Com as atividades presenciais parcialmente paralisadas e a impossibilidade de ter pessoas nos espaços físicos acompanhando o dia a dia do projeto, passamos a registrar as atividades que estamos realizando de maneira digital.

Comunicar as pessoas que apoiam e financiam o projeto sobre as atividades que realizamos é um hábito que mantemos desde o início da Casa 1. No começo da pandemia passamos a fazer nossa prestação de contas em vídeo, com o desgaste das ferramentas de vídeo por conta dos eventos à distância, passamos a fazer relatórios bimestrais no site. Este é o último relatório bimestral de prestação de contas, a partir de setembro vamos voltar aos relatórios mensais.

Começamos lembrando que nossa equipe de pessoas contratadas segue atuando para que o público que atendemos possa receber o cuidado e o auxílio que merecem, e agradecendo a dezena de voluntários, voluntárias e voluntáries, que doam seu tempo para que o projeto possa seguir existindo.

Depois desse informativo, vamos as prestações de contas dos meses de julho e agosto! 

Algumas atividades continuaram nos nossos espaços físicos. O centro de acolhida continua recebendo moradores e moradoras que possuem acompanhamento em saúde mental, clínica e sexual. Além do auxílio da equipe de empregabilidade e planejamento financeiro, os e as jovens acolhidas participam de atividades educativas no campo de línguas e corpo e criação.  

Na clínica social, que se dividiu para servir de espaço de isolamento para acolhidos fazerem quarentena, atendimento do projeto PrEP 15-19, continua com os atendimentos ao público de forma online. Foram 71 plantões de escuta, 61 atendimentos psicoterápicos continuados mensalmente, 29 atendimentos psiquiátricos e formou novos voluntário terapeutas para atendimento na Clínica Social.. 

A Clínica também fez articulação com outras redes de serviços para formar uma parceria de apoio coletivo e conseguiram encaminhar em média 30 atendimentos para outros serviços de atendimento psicossocial. A equipe também está ajudando no processo de formação para os funcionários e auxiliando na articulação para encaminhamentos de casos que necessitam de acolhimento no CAPS Itapeva e também participou de uma palestra na ANPSINEP (Articulação Nacional de Psicólogas (os) Negras (os) e Pesquisadoras (res)) falando sobre cuidados no campo de saúde mental da população negra e trans. 

Em parceria com a equipe de Comunicação e Programação a Clínica Social organizou a primeira Semana de Saúde da Casa 1 com 4 lives no Instagram ( Redução de Danos e População LGBTQIA+, Imagem Corporal e Transtornos Alimentares em pessoas LGBTQIA+, Encarceramento da População LGBTQIA+ e Corpo e Loucura), 2 IGTV respondendo as solicitações enviadas pela caixa de perguntas do story sobre Prevenção e Saúde Sexual de Corpos com Vagina e Papel da endocrinologia na afirmação de gênero e 1 oficina de experimentação terapêutica e de criação para pessoas trans em parceria com Mo-Lo-Tov.

O Centro Cultural, que agora atua como principal ponto de atendimento para a população vulnerável e em situação de rua,  distribuiu 1010 cestas básicas, 2280 copos de água, 800 máscaras, 1200 kits de higiene, 1100 kits de higiene menstrual e em média 2000 alimentos (pães, biscoitos e bolachas) Também foram repassadas 178 caixas de diversos produtos da Mãe Terra para 6 instituições parceiras no mês de agosto. A equipe de assistência social que coordena essas entregas também realizou em média 75 encaminhamentos online e 200 encaminhamentos gerais para serviços de atendimento da população em geral. 

Já a Biblioteca Comunitária Caio F. Abreu recebeu 1762 títulos de doações, entre eles livros, revistas, DVDs, CDs e HQs. No Balaio Literário foram distribuídos 1165 títulos gratuitamente e 164 kits para crianças com material de leitura, desenho, pintura e/ou escolar. A biblioteca também repassou para outras instituições 666 títulos. O projeto recibo produziu e distribuiu 224 metros de textos literários e atividades para a comunidade. A equipe também realizou 37 formações para novos voluntários e voluntárias. 

A Editora Monstra realizou a segunda impressão com 600 exemplares do livro “Escrevivências – CUSturas Poéticas” , de autoria coletiva e realizado na IV Semana de Visibilidade Trans da Casa 1. O livro terá distribuição gratuita para LiteraSampa, bibliotecas parceiras, acervos parceiros, influenciadores digitais, trabalhadores da Casa 1 e público em geral.

Não paramos as atividades culturais e educativas. A equipe de Programação realizou 6 lives do Biblioteca Convida (Bruna Kury e Mogli Saura; Luiza de Souza; Rafael Teixeira; Vitor Martins; Talles Azigon, Emerson Guarani), 2 aulas e o encerramento do Curso de Libras, 9 encontros do Ritmo Quente com a participação de Felipe Assunção e Flávia Lima,  4 encontros do Gravando com Juliana Ramos e Larissa Angelino; Kenya Odara, Thiago Thedoro; Gabriel e Anderson, 4 aulas do Babadeira Online (Madame Léa; Koichi Sonoda; Don Valentim, Rotten)  e 8 oficinas de Automaquiagem. Além disso também rolou a estreia da programação “Direito Nosso” falando sobre o registro de pessoas intersexo com Carolina Iara e Monica Porto. 

Em paralelo a todas essas atividades o Instituto Temporário de Pesquisa Sobre Censura lançou o memorial incompleto da epidemia de aids e a equipe de comunicação iniciou o projeto Enciclopédia Sapatão. o GT de Empregabilidade lançou duas iniciativas para aumentar a presença de pessoas LGBTQ+ no mercado de trabalho: o Banco de Currículos LGBTQ+ e o Cadastro de Vagas para empresas interessadas em contratar pessoas LGBTQ+.

A iniciativa English to Transform, curso de línguas aqui da Casa 1 realizou formação de novos professores e abriu 4 turmas de Espanhol (2 abertas ao público, uma aos funcionários da Casa 1 e uma para moradores) e matriculou 118 estudantes no Inglês Básico 1 e 82 no Inglês Pré-Intermediário 1.

E se você quer ajudar tudo isso a continuar acontecendo, basta clicar aqui!

Compartilhe:

Por Casa 1

A Casa 1 é uma organização localizada na região central da cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civil. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando as interseccionalidade do universo plural da diversidade. Contamos com três frentes principais: república de acolhida para jovens LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsos de casa, o Galpão Casa 1 que conta com atividades culturais e educativa e a Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos e terapias complementares, com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

One thought on “Tudo o que rolou na Casa 1 em julho e agosto de 2021”
  1. Puxa, quanta coisa! É incrível, para mim, que sou de fora de São Paulo ver uma organização tão grandiosa e com tantos serviços como é a casa 1. Para minha sorte estou podendo experimentar ter contato através dos meios digitais e estou amando! Estou cursando o inglês básico 1, acompanho, me emociono e me inspiro com os posts relacionados a enciclopédia sapatão e memorial incompleto da epidemia de aids. Um dia, espero poder doar de alguma forma à casa. E sonho que mais casas possam surgir em todos os lugares, para todes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *