BLOG

No RS, pessoas trans e travestis podem retificar o registro civil de graça

Por Lívia Batista

A ONG gaúcha Somos, que defende os direitos da população LGBTQIA+, firmou acordo com o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) para garantir gratuidade na retificação do registro civil de transexuais e travestis no estado. A medida está em vigor desde 1º de março e requer comprovação de hipossuficiência financeira para ter acesso à gratuidade.

A ONG alega que a falta de recursos financeiros não deve impedir o exercício dos direitos à personalidade. Os interessados em retificar o registro civil podem receber orientação da Somos, inclusive com a emissão de documentos.

Embora a mudança de registro civil em cartório seja um direito assegurado desde 2018 pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o pagamento de taxa e a burocracia ainda são obstáculos para muitos cidadãos que buscam esse serviço, como mostrou reportagem da Diadorim.

Conforme relatório da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) de 2022, pessoas trans e travestis de baixa renda têm menos acesso à retificação do registro civil. Dos cidadãos que não conseguiram retificar o registro, 65,8% têm renda mensal de R$1,1 mil e o índice de desemprego é de cerca de 55,1%.

A Antra afirma que a retificação do nome e/ou do gênero é um direito de personalidade de interesse coletivo e público, fundamental para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Acesse o site da Agência Diadorim

Notícias Relacionadas

Por que nova portaria do Ministério da Saúde é boa para pessoas trans

MST realiza o 1º Encontro Nacional de Travestis e Transexuais Sem T...

MPF pede revogação de norma do CFM que recomenda cirurgia precoce e...

MEC tem medo do ensino sobre gênero e diversidade sexual nas escola...

Ações confiáveis de ajuda à população LGBTQIA+ no Rio Grande do Sul

Sem apoio institucional, professores de SP combatem LGBTfobia com c...

Primeira parlamentar travesti no estado do Rio de Janeiro lança liv...

Casos de violência contra lésbicas aumentaram 50% em oito anos, mos...

O que diz nova resolução do Governo de SP sobre pessoas LGBT+ no si...

Céu, a 1ª brasileira reconhecida como intersexo na certidão de nasc...

Em 2024, Masp terá programação focada na diversidade LGBTQIA+

Conselho Nacional orienta as preparatórias para a 4ª Conferência Na...