Um dia depois da oficialização dos documentos de identidade argentinos com a opção de incorporar os não binários, o filho do presidente Alberto Fernández, Estanislao, afirmou que mudará seu DNI (RG local). “Não me considero homem, me considero uma pessoa não binária”, disse o rapaz de 26 anos por meio de sua conta de Instagram.

Além disso, pediu que não seja mais chamado de Estanislao, mas sim de Dyzhy, como já é conhecido como cosplayer e DJ.

“As pessoas precisam se desconstruir para que esses temas sejam naturalizados. Obviamente ainda existe gente do mal: transfóbicos e homofóbicos”, afirmou Dyhzy. “Nós continuamos conquistando direitos. Nenhum retrógrado vai nos parar”, completou.

A nova norma permite que as pessoas que não se identificam com as categorias feminina e masculina possam optar pela opção “x”, tanto no DNI como no passaporte.

A Argentina passou a ser, assim, o primeiro país da América Latina que oferece essa opção. “Ao Estado não deveria importar qual é o sexo de seus cidadãos. Há outras identidades além de homem e mulher que devem ser respeitadas”, disse o mandatário argentino na cerimônia que celebrou a entrada em vigor da regra, no museo do Bicentenário, na Casa Rosada.

Fernández disse que a medida é “apenas um passo” de um processo que terminará quando “a ninguém mais se pergunte se é um homem, mulher ou o que seja. Esse é o ideal que temos que alcançar”, afirmou. Ele estava acompanhado do ministro do Interior, Eduardo Wado de Pedro, e da ministra das Mulheres, Gênero e Diversidade, Elizabeth Gómez Alcorta.

Entre outros países que reconhecem documentos de identidade de gênero fora do binômio masculino e feminino estão o Canadá, a Austrália, a Alemanha e a Índia, além de alguns estados dos EUA.

No Uruguai, há um projeto de lei em trâmite no Congresso para regulamentar esse direito.

BUENOS AIRES, ARGENTINA

Por Folha Press

A Folhapress é a agência de notícias do Grupo Folha e comercializa e distribui diariamente fotos, textos, colunas, ilustrações e infográficos a partir do conteúdo editorial do jornal Folha de S.Paulo, do jornal Agora e de parceiros em todos os Estados do país. O serviço da Folha Press foi contratado pela Casa 1 em março de 2021 para estimular o acesso à informação de qualidade, com responsabilidade ética e jornalística e é publicado junto de conteúdos produzidos pela equipe de comunicação e outra agências de notícia independentes, igualmente qualificadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Oie, divide seu email com a gente?

Assim você pode receber nossas novidades a cada mês :)

Obrigada!

ERRO!

Casa 1 will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.