Mais do que nunca as ofertas de stremings estão bombando: da pioneira Netflix ao recém lançado HBO Max, todos contam com suas séries e filmes que trazem a diversidade para as telinhas, no entanto, é possível ver sem muito esforço que as grande maioria das produções são realizadas por pessoas brancas, cisgêneras e heterossexuais, o que impacta diretamente nas narrativas criadas. .

Buscando sacudir esse cenário, vários projetos foram surgindo e plataformas de streaming segmentadas ganharam a internet e públicos cativos.

Listamos aqui alguns dos serviços gratuitos. Algumas deles contam com planos de assinatura para acesso de determinados conteúdos, mas sempre com valores justos, acessíveis e principalmente, que ajudam a financiar essas iniciativas tão importantes.

Ah, e se esquecemos de alguma, é só avisar a gente nos comentários que atualizamos.

Bora da o play!

Afroflix

AFROFLIX é uma plataforma colaborativa que disponibiliza conteúdos audiovisuais online com uma condição: pelo menos, uma área de atuação técnica/artística assinada por uma pessoa negra. São filmes, séries, web séries, programas diversos, vlogs e clipes que são produzidos OU escritos OU dirigidos OU protagonizados por pessoas negras.

Confira a plataforma aqui.

TelaTrans

Tela Trans, criado em 2021, é uma plataforma virtual que tem por intenção construir um acervo do cinema dirigido por pessoas trans no Brasil, do primeiro momento que tem notícia até a produção feita hoje. O catálogo foi elaborado a partir de pesquisa desenvolvida pelas cineastas Caia Coelho e Pethrus Tibúrcio, que têm reunido sistematicamente esta produção há pelo menos cinco anos, com a colaboração des própries realizadorus mapeades. 

O portal, além de disponibilizar a maior parte destes filmes para o público em geral e especializado – curadorus, pesquisadorus, produtorus -, também apresenta os perfis profissionais das pessoas que dirigiram os projetos ali listados a fim de apresentá-las para possíveis contratantes. Para além de mapear as realizações destas mulheres e homens trans, travestis e pessoas não binárias, o Tela Trans faz um levantamento refinado quanto às regiões geográficas, gênero cinematográfico, carreira e outras informações refinadas acerca destes filmes e pessoas a fim de criar dados importantes e inéditos sobre as condições de realização cinematográfica da população trans brasileira.

Veja a plataforma aqui.

Festival Entretodos

Um dos mais importantes festival de filmes curtos (até 25 min) do país, o “Entretodos” tem como foco produções com temática dos direitos humanos. Realizado anualmente de forma gratuita, conta ainda com parte do seu catálogo na plataforma da SPCineplay.

Festival Mix Brasil

Outro importantíssimo festival brasileiro, o Mix Brasil é uma referencia quando falamos em exibição de produções LGBTQIAP+ O mais legal é que assim como Entretodos, parte do catálogo está online tanto no MixPlay, quanto no SPCinePlay.

Wolo TV

Wolo TV é uma startup de tecnologia e plataforma de streaming funda pelo ator e diretor Licínio Januário em parceria com Leandro Lemos, que possui mais de 20 anos de experiência na área de tecnologia no Brasil e Estados Unidos. O acesso gratuito da direito inclusive à produção original “Casa da Vó”.

Curta a plataforma aqui.

TodesPlay

A TodesPlay é uma plataforma, gerida pela APAN – Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro que busca consolidar um mercado mais diverso e representativo evidenciando as relações existentes entre o conteúdo e quem o realizou. Para além do serviço pago, que fortalece a plataforma, conta ainda com uma série de produções gratuitas.

Confira a plataforma aqui.

LGBTflix

Focada em curtas-metragens, o LGBTflix tem filmes para todas as letras da sigla. Todos foram dirigidos por cineastas LGBT+ brasileiros e/ou tem nossa comunidade como tema. Parte deles já estava disponível em plataformas como youtube e vimeo; outra parte foi especialmente disponibilizada para ficarmos juntas – e bem – em tempos de treta.

Veja o catalogo completo aqui.

Foto de capa: Safira Moreira / Facebook Afroflix

Compartilhe:

Por Iran Giusti

Iran Giusti é formado em Relações Públicas pela FAAP, atuou como gestor de redes sociais e gerente de projetos em agências de RP e Social Mídia e como jornalista foi repórter do canal de conteúdo LGBT do Portal iG e do BuzzFeed Brasil. Atualmente se dedica a gestão da Casa 1, um centro de acolhida e cultura LGBT e produção de conteúdos em que acredita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *