro “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis e foi apresentada na Galeria Nara Roesler em 2017.

Cena de “Máquinas do mundo_corpo” apresentada na Galeria Nara Roesler em 2017

Grupo Galpão (MG)

Um dos grupos de teatro mais importantes do Brasil, o Grupo Galpão nasceu em 1982 emBelo Horizonte e também está disponibilizando algumas peças em suas redes. A emblemática montagem de “Romeu e Julieta”, clássico de Shakespeare, ganha tons circenses e é apresentada na rua. A filmagem é de 2012, gravada na Praça do Papa, em Belo Horizonte, durante o Festival Internacional de Teatro de Palco e Rua de BH.

Cena de “Romeu e Julieta” do Grupo Galpão. Foto: Miguel Aun

Outro espetáculo disponível é o  “Nós”, que trata de um mergulho na história do Grupo enquanto o elenco prepara uma sopa no palco. A direção é de Marcio Abreu.

Cena de “Nós”. O elenco prepara uma sopa no palco durante a peça. Foto: Guto Muniz

 

Grupo Magiluth (PE)

Os pernambucanos do Grupo Magiluth, fundado em 2004, também estão disponibilizando alguns espetáculos nas redes. Já estava online “O Ano em que Sonhamos Perigosamente”, a oitava montagem do grupo, que utiliza o próprio “fazer teatral” para questionar o momento político atual, cruzando com uma série de movimentos de resistência ao redor do mundo como Occupy Wall Street, Primavera árabe e as manifestações de 2013 pelo Brasil. A direção é de Pedro Wagner.

Cena de “O Ano em Que Sonhamos Perigosamente”. Foto: divulgação

Mais recentemente o grupo postou “Viúva, porém honesta”, adaptação de 2012 do famoso texto do dramaturgo brasileiro Nelson Rodrigues, com direção de Pedro Vilela.

O elenco do Grupo Magiluth em cena de “Viúva, Porém Honesta”. Foto: divulgação

Espetáculo “Alair” (SP)

O dramaturgo Gustavo Pinheiro disponibilizou online o espetáculo “Alair”, texto escrito em 2017 sobre o fotógrafo fluminense Alair de Oliveira Gomes, engenheiro, filósofo e crítico de arte conhecido como pioneiro da arte homoerótica no Brasil. Na peça, o público acompanha o fim da vida do fotógrafo, que aproveitava a vista do seu apartamento para registrar em sua câmera garotos fortes e bonitos que se exercitavam na Praia de Ipanema, no Rio de Janeiro.O espetáculo serviu como comemoração dos 45 anos de carreira do ator Edwin Luisi, que deu vida a Alair no drama dirigido por César Augusto, e que jogou luz sobre a morte do artista, estrangulado em seu apartamento em 1992, aos 71 anos.

O ator Edwin Luisi interpreta o fotógrafo Alair de Oliveira Gomes, no espetáculo “Alair”. Foto: Elisa Mendes

Felipe Hirsch e os Ultralíricos (SP)

O aclamado diretor Felipe Hirsch vem de uma série de montagens de forte apelo estético (a maioria com cenografias dirigidas pela cineasta e diretora de arte Daniela Thomas) e com textos montados através de procedimentos de colagens de autores de literatura e/ou textos de autores latino-americanos. No vimeo do grupo, é possível assistir ao primeiro ato de “A Tragédia Latino-Americana”, peça de 2016 construída a partir de fragmentos de obras de diversos autores de literatura latino-americana, em conjunto ao cenário sociopolítico do continente e que tem um baita elenco formado por Caco Ciocler, Camila Márdila, Danilo Grangheia, Georgette Fadel, Javier Drolas, Julia Lemmertz, Magali Biff, Manuela Martelli, Nataly Rocha e Pedro Wagner.

Cena de “A Tragédia Latino-Americana”, com cenário impactante assinado por Daniela Thomas. Foto: Caio Nigro

Também está disponível na íntegra “Puzzle (d)“, a quarta parte montada em 2014 da tetralogia “Puzzle”, que foi desenvolvido a partir de 15 textos assinados por nomes como Amilcar Bettega Barbosa, André Sant’Anna, Bernardo Carvalho, Jorge Mautner, Juliana Frank, Juliano Garcia Pessanha, Paulo Leminski, Rodrigo Lacerda e Veronica Stigger. O título da série serve para definir a estrutura da montagem, originalmente dividida em três partes, mas depois acrescida de mais uma parte, (d).

“Puzzle (d)” é a quarta parte da tetralogia Puzzle, com direção de Felipe Hisrch. Foto: Adalto Perin

Espetáculo “Inútil Canto e Inútil Pranto pelos Anjos Caídos” (texto de Plínio Marcos” (SP)

Coro, cenas, depoimentos e solos de dança compõem o ato-espetáculo-musical produzido em 2017 a partir de três textos de Plínio Marcos: Inútil Canto e Inútil Pranto pelos Anjos Caídos (1977), que narra uma rebelião ocorrida em Osasco nos anos 1970, e Barrela (1958) e A Macha Roxa (1988), que tratam de situações dos cárceres masculino e feminino, respectivamente. A direção é de Rogério Tarifa. Você pode assistir aqui.

Cena do espetáculo “Inútil Pranto Inútil Canto Pelos Anjos Caídos”. Local: EAD-USP. Foto por Sérgio Silva, 2017.

Espetáculo “A Peste”, direção de Vera Holtz e Guilherme Leme Garcia (SP)

Adaptação do romance “A Peste”, um dos textos mais emblemáticos do autor Albert Camus publicado em 1940, ganhou  Direção de Vera Holtz e Guilherme Leme Garcia. A montagem é um monólogo com o ator Pedro Osorio e aconteceu em 2018.

O ator Pedro Osório em cena no monólogo “A Peste”. Foto: Renato Mangolin

Espetáculo “KRUM”, Companhia Brasileira de Teatro (RJ)

A premiada montagem de 2015 “KRUM” possui direção de Marcio Abreu e um elenco com grandes nomes como Renata Sorrah, Grace Passô, Rodrigo Bolzan. A peça tem texto do dramaturgo israelense Hanoch Levin escrita em 1975 e fala do retorno ao lar do personagem-título (interpretado por Danilo Grangheia), depois de perambular pela Europa em busca de experiências.

Elenco de “KRUM”, montagem da Companhia Brasileira de Teatro. Foto: Nana Moraes

Espetáculo “Por Elise”, direção Grace Passô (MG)

“Por Elise” tem como sinopse “uma Dona de Casa que narra histórias de seus vizinhos; um Cão que late palavras; um Lixeiro em busca de seu pai que há anos não vê; uma Mulher perdida; um Funcionário que trabalha como recolhedor de cães doentes, protegido em um uniforme que faz com que ele não sinta nem quando o espancam, nem quando o amam.”. Esta montagem de 2005 é a que deu origem ao Grupo Espanca! e tem a direção e dramaturgia da mineira Grace Passô, que também está no elenco.

Cena de “Por Elise”, montada em 2005 pelo Grupo Espanca!. Foto: Guto Muniz

Notícias Relacionadas

Museu da Diversidade Sexual será reaberto em São Paulo

Com texto e direção de Rodrigo França, espetáculo Angu combate este...

POC CON chega na 4ª edição com mais de 170 artistas, Cosplay Lip Sy...

Especulação imobiliária e marchinhas de carnaval temperam a comédia...

Espetáculo LGBT+ estreia gratuitamente em bibliotecas de SP

“Amor e outras Revoluções”, peça inspirada em obra de b...

BICHADOS, da Cia. Artera de Teatro, faz temporada na Oficina Cultur...

Em 2024, Masp terá programação focada na diversidade LGBTQIA+

Casa 1 realiza primeira chamada aberta do ano para educadores e ofi...

Inscrições para o projeto Plataforma Conexões 2024, do Museu da Lín...

Espetáculo teatral “INVISÍVEL” estreia em São Paulo e a...

Musical sobre ativista Herbert Daniel estreia em São Paulo no Núcle...