Comunicar as pessoas que apoiam e financiam o projeto sobre as atividades que realizamos é um hábito que mantemos desde o início da Casa 1. Mesmo com as atividades voltando de maneira gradual ao presencial continuaremos a realizar relatórios mensais com a nossa prestação de contas.

Começamos lembrando que nossa equipe de pessoas contratadas segue atuando para que o público que atendemos possa receber o cuidado e o auxílio que merecem, e agradecendo a dezena de voluntários, voluntárias e voluntáries, que doam seu tempo para que o projeto possa seguir existindo.

Recado dado, vamos às prestações de contas de dezembro! 

O centro de acolhida continua recebendo moradores e moradoras que possuem acompanhamento em saúde mental, clínica e sexual. Além do auxílio da equipe de empregabilidade e planejamento financeiro, os e as jovens acolhidas participam de atividades educativas no campo de línguas e corpo e criação.  

Na clínica social, que se dividiu para servir de espaço de isolamento para acolhidos fazerem quarentena, atendimento do projeto PrEP 15-19, continua com os atendimentos ao público de forma online. A equipe realizou 19 atendimentos psiquiátricos e 20 atendimentos no Plantão de Escuta.

O Centro Cultural, que agora atua como principal ponto de atendimento para a população vulnerável e em situação de rua,  distribuiu 610 cestas básicas, 500 kits de higiene menstrual, 160 kits de roupa e 1100 brinquedos para as crianças de famílias cadastradas ou passantes do Galpão.   A assistência social também distribuiu 950 cestas de natal e 350 kits especiais de higiene para o público LGBTQIA+. 

Também tivemos no Centro Cultural a formatura das 5 alunas do curso Babadeira de maquiagem profissionalizante nível iniciante. A formatura ocorreu com um workshop oferecido pela Mac, parceira do curso, que contou com roda de conversa sobre mercado de trabalho no ramo da maquiagem, beleza e cosméticos. No final do workshop houve entrega dos certificados e das maletas com os materiais para que as alunas possam trabalhar. No espaço também foi organizado o Bazar da Casa 1, primeiro evento presencial do espaço desde 2020. 

Já a Biblioteca Comunitária Caio F. Abreu recebeu 3738 títulos de doações, entre eles livros, revistas, DVDs, CDs e HQs. No “Balaio Literário” foram distribuídos 765 títulos gratuitamente e 147 kits para crianças com material de leitura, desenho, pintura e/ou escolar. A biblioteca também repassou para outras instituições 2630 títulos e através do projeto recibo foram produzidos e distribuídos 75 metros de textos literários e atividades para a comunidade. O Marca-texto, podcast de mediação de leitura coordenado pela equipe da biblioteca, publicou quatro episódios: a bicha de 7 cabaços, na pensão a flor de minas, momento e mantra

O Educativo realizou Publicação e primeira impressão do livro “Poéticas de vida: escritas de si(da)“, realizado pela Editora Monstra em parceria com o Grupo de Incentivo à Vida – GIV e Acervo Bajubá, dentro do selo CADERNOS. (esta primeira leva foi reduzida e destinada aos autores e autoras do livro, mas em breve teremos uma segunda impressão com maior número de exemplares para distribuição). O livro também está disponível para acesso online no link: http://lapubli.online/poeticas/.

A equipe de Programação não parou com as atividades culturais e educativas. Foram realizadas 2 lives do Direito Nosso (Parentalidade LGBT e Como lidar com as festinhas de fim de ano na firma), 1 Biblioteca Convida  com a Revista de Estudos Transviades, 1 encontros do Gravando com Passagem Só de Ida, 1 aulão de Ioga para todes e 1 live do Balaio de Drags com Rana Foratto. Além disso, rolou a participação da educadora Vanessa Soares na live de lançamento do livro “Semente Originária” de Octavia Butler pela Editora Morro Branco e 1 live do memorial incompleto da epidemia de aids (HIV e Rua “Outros Corpos, Outras Vivências”). 

Se você quer ajudar tudo isso a continuar acontecendo, basta clicar aqui!

Por Casa 1

A Casa 1 é uma organização localizada na região central da cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civil. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando as interseccionalidade do universo plural da diversidade. Contamos com três frentes principais: república de acolhida para jovens LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsos de casa, o Galpão Casa 1 que conta com atividades culturais e educativa e a Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos e terapias complementares, com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *