Geralmente, é durante a puberdade que começamos a entender e moldar nossas orientações afetivas e sexuais e o que vemos representado na mídia tem um papel ativo nesse processo. Pensando nisso, perguntamos para mulheres lésbicas e bissexuais pelo Facebook e Twitter, quais foram, ou ainda são, os crushes delas.

1. A personagem principal da série neozelandesa “Xena, a Princesa Guerreira” (Lucy Lawless), fez sucesso no Brasil durante os anos 90. Apesar de Gabrielle, a fiel amiga da heroína, não ser oficialmente seu par romântico existem muitas especulações sobre isso na internet.

2. A atriz norte-americana Michelle Pfeiffer como Mulher Gato no filme “Batman: O Retorno” (1992). A roupa que Michelle usava para as gravações eram seladas a vácuo e ela teve aulas particulares para aprender a manusear o chicote corretamente.

3. O trio Lucy Liu, Cameron Diaz e Drew Barrymore em “As Panteras” (2000). O filme não foi muito bem recebido pela crític mas, hoje em dia é considerado um clássico. A pantera Drew Barrybore já declarou em entrevistas que é bissexual.

4. Angelina Jolie dando vida a modelo Gia personagem principal do conturbado filme “Gia- Fama e Destruição” (1998). Na conturbada trama a modelo se envolve com uma maquiadora.

5. A atriz também mexeu com muitas mulheres em seu papel como a problemática Lisa, no filme “Garota Interrompida” (1999). Nesse filme ela fez um par romântico com Suzana, interpretada por Winona Ryder.

6. Liv Tyler interpretando Lucy no filme “Beleza Roubada”(1996).

7. Sarah Michelle Gellar como “Buffy, A Caça Vampiros”.

8. A atriz Stacey Dash interpretou Dionne no popular filme “As Patricinhas de Beverly Hills” (1995), um clássico dos filmes de comédia romântica.

9. Milla Jovovich como Leeloo no famoso blockbuster de ficção científica “O Quinto Elemento”(1997).

10. O elenco do filme “Jovens Bruxas“(1996) fez sucesso entre as mais alternativas.

11. O casal fictício do início dos anos 2000, Rafaela (Alinne Moraes) e Clara(Paula Picarelli), na novela “Mulheres Apaixonadas”(2003). Pesquisas da época mostraram que o casal seria bem aceito pelo público, desde que não se beijassem na boca. Contudo, no capítulo final elas se beijaram na encenação de uma peça.

12. Megan Fox como Jennifer em “Garota Infernal”(2009). No filme, a personagem de Megan é usada para um pacto satânico mal sucedido e então ela começa a se alimentar de garotos que assassina.

13. A atriz venezuelana Gabriela Spanic que interpretou a icônica Paola Bracho na novela “A Usurpadora”(1998). Com esse papel ela ficou famosa em toda a América Latina, principalmente no Brasil.

14. Nicole Kidman como Gillian Owens no filme “Magia e Sedução”(1998). No filme ela e sua irmã herdam uma maldição e precisam reaprender os feitiços ensinados por suas tias.

15. Alex é uma das prisioneiras na série “Orange is The New Black” interpretada pela atriz Laura Prepon. A personagem é vagamente inspirada na ex-namorada da autora do livro, Piper Kerman, que deu origem ao seriado de sete temporadas.

16. A personagem Trinity (Carrie-Anne Moss) da franquia “Matrix”. As irmãs Lilly e Lana Wachowski, mulheres transexuais diretoras da franquia, falaram que “Matrix” é uma metáfora para a aceitação e a transição de gênero.

17. Hermione Granger (Emma Watson) da saga “Harry Potter” também fez muito sucesso entre as jovens que acompanhavam a saga.

18. Hilary Banks (Karyn Parsons) da série de comédia “Um Maluco no Pedaço”.

19. A atriz sueca naturalizada estadunidense Greta Garbo foi uma estrela dos tempos de ouro de Hollywood. Sua vida foi muito reservada mas, depois da sua morte, foram reveladas cartas que ela trocou com sua suposta namorada quando era uma estudante de teatro, Mimi Pollak.

20. As personagens 2d do anime “Sailor Moon”, Sailor Urano e Sailor Netuno. As duas representaram um relacionamento lésbico no Japão e foram bem aceitas pelo público porém, na versão norte-americana, elas foram retratadas como primas.

21. Christiane Torloni como Fernanda na novela “Selva de Pedra”(1986). Na época os censores ainda controlavam o que era ou não exibido nas novelas, e o par romântico que atriz faria com a personagem de Beth Goulart não se concretizou.

22. Susan Sarandon como a cientista Sarah Roberts no filme “Fome de viver”(1983). O enredo gira em torno de Mirian (Catherine Denevue), uma vampira que perambula entre os mortais desde os tempos do Antigo Egito. Quando a vida do seu companheiro John (David Bowie) chega ao fim, ela vê em Sarah a possibilidade de uma nova companhia.

23. A irmã de Edward Cullen na saga “Crepúsculo” Alice Cullen (Ashley Greene) fez muito sucesso entre o público feminino.

24. Kristen Stewart, a Bella Swan da saga vampiresca, também fez e ainda faz muito sucesso com o público feminino. A atriz é abertamente lésbica e atualmente namora a roteirista Dylan Meyer .

25. A atriz australiana Cate Blanchett ficou ainda mais famosa depois do seu papel no filme “Carol” (2015) em que ela fazia um par romântico com Rooney Mara.

26. A atriz e apresentadora brasileira Camila Pitanga. Recentemente se tornou público o término do relacionamento dela com a artesã Beatriz Coelho.

27. A atriz, diretora e apresentadora Danni Suzuki.

28. A atriz mineira Letícia Sabatella.

29. A modelo britânica Kate Moss.

30. A participante do “Big Brother Brasil” Angélica Morango foi a primeira mulher assumidamente lésbica a entrar no programa que foi exibido em 2010. Depois dela houve apenas mais duas mulheres assumidamente lésbicas no reality, Gabriela Hebling (2019) e Lumena Aleluia (2021).

31. A cantora, compositora, atriz e empresária Whitney Houston, considerada pela crítica uma das maiores cantoras de todos os tempos, era bissexual e teve um relacionamento com sua assistente Robyn Crawford.

32. A dupla canadense de gêmeas abertamente lésbicas Tegan and Sara.

33. A cantora norte-americana Beth Ditto, ex vocalista da banda The Gossip, bissexual e famosa pela seu ativismo pela acessibilidade e visibilidade de corpos gordos.

34. A cantora e compositora Cássia Eller, assumidamente bissexual, criou o filho junto com a sua namorada Maria Eugênia. Após a morte da cantora, o pai de Cássia entrou na justiça pela guarda do filho da artista mas, em 2002, em decisão inédita, a Justiça Brasileira concedeu a Maria Eugênia a guarda do filho da falecida companheira.

35. A dupla russa t.A.T.u. foi um dos primeiros casos de “queerbaiting”. Apesar delas terem sido consideradas ícones LGBT+ quando performavam juntas, Vôlkova deu declarações falando que jamais aceitaria que seu filho fosse gay.

36. A cantora, compositora e dançarina Ciara.

37. A cantora e compositora canadense Avril Lavigne.

38. A atriz, compositora e cantora Nicole Scherzinger fez muito sucesso como líder do girl group The Pussycat Dolls muito popular nos anos 2000.

39. A cantora, produtora, e compositora Gwen Stefani.

40. Destiny’s Child foi um grupo norte-americano de R&b e teve em sua formação de mais sucesso Beyonce, Michelle Williams e Kelly Rowland.

41. A polêmica cantora e compositora Courtney Love, integrante do grupo grunge “Hole”.

42. O duo japonês de dança AyaBambi fez muito sucesso depois que um vídeo de um de seus workshops viralizou na internet. Elas chegaram a participar da turnê “Rebel Heart” de Madonna mas o sucesso, a parceria profissional acabaram quando o namoro das duas chegou ao fim.

43. A cantora, compositora e dançarina colombiana Shakira.

44. A compositora, cantora e empresária de Barbados, Rihanna.

45. A cantora, compositora e produtora musical Mariah Carey.

46. A cantora sul coreana do grupo Girl’s Generation, Taeyeon.

47. A cantora e compositora Syd que ganhou popularidade com o grupo de rap Odd Future e agora é vocalista no grupo The Internet. Syd é abertamente lésbica.

48. A cantora, compositora, produtora, apresentadora e empresária Pitty.

49. Produtora musical, cantora, compositora, dançarina e atriz, a polêmica Madonna.

50. Britney Spears, Madonna e Christina Aguilera no VMA de 2003

Por Casa 1

A Casa 1 é uma organização localizada na região central da cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civil. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando as interseccionalidade do universo plural da diversidade. Contamos com três frentes principais: república de acolhida para jovens LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsos de casa, o Galpão Casa 1 que conta com atividades culturais e educativa e a Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos e terapias complementares, com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *