Lorem quis bibendum auci Lorem gravida nibh vel velit auctor aliquet. Aenean sollicitudin, lorem quis bibendum auci elit consequat ipsutis sem nibh id elit. Duis sed odio sit amet nibh vulputate cursu. Ut enim ad minim veniam.

Follow me on instagram

© 2016 Your Business Name!

19 quadrinistas e ilustradores LGBT que vão te fazer mergulhar na cultura pop com muito orgulho

19 quadrinistas e ilustradores LGBT que vão te fazer mergulhar na cultura pop com muito orgulho

Por Angelo Castro, assistente de programação da Casa 1. Colaborou Mario Cesar, organizador da POC CON. 

Uma pesquisa realizada pela Netflix com jovens de 16 a 25 anos aponta que 69% dos jovens brasileiros procuram por representatividade nas séries que assistem.  Como o próprio nome já sugere esses jovens querem ver representados seus dilemas, vivências e desafios, seja para procurar soluções, entender como outras pessoas lidam com isso, ou até mesmo para encontrar companhia para passar por algum momento difícil, mesmo que seja por alguém do outro lado da tela.

As influências e potência da representatividade na mídia vão muito além de uma simples identificação e tem um papel importe para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária quando ecoam as vozes de grupos históricamente minorizados, como é o caso da população LGBT.

Vemos que narrativas de diferentes realidades vão ganhando força no cinema, séries, arte, teatro e televisão, nesse contexto, o mundo dos quadrinhos, que vem crescendo em popularidade e aceitação nos últimos anos, não podiam ficar de fora. São diversos artistas, quadrinistas, e ilustradores e ilustradoras LGBT que vem mostrando um trabalho incrível quando o assunto é a produção de história em quadrinhos.

Por isso pedimos a ajuda de Mario César, um dos idealizadores da POC CON para mostrar um pouco desse universo pra gente.

POC CON

Tá, mas o que é POC CON?

No mundo da cultura nerd/geek, é comum desde os anos 70 a realização de convenção de quadrinhos (Comic Conventions, daí o sufixo -CON) , um espaço livre para se falar desse universo, conhecer as novidades e tendências da área, ou só se divertir com as fantasias dos fãs que escolhem essa arte para demonstrar o afeto que tem pelas suas histórias favoritas.

Mesmo que no Brasil já tenha uma dessas convenções que já atingiu promoções enormes, a ComiCon XP, a falta de um espaço para se falar especificamente de representatividade dos artistas LGBT fez com que Mario César e Rafael Bastos Reis organizassem a POC CON, um encontro de quadrinistas e ilustradores e ilustradoras pudessem expor e vender seus trabalhos, auxiliando na produção independente desses artistas, além de criar um ambiente babadeiro, onde todos e todas pudessem celebrar a diversidade sexual e de gênero e reafirmar a luta por direitos.

Sua primeira edição que aconteceu em junho de 2019, no sábado pré parada do Orgulho LGBT estava maravilhosa! Reunindo mais de 70 artistas expositores e atraindo mais de 3.000 pessoas.

Confira agora a primeira parte dessa lista que o Mario César preparou. Fique atento porque a princípio todos esses artistas vão estar na segunda edição do evento, que por enquanto, está prevista para acontecer dia 14 de novembro, um final de semana antes da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. Marque na agenda para não perder!

Clique aqui para mais informações sobre a POC CON.

1. Mário César

Finalista do Prêmio Jabuti e três vezes vencedor do Troféu HQ Mix, Mário César é autor e editor de histórias em quadrinhos além de ser co-criador e organizador da POC CON Feira LGBTQ+ de Quadrinhos e Artes Gráficas.
Seu trabalho mais recente, “Bendita Cura”, aborda questões como a famigerada “cura gay” e homofobia e venceu o Troféu HQ Mix de Melhor Web Quadrinhos. “Bendita Cura” pode ser lido gratuitamente clicando aqui.

Conheça aqui o trabalho de Mario César.

2. Adri A.

Adri A. é ilustrador e quadrinista. Aborda em suas produções questões ligadas a diversidade e ao universo LGBTQ+. Desde 2012 publica seus trabalhos nas redes sociais e em fanzines editados por ele mesmo. É criador e autor do “CARA-UNICÓRNIO”, série em quadrinhos que satiriza super-heróis e promove representatividade LGBTQ+. Em 2019 a primeira coletânea da série, “CARA-UNICÓRNIO – VOL. 1”, concorreu ao Troféu HQ Mix na categoria humor. Também já teve ilustrações e quadrinhos publicados em diversas publicações de outras editoras e coletivos.

Conheça aqui o trabalho de Adria A.

3. Aline Zouvi

View this post on Instagram

Em tempos de distanciamento social, muito importante pro nosso bem-estar coletivo, não se esqueçam de continuar apoiando o trabalho de artistas que vocês acompanham e aproveitem para conhecer outros artistas! 💜 Apoie seu artista local, apoie seu artista lgbt local, apoie seu artista negro local! Sempre que puder! Living in times of social distancing, which is very important for our well-being as a community, don't forget to keep supporting the work of artists you follow and take the opportunity to get to know new artists! Support your local artist, support your local lgbt artist, support your local black artist! Whenever you can! #stayhome #selfquarantine #support #supportyourlocal #supportyourlocalartist #art #arte #quadrinhos #hq #quadrinholgbt #quadrinhobrasileiro #hqlgbt #lgbtq🌈 #lesbica #lesbian #lesbianpride #dyke #sapatao

A post shared by Aline Zouvi (@alinezouvi) on

Aline Zouvi fez mestrado sobre as obras da quadrinista estadunidense Alison Bechdel. Desde 2017, dá oficinas de quadrinhos, faz cartuns para o jornal  “Folha de São Paulo”, tem participado de diversos eventos e feiras e publicado quadrinhos e zines, dentre os quais destacam-se “Síncope” (vencedor do Prêmio Dente de Ouro 2018 e finalista do HQMix na categoria HQ Independente) e “Óleo sobre Tela” (UgraPress, 2018). No momento, está trabalhando em sua primeira graphic novel.

Conheça aqui o Trabalho de Aline Zouvi.

4. André Inácio

Ilustrador e quadrinista frente ao Studio MPUP, André busca celebrar a diversidades em suas obras através de temas fantásticos. Além de suas ilustrações atualmente desenvolve o seu quadrinho “Acquine” que você pode acompanhar clicando aqui.

Conheça aqui o trabalho de André Inácio.

5. Breeze Spacegirl (Flávia Borges)

Flávia Borges, que também assina como Breeze Spacegirl, é ilustradora e quadrinista de São Paulo (SP). Trabalha com publicidade, editorial e ilustração infantil, e seus principais temas são empoderamento feminino, negro e LGBTQI+.

Conheça aqui o trabalho de Flávia Borges.

6. Caio Yo

Caio Yo, é de São Paulo e trabalha como ilustrador desde 2009. Já ilustrou para o ramo publicitário e editorial, atualmente trabalha como artista e diretor em estúdios de games e projetos indie; além de dar aulas de ilustração e gameart. Como autor, publica seus trabalhos em quadrinhos desde 2014. Entre eles estão “Fúria e Onsen” (independentes) e “O Segredo de Baba Ganush” (contemplado com o PROAC 2017 e publicado pela editora Zarabatana), Em 2020 participa de duas coletâneas com temática gay, da ed. Skript, além de um novo quadrinho indie sci-fi sobre o relacionamento romântico de dois rapazes.

Conheça aqui o trabalho de Caio Yo.

7. Cora Ottoni

View this post on Instagram

A @casinhaacolhida me convidou para fazer uma ilustração para a campanha de crowndfunding do Festival Online na Casinha, que busca arrecadar dinheiro para pessoas que foram afetadas nessa época de #quarentena. Além disso você pode conferir, através de lives no perfil da Casinha, shows, aulas de make drag, culinária e muito mais! Esse desenho de #isolamento em tempos de #covid estará disponivel para impressão em alta qualidade e wallpaper de celular para alguns apoiadores da campanha! Corre lá! Essa é uma iniciativa de @casinhaacolhida @todxsbrasil @festivaluneversos e @tenhoorgulho. . . #lgbt #lesbiancouple #lesbian #lesbica #gay #lgbtqia #lgbtq #love #lovewins #bi #pride #orgulho #queer

A post shared by Cora Ottoni 🤙 (@corottoni) on

Quadrinista autora das tirinhas autobiográficas de humor “Corenstein”, com dois livros publicados e indicadas a melhor publicação de tiras (2018) e melhor web tira (2019) pelo prêmio HQ Mix; “Os Zeladores do Tempo”, uma ficção científica infantojuvenil (2016); “Kit (de Resistência) LGBTQ+”, lançado na CCXP 2018 com todo lucro revertido a Casinha (instituição de apoio a comunidade do Rio de Janeiro e parceira aqui da Casa 1); e “Como Sobreviver a Um Relacionamento a Distância”, uma zine de humor publicada em 2019. Além disso a ilustradora e diretora de arte no Copa Studio, já tendo trabalhado em projetos como Irmão do Jorel, Giga Blaster e Tromba Trem.

Conheça aqui o trabalho de Cora Ottoni.

8. Eryk Souza

Eryk Souza produziu o quadrinho “Uma e o Pombo” pela editora Sê-lo, “KÁROS” junto da RISCO HQ, além de editoriais para as revistas “Mundo Estranho” e “Conhecer”, dentre outras. No momento esta produzindo um quadrinho no projeto “Narrativas Periféricas” da editora Mino, Perifacon e Chiaroscuro Studios. Trabalha com ilustração digital e pintura em bases diversas. Boa parte dos seus trabalhos mescla o onírico e o sci-fi.

Conheça aqui o Trabalho de Eryk Souza.

9. Diana Salu

Diana, artista, designer, publicadora, produtora, travesti e sapatão. Graduada em Artes Plásticas pela Universidade de Brasília, foi co-fundadora da MÊS, editora independente de Brasília com foco em quadrinhos, artes visuais e literatura. Publicou os trabalhos em histórias em quadrinhos de sua autoria: “Maré – ou pequenos barcos não devem se afastar demais da margem” (2017, MÊS Editora); “Barragem” (2018, Edição da Autora); “Cartas para Ninguém” (2019, Padê Editorial) dentro muitos outros projetos e publicações. Participou com a história “Lama” da antologia “Segunda-feira eu paro” (2019) e estará presente na coletânea “Quadrinhos Queer”. Seu livro “Cartas Para Ninguém”, traz recortes sobre suas vivências com a transgeneridade e a lesbiandade em uma linguagem híbrida entre poesia, histórias em quadrinhos e desenhos.

Conheça aqui o trabalho de Diana Salu.

10. Ellie Irineu

Ellie Irineu é quadrinista, editora e ilustradora nascida no Mato Grosso do Sul. É organizadora da série “Histórias Quentinhas”, iniciada em 2019, e seu trabalho tem como foco a representação não-estereotipada de vivências LGBT.

Conheça aqui o trabalho de Ellie Irineu.

11. Germana Viana

Germana Viana é quadrinista nascida em Recife/PE mas vive em São Paulo tempo o suficiente para ter misturado os dois sotaques. É autora de “Lizzie Bordello” e as “Piratas do Espaço” 1 e 2, “As Empoderadas” (vencedor do troféu HQMix na categoria WebQuadrinhos), “O Verão do Papa-Angu” e é coordenadora, editora e uma das autoras de “Gibi de Menininha – Historietas de Terror e Putaria” (Vencedor do troféu Angelo Agostini na categoria de Melhor Lançamento de 2018 e do HQMix na categoria Melhor Revista Mix de 2018), dentro outros projetos. Germana participou ainda de diversas coletâneas, como: “SPAM”, “Amor em Quadrinhos”, “Café Espacial”, “Orixás: Renascimento” e “Marcatti 40”.

Conheça aqui o trabalho de Germana Viana.

12. Helô D’Angelo

Helô D’Angelo é ilustradora e quadrinista, autora de “Dora e a gata” (2019) que provavelmente você já esbarrou por aí no Instagram e Facebook.  É formada em artes pela vida e em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo. Seu trabalho tem incluído grandes coberturas em quadrinhos, como por exemplo o recente registro do #EleNão, movimento de mulheres contra a candidatura de Jair Bolsonaro à presidência do Brasil – uma reportagem publicada em 2018. Helô também tem trabalhado em tiras e charges políticas, frequentemente voltadas aos direitos das mulheres, dos negros e dos LGBT, dentre outros assuntos. Já publicou seus desenhos e quadrinhos em veículos como os sites “Huffington Post”, “Agência Pública”, “Catraca Livre”, “Fórum”, “Az Mina”, as revistas “Superinteressante” e “CULT” e o jornal “O Estado de São Paulo”. Atualmente, trabalha como freelancer na área.

Conheça aqui o trabalho de Helô D’Angelo.

13. Isadora Zeferino

Isadora Zeferino é ilustradora freelancer do Rio de Janeiro. Conhecida por postar seus desenhos e trabalhos em suas mídias sociais, como fanarts e conteúdos ligados a figuras da cultura pop. Já trabalhou em diversas áreas como animação, mercado editorial, didático, livros infantis, publicidade e mais recentemente quadrinhos. “Acredito que uma das grandes diversões de ser um profissional da indústria criativa é poder se reinventar o tempo todo, mas também gosto de manter certas coisas no meu trabalho, como composições bem fechadas, elementos florais e trabalhar com temas de saúde mental e auto-aceitação”. Já desenvolveu trabalhos com “Faber-Castell”, “Globosat”, “Editora Abril”, “Cia das Letras”, “Melissa” e etc. e mais recentemente foi incluída no livro “The Illustrator: 100 best from around the world” da Taschen.

Conheça aqui o trabalho de Isadora Zeferino.

14. Laura Athayde

View this post on Instagram

Esse é o meu desenho pro livrinho de colorir que o @poesia.azul.amarelo organizou! São dois volumes com desenhos diferentes cada um, que estão disponíveis pra download e impressão em casa :} o link é: http://tiny.cc/desenhosparacolorir (também vou deixar nos stories) . Caso você se interesse e tenha condições, imprima mais de um e nos ajude a distribuir! Pode ser entregando diretamente a alguém ou deixando no supermercado, por exemplo. A ideia é que chegue em quem tá sofrendo economicamente com a quarentena e tem crianças em casa pra entreter. Vai ser ainda mais legal se você puder deixar alguns lápis de cor ou giz de cera junto 💖 . #ilustracion #illustration #ilustração #paracolorir #quarentena #carentena #kidlit #ficaemcasa #stayhome #quedateencasa

A post shared by Laura Athayde (@ltdathayde) on

Laura Athayde é designer, quadrinista e ilustradora manauara residente em Belo Horizonte. Seu livro “Histórias Tristes e Piadas Ruins” venceu o prêmio HQ Mix na categoria Edição de Autor. Sua série “Aconteceu Comigo” foi contemplada pelo edital Rumos do Itaú Cultural e será publicado em breve.

Conheça aqui o trabalho de Laura Athayde.

15. Luiza Lemos

Luiza Lemos é formada em História. Quadrinista e cartunista que atualmente trabalha com o projeto “Transistorizada” (confira aqui), onde publica semanalmente pela internet tiras que falam sobre questões LGBT com foco maior no seguimento T e política. Também produziu tiras para o jornal Brasil de Fato, atuou como professora do curso de Histórias em Quadrinhos da Casa da Cultura de Paraty (2019) e é membro fundadora do Coletivo “Korja dos Quadrinhos”, e também atua como mediadora no projeto “História na Rua/ Debates Públicos” (você pode saber mais por aqui).

Conheça aqui o trabalho de Luiza Lemos.

16. Lunecornio

Se você acompanha a gente da Casa 1 de perto já deve conhecer o trabalho incrível do  Lune que está sempre por aqui. Lune é ilustrador e designer, além de uma pessoa trans e bissexual. Cria pinturas digitais e aquarelas sempre buscando a diversidade com muita sensibilidade.

Conheça aqui o trabalho de Lunecornio.

17. Talles Rodrigues

Talles Rodrigues é quadrinista e ilustrador, nascido em Fortaleza e residente de São Paulo. É formado em Jornalismo e desde então vem fazendo quadrinhos e ilustrações. Suas principais obras são o quadrinho-reportagem “Cortabundas” (2013), a série em quadrinhos “Mayara & Annabelle” (2014-2020) e “Anamnese” (2019).

Conheça aqui o trabalho de Talles Rodrigues.

18. Vítor Martins

Vítor é escritor e ilustrador. Seu trabalho e produção sempre conversa com o cotidiano LGBT, com o intuito de passar uma mensagem de amor e aceitação através de suas histórias, personagens e ilustrações.

Conheça aqui o trabalho de Vítor Martins.

19. Yuri Amaral

Yuri Amaral é artesão gráfico, pessoa não-binária, vegana, drag queen, quadrinista e escritora, se formou em Publicidade e Propaganda e é Mestre em Estudos Interdisciplinares Latino-Americanos. Desde 2014 publica “O Menino que Não Sabia Voar”, e nos últimos 2 anos publicou três livros via financiamento coletivo, todos do “Universo do Menino”.

Conheça aqui o trabalho de Yuri Amaral.

Fique de olho que daqui a pouco lançamos outro post com um monte de artistas incríveis e não deixe de seguir procurando, conhecendo e apoiando artistas LGBT independentes próximos a você.

Angelo Castro atua como assistente de programação no Centro Cultural da Casa 1, onde ajuda a desenvolver formatos e temas para a atividades no espaço, com enfoque nas produções de pessoas LGBT. Formado em Engenharia Ambiental caiu de para-quedas no campo da diversidade.
No Comments

Leave a Reply